quinta-feira, 28 de dezembro de 2006

Geoglobal cobre o País através de ortofotomapas


0 Comentários

A companhia prepara o lançamento de um serviço tipo Google Earth para Portugal, mas com imagens de elevada resolução.



Dentro em breve poderá ser possível visualizar qualquer ponto do País através da Internet, com imagens de elevada resolução e recorrendo a cartografia produzida em Portugal. A Geoglobal está a preparar o lançamento de um serviço tipo Google Earth para o nosso país, disponibilizando uma resolução de 25 centímetros, o que significa que se conseguirá «identificar objectos pequenos e chegar, praticamente, a visualizar pessoas», explicou ao Semana, Miguel Mendes, sócio fundador e director técnico da companhia.



Notícia completa em: Semana Informática

Fundador da Wikipedia quer criar motor de busca


0 Comentários

James Wales quer melhorar as buscas de Google e Yahoo! através de uma aplicação denominada Wikiasari. O fundador da enciclopédia Wikipedia está a desenvolver um motor de busca que recorre às classificações fornecidas pelos utilizadores para aumentar a eficácia das pesquisas. A nova aplicação deverá estrear-se comercialmente no primeiro trimestre de 2007.



Ao diário britânico The Times, James Wales revelou alguma descrença em relação à eficácia de grandes motores de busca como Google. O fundador considera que os actuais motores de busca estão demasiado vulneráveis ao spam e à inserção de páginas sem relação com os temas procurados.



A aplicação Wikiasari está ser desenvolvida pela empresa Wiki Inc. e pretende complementar os algoritmos dos maiores motores de busca com aplicações que têm em conta as classificações fornecidas pelos milhões de internautas dispersos pelo mundo – um método que pode aumentar a eficácia de motores de busca na missão de pesquisar e indexar um número de páginas Web cada vez maior.



«A transparência das buscas funciona como a transparência da informação: se há qualidade as pessoas utilizam», lembra James Wales.



Fonte: Exame Informática

Manutenção do Blog


0 Comentários

Boa tarde,



Informa-se a todos os visitantes que o blog encontra-se em fase de manutenção, em virtude do seu upgrade para a nova versão do blogger.



Ainda hoje a situação será restabelecida.



Com os melhores cumprimentos,



Paulo Sousa

quinta-feira, 21 de dezembro de 2006

Nova edição da revista Prisma


0 Comentários

Informa-se que já se encontra disponível para consulta a terceira versão da Revista Prisma. Trata-se de uma edição especial dedicada às comunicações apresentadas no 3º Encontro Nacional e 1º Encontro Luso-Galaico sobre Weblogs.
--
Aceda à Prisma através em: http://prisma.cetac.up.pt/

terça-feira, 19 de dezembro de 2006

Biblioteca Digital Mundial


0 Comentários

Fonte: UNESCO NewsPress. Data: 11 de dezembro de 2006.

A UNESCO e a Biblioteca do Congresso organizarão uma reunião para organizar o lançamento de uma Biblioteca digital mundial que será um verdadeiro repertório de saberes de todas as culturas e de todas as línguas, disponível na Internet. A reunião procurará criar uma rede de especialistas e de colaboradores que trabalharão no projeto.
Esta biblioteca será organizada pelo Vice-diretor geral da UNESCO para a Comunicação e a Informação, Abdul Waheed Khan, a Embaixatriz dos Estados Unidos na UNESCO, Louise Oliver, e o Bibliotecário do Congresso, James H. Billington, que foi o primeiro a propor a idéia de uma biblioteca digital mundial em 2005. Será presidida por Claudia Lux, Presidente da IFLA.
Entre os outros participantes figuram representantes de bibliotecas nacionais da África, Ásia, Europa, Oriente Médio, América do Norte e América do Sul. Eles verificarão as principais iniciativas nacionais e regionais de bibliotecas digitais existentes e discutirão a forma de interligação destes projetos em uma Biblioteca Digital mundial.
A idéia é discutir igualmente a criação de um sítio para esta Biblioteca com funções de pesquisa e divulgação dos resultados em várias línguas, com ferramentas como cronologias, cartografias e apresentações de assuntos de forma aprofundada por professores e pesquisadores.
“Estou contente que a Unesco, os Estados Unidos e outras instituições continuem a desenvolver uma iniciativa desta importância”, declarou o Diretor Geral da Unesco. “Devemos encorajar todos os Estados membros da Unesco a colaborar em todos os níveis para proteger os livros, os documentos de arquivos e os documentos audiovisuais únicos ameaçados pela utilização das tecnologias”, acrescentou Koïchiro Matsuura.
Esta biblioteca deverá desenvolver-se graças à cooperação entre a UNESCO e bibliotecas e instituições culturais de todo mundo de forma a promover a compreensão internacional e intercultural, a aumentar o conteúdo em línguas outras que o inglês e de países não ocidentais disponível na Internet de forma a contribuir para o desenvolvimento do saber.
O projeto consistirá principalmente em digitalizar documentos únicos e raros, tornando-os acessíveis gratuitamente na Internet. Entre estes documentos encontram-se manuscritos, os mapas, livros, partituras musicais, registros sonoros, filmes, documentos impressos e fotografias, bem como desenhos de arquitetura presentes em bibliotecas e outras instituições culturais de todo o mundo. Um dos aspectos mais importantes consistirá na criação de acessos em países em desenvolvimento de forma que estes países e regiões do mundo possam participar e estar presentes na Biblioteca digital mundial.
“Para a UNESCO, as bibliotecas – sejam elas bibliotecas com documentos em papel ou digitais – sempre tiveram um papel fundamental em sua missão de promover a livre circulação de idéias através da palavra ou da imagem e de entreter, aumentar ou disseminar o conhecimento,” declarou Abdul Waheed Khan, no momento do anúncio do apoio da UNESCO a este projeto.
James H. Billington declarou: “uma biblioteca digital mundial promoverá o diálogo intercultural e a compreensão internacional e aumentará o volume de conteúdos de alto nível disponíveis gratuitamente na Internet. Os documentos culturais básicos são uma necessidade humana que transcende a política”

segunda-feira, 18 de dezembro de 2006

O freeware, o caso do Linex


0 Comentários

O caso da implementação de freeware numa das regiões mais pobres da União Europeia, a Estremadura espanhola. Uma reportagem da Euronews.

Petição pela acessibilidade electrónica portuguesa


0 Comentários

Já assinou a Petição pela Acessibilidade Electrónica Portuguesa?
--

Foi lançada, no dia 3 de Dezembro, uma petição electrónica à assembleia da república, a qual tem como objectivo que a Internet, o software, o Multibanco, a televisão, as comunicações móveis e máquinas de venda de produtos e serviços, sejam acessíveis a pessoas deficientes e idosas, cerca de 20% da população portuguesa.
--

A aprovação de tais medidas conduziria a uma substancial melhoria da qualidade de vida, tanto profissional como pessoal desta grande fatia da população.
--

Note-se que os meios electrónicos estão cada vez mais presentes na nossa vida e que são cada vez mais importantes. Por isso, é imperioso que todas as pessoas possam usufruir deles, o que não acontece actualmente.
--

Se é cidadão português maior de idade, colabore com a acessibilidade e com mais de dois milhões de portugueses, assinando esta petição em:
--
--

Ajude-nos a divulgar esta petição pelos meios que achar mais conveniente!
Se é jornalista ou responsável por um website na Internet, ou pretende saber mais formas de divulgação, entre no link abaixo:
--
--

Desde já agradecemos.

sexta-feira, 15 de dezembro de 2006

Ortega y Gasset e a "Missão do bibliotecário"


1 Comentários

Acaba de ser publicado:
Missão do bibliotecário/ José Ortega y Gasset; Tradução e posfácio de Antonio Agenor Briquet de Lemos. Brasília, DF : Briquet de Lemos, 2006. 82 p. ISBN 85-85637-31-5

Aqui Ortega y Gasset apresenta questões essenciais ao entendimento do papel do bibliotecário na sociedade. Sua leitura adquire maior importância neste momento de transição de tecnologia, em que tanto se fala do desaparecimento do livro e de um bibliotecário de novo tipo. Esta é a primeira edição integral do texto em língua portuguesa. Acompanha-o um posfácio, de autoria do tradutor: "Circunstância e recepção de Missão do bibliotecário".

Maiores informações e aquisição: www.briquetdelemos.com.br/editora/biblio21.htmE-mail: editora@briquetdelemos.com.br

Murilo Cunha

Sociedade de Informação em Portugal 2006


0 Comentários

Foi apresentada no passado dia 13 de Dezembro a publicação “A Sociedade da Informação em Portugal 2006” preparada sob coordenação da UMIC – Agência para a Sociedade do Conhecimento e do INE – Instituto Nacional de Estatística, onde são analisadas, no âmbito da Sociedade da Informação, as áreas das telecomunicações, população, administração publica, economia digital, educação e saúde. Verificando-se por exemplo que na área da Administração Publica Regional o número de organismos com presença na Internet é superior na Madeira do que nos Açores.
--
--

quarta-feira, 13 de dezembro de 2006

Libraries por Candida Höfer, Umberto Eco (prefácio)


1 Comentários

Eis um livro sobre os "templos" dos livros, as bibliotecas. Cândida Höfer fotografou bibliotecas europeias e americanas, o semanário SOL dá conhecimento que há uma portuguesa retratada (pena não dizer qual), e Umberto Eco prefaciou esta obra que faz um "levantamento fotográfico das mais deslumbrantes e singulares bibliotecas públicas"(In Sol).



Quem quiser este autentico retrato das almas das bibliotecas euro-americanas encontra-o por exemplo na Amazon.com por $62.97 ou na FNAC.pt por 80,32€

terça-feira, 12 de dezembro de 2006

OpenDocument: novo formato padrão de documentos


0 Comentários

Publicado o padrão ISO do Open Document 2006-12-12

O padrão ISO/IEC 26300:2006 (que descreve o formato OpenDocument e tem 722 páginas) foi publicado finalmente depois de vários meses de revisões desde sua aprovação em maio e já pode ser adquirido por algo menos de 200 euros neste órgão.
Finalizado o processo burocrático podemos considerar OpenDocument o primeiro formato de documentos padrão, que além disso rompe com a política monopolística de lock-in através de formatos fechados que tem mantido muitas suites até hoje."O ODF - Open Document Format , é um formato de arquivo para documentos eletrônicos. O atual formato proprietário vastamente difundido como ".doc" , deverá ser gradualmente eliminado em razão da normatização da ISO. O ODF é um substituto eficaz e agora internacionalmente normatizado para o ".doc"

Fonte Oficial ISO : http://www.iso.org/iso/en/CatalogueDetailPage.CatalogueDetail?CSNUMBER=43485&scopelist=PROGRAMME

Fonte em PT-BR : http://www.noticiaslinux.com.br/nl1165889153.html

Microsoft permite folhear livros pela Internet


0 Comentários

Chama-se Live Search Books e permite que o utilizador encontre e “folheie” livros e o seu conteúdo directamente a partir da Internet, um pouco à semelhança do que o Google já oferecia com o seu serviço Google Book Search.
--

Para já, o novo serviço da Microsoft está ainda em fase de testes mas já disponibiliza para consulta um vasto conjunto de obras cujos direitos de autor já caíram em domínio público, nomeadamente publicações associadas à Biblioteca Britânica e às bibliotecas das Universidades da Califórnia e de Toronto.
--

Até ao fim do mês de Janeiro, a Microsoft espera ainda digitalizar e começar a disponibilizar obras da Biblioteca Pública de Nova Iorque, Universidade de Cornell e do Museu Americano de Medicina Veterenária.
--

Aceda ao novo serviço Live Search Books.
--

quinta-feira, 7 de dezembro de 2006

Net substitui rapidamente a televisão


0 Comentários

Uma em cada três pessoas no planeta tem um telefone móvel, o que perfaz cerca de 2000 milhões de utilizadores. Dentro de dois anos será uma em cada duas. Os meios de comunicação digitais por Internet ou telemóvel são os principais meios utilizados por pessoas até aos 55 anos para ocupar os tempos de lazer, à frente da televisão, rádio, jornais, revistas e cinema. Os menores de 18 anos dedicam aos meios digitais uma média de 14 horas semanais, ao passo que reservam apenas 12 para a televisão, seis para a rádio e duas para jornais, revistas e cinema.
--
Entre os 18 e os 54 anos, os meios digitais absorvem cerca de 16 horas, a televisão 13, a rádio oito, os jornais duas, as revistas outras duas e o cinema uma.
--
Apenas os maiores de 55 anos dedicam mais horas à televisão (16) do que aos meios digitais (8).
--
"O ritmo de crescimento da utilização de equipamentos ligados a recursos digitais ultrapassa o de qualquer outro meio de comunicação em toda a história", diz o relatório da União Internacional de Telecomunicações (UIT). "Estamos no meio de uma revolução digital", afirma Lara Srivastava, uma das autoras do relatório.
As linhas de telefone fixo demoraram 125 anos a ultrapassar os 1000 milhões de unidades instaladas, em 2001, ao passo que os telemóveis demoraram apenas 21 anos para atingir o mesmo número. Depois, as ligações fixas registaram uma evolução bastante lenta para chegar aos 1200 milhões de utilizadores, enquanto os telemóveis ganharam outros mil milhões de utilizadores em apenas três anos: "É notável esta duplicação em apenas três anos", afirma Tim Kelly, responsável da Unidade de Política e Estratégia da UIT.
--
[...]
--
Texto completo em Público.PT

quarta-feira, 6 de dezembro de 2006

Livros sob demanda


0 Comentários

Terça-feira, 05 de dezembro de 2006 - 17h15
Fonte: Info Online
URL: http://info.abril.com.br/aberto/infonews/122006/05122006-14.shl
SÃO PAULO – A HP anunciou, nos Estados Unidos, um serviço que permitirá realizar os sonhos de milhões de escritores amadores pelo mundo.
O serviço permitirá a impressão de livros on demand a partir de arquivos digitais. De acordo com a companhia, a técnica de impressão em média escala a partir de arquivos digitais não é novidade, mas sua exploração comercial por uma grande empresa como a HP é um fato novo.
O serviço permitirá aos escritores enviar planilhas de texto para a empresa e definir a tiragem que deseja. O serviço permite imprimir, por exemplo, apenas 30 cópias de um romance autoral, para que tem planos apenas de compartilhar a obra com amigos e familiares.
A HP disse ainda que vai explorar o serviço em parceria com a livraria virtual Amazon para a impressão de livros raros ou obras que constam como esgotadas no catálogo da livraria online.
Livros com baixas vendas, poderão ser impressos em tiragens mínimas (um ou dois exemplares) apenas para atender ao pedido de um único cliente. A HP espera que o serviço esteja disponível nos Estados Unidos no início de 2007.

Portugueses aprovam Plano Tecnológico


0 Comentários

Entre as medidas que mais agradam estão a ligação em banda larga de todas as escolas do País e também o Cartão do Cidadão.

--

A existência do Plano Tecnológico já é do conhecimento dos portugueses, com mais de 78 por cento a reconhecerem que «já ouviram falar dele» e, destes, 62% a garantirem mesmo que «sabem em que consiste» o referido Plano. Os valores são do «Estudo sobre Serviços Públicos Online e Plano Tecnológico», elaborado pela Netsonda em parceria com a Inforfi e que dá ainda conta que este pacote de medidas do Governo tem um elevado nível de aprovação. Neste sentido, 85% dos inquiridos disseram considerar o Plano Tecnológico «importante ou muito importante», apontando termos como “modernização”, “inovação”, “competitividade”, “desburocratização” ou “conhecimento” para o definirem.

--

Notícia completa: Semana Informática

E eu pergunto: Será que os serviços públicos online são assim tão bons? O que é que o governo está a fazer para dotar a população de mais competências no domínio da literacia digital? Será que o plano nacional de leitura chega? Será que o poder local, por estar mais próximo da população, não devia ser incumbido de algumas responsabilidades neste contexto?


No que respeita à nossa área, será que os serviços públicos online suportados pelos Arquivos, Bibliotecas e Centros de Documentação são de qualidade? Existe alguma avaliação rigorosa dos mesmos, visando uma maior aplicação das boas práticas?


A disponibilização de um website não pode ser confundido com um serviço, este constitui-se apenas como a porta de acesso à organização por parte dos utilizadores dentro do espaço de fluxo. É através desta "porta" que os Arquivos, Bibliotecas e Centros de Documentação devem planear e disponibilizar serviços ao utilizador, visando um maior acesso à informação e consequente satisfação dos mesmos. Será que em Portugal existe uma política clara e aberta para o acesso à informação? Será que se faz tudo o que está ao nosso alcance?

Google estuda aquisições em Portugal


0 Comentários

A maior empresa de pesquisa da Internet quer fazer aquisições no mercado português ou crescer através de parcerias. Anil Hansjee, responsável europeu para o desenvolvimento corporativo, revelou hoje à edição “Diário de Notícias” que veio a Portugal para "para conhecer empresas, investidores e business angels inovadores, mas também para estudar aquisições ou parcerias no mercado".
--

Apesar da pesquisa ser o core business da empresa criadora do maior motor de busca a nível mundial, o responsável também anda à procura de outras "que sejam uma espécie de extensão à pesquisa, ou seja, em áreas de busca de vídeos, informação visual, mapas, entre outros".
--

Antes de fazer qualquer aquisição no mercado, a empresa veio conhecer os pontos positivos e negativos do País. "É um mercado pequeno, pode ser bom para testar modelos de negócio, o que é difícil nos grandes", afirmou o mesmo responsável.
--

terça-feira, 5 de dezembro de 2006

Riscos para a privacidade na Internet são a maior ameaça da era digital


0 Comentários

O modo de vida digital já é dominante em muitas áreas - no lazer, por exemplo. E mais dominante se irá tornar. Mas este boom não pode fazer esquecer que há aspectos do mundo digital "que têm sido relativamente negligenciados" e não têm acompanhado as evoluções tecnológicas. É o caso da segurança e da privacidade, que envolvem riscos e exigem respostas urgentes. O alerta vem da União Internacional das Telecomunicações no relatório sobre o "estado do mundo digital" em 2006.
--

Em 1993, Peter Steiner publicou na revista The New Yorker um cartoon com um cão sentado ao computador e a legenda "Na Internet, ninguém sabe que és um cão". Passaram treze anos, e hoje - apesar de tudo - parece ser mais fácil saber quem está à frente do teclado, nota a União Internacional das Comunicações (ITU) no relatório em que faz o balanço do que chama "vida digital" em 2006.Primeiro foi um computador para muita gente. Depois, o mote passou a ser um computador por cada pessoa. Agora já se fala na ubiquidade do digital: uma pessoa, várias máquinas, a rede por todo o lado. "É um novo paradigma da era digital, em que a informação e as comunicações estarão embutidas no ambiente à nossa volta", conclui o relatório da ITU. Um futuro que trará vantagens, certamente, mas também novos problemas, a começar pela privacidade e pela segurança on-line.
--
[...]
--
Texto completo em Público.PT

segunda-feira, 4 de dezembro de 2006

Licenças Creative Commons ganham enquadramento jurídico em Portugal


0 Comentários

É uma filosofia de partilha. Uma nova forma de entender os direitos de autor. São soluções adaptadas a um mundo tecnológico em mudança. A partir de hoje as licenças Creative Commons têm enquadramento jurídico em Portugal.
--

Os românticos dirão que é uma forma de partilhar conhecimento e os pragmáticos que se trata de adaptar as leis de propriedade intelectual, num contexto de mudança, à realidade do mundo tecnológico. É ambas. A partir de hoje as licenças Creative Commons, uma nova forma de entender os direitos de autor, passam a estar adaptadas ao enquadramento jurídico português.
--
As Creative Commons são licenças flexíveis de propriedade intelectual que permitem a quem recebe uma criação cultural ou tecnológica, copiá-la, distribuí-la ou modificá-la, garantido, no entanto, o reconhecimento da sua autoria. Com estas licenças, os autores definem quais os direitos que querem ceder das suas obras (se podem fazer uso comercial dela ou modificá-la, por exemplo), disponibilizando-as gratuitamente na Rede. O conceito, colocado em prática desde 2002, apesar de ainda ser minoritário, já é hoje opção para milhões de músicos, cientistas, artistas visuais, informáticos, jornalistas ou professores.
--
[...]
--
"As "Creative Commons" facilitam a inovação e a partilha de conhecimento. É esse o seu maior potencial. Permitem a terceiros recriar obras originais, fazendo com que cada vez mais indivíduos participem em processos criativos, com implicações a um nível global", afirma Pedro Oliveira, professor da Universidade Católica, um dos principais dinamizadores do conceito em Portugal. "Para mim é uma questão ideológica, no sentido em que todos os criadores se reapropriam das criações de outros, mas é também uma questão de enquadramento", diz o artista plástico e músico João Paulo Feliciano, que no catálogo da exposição The Possibility Of Everything, em exibição na Culturgest, Lisboa, optou por utilizar uma licença destas. "A exposição está cheia de fragmentos, de coisas das quais me apropriei de outros. Não era eticamente aceitável que depois impedisse a utilização dessas coisas por outras pessoas", exemplifica.
--
[...]
--
Notícia completa em Público.PT

Festa da Poesia - Biblioteca Municipal Florbela Espanca, Matosinhos


0 Comentários


Informação disponibilizada pelo André Rodrigues Viana, profissional da informação da BMFE

sábado, 2 de dezembro de 2006

Municípios recuperam documentos históricos


0 Comentários

Esquecidos, em muitos casos, durante décadas, os documentos produzidos pelos municípios têm, ultimamente, sido vistos com outros olhos pelas autarquias, alterações de comportamento a que não serão alheios apoios da tutela com vista à salvaguarda e divulgação desse património, com séculos de história. (Ler artigo aqui)

quinta-feira, 30 de novembro de 2006

Investigadores querem criar arquivo de Web portuguesa


1 Comentários

Um grupo de investigadores da Faculdade de Ciências de Lisboa defende a necessidade de criar um arquivo das páginas Web portuguesas, feito por uma instituição dedicada e com funcionários permanentes.(Ler aqui)

quarta-feira, 29 de novembro de 2006

A Biblioteca Municipal de Espinho vai comemorar o DIA INTERNATIONAL DO DEFICIENTE


1 Comentários

Dia 3 de Dezembro (Domingo) - às 15h30, com o COLÓQUIO BIBLIOTECA PARA TODOS e o início de um novo serviço de Internet para Defecientes Motores, Invisuais e Ambliopedes.

O Programa do COLÓQUIO BIBLIOTECAS PARA TODOS conta com a participação de:

- Drª Susana Gonçalves - da Biblioteca Municipal de Matosinhos - Cooperar para Integrar - Grupo de Trabalho dos Públicos com Necessidades Especiais -Deficientes Visuais (anexo comunicação)

- Drª Susana Vale - da Biblioteca Municipal de Gaia -Apresentação dos Serviços Especiais/ Biblioteca Sonora de Gaia

- Drª Mónica Martins - Centro de Reabilitação Profissional de Gaia - irá falar das Acessibilidades dos Deficientes e o Mercado de Trabalho

- Drª Ana Bacelo - Lic Psicologia - irá falar das acessibilidades na Cidade de Espinho e os deficientes

- Jorge Cunha - Téc. Adj BD Biblioteca de Espinho - irá falar das acessibilidades à Biblioteca Municipal e novos serviços.

- Drª Rosa Couto - irá falar dos 30 anos da CERCIESPINHO e o seu papel com os Deficientes
Estará patente, igualmente, durante todo o mês de Dezembro, uma EXPOSIÇÃO SOBRE AS BIBLIOTECAS MUNICIPAIS DA ÀREA METROPOLITANA DO PORTO.

--



Informação disponibilizada pela Drª Isabel Sousa

terça-feira, 28 de novembro de 2006

Transição digital reduz número de bibliotecários


0 Comentários

Notícia preocupante relativa às mudanças ocorridas no quadro de pessoal da maior biblioteca do mundo, a Library of Congress (LC), foi publicada no periódico “American Libraries” (v. 37, n. 8, September 2006, p. 10). Essas mudanças foram ocasionadas pela crescente ênfase nas iniciativas digitais introduzidas naquela biblioteca e que já provocaram os seguintes resultados:
a) aposentadoria de 200 funcionários que utilizaram os incentivos das aposentadorias voluntárias para aqueles profissionais que acreditavam “estarem mais confortáveis com a Biblioteconomia tradicional” e que não gostariam de aprender novas competências tecnológicas;
b) redução de 12 dos 59 cargos técnicos do Congressional Research Service da LC.
A LC pretende contratar, a partir de agora, bibliotecários que possuam as “habilidades da era digital”. Assim, como todas as outras profissões, o bibliotecário precisa se atualizar com as novas tecnologias para poder exercer, em toda a plenitude, as oportunidades que já estão surgindo no mercado. As associações de bibliotecários e as escolas de biblioteconomia precisam aumentar, com uma certa urgência, a oferta desses tipos de cursos para facilitar a reciclagem daqueles graduados em épocas passadas.
Murilo Cunha

sexta-feira, 24 de novembro de 2006

Lançamento de obra "Introdução à Preservação Digital - Conceitos, estratégias e actuais consensos"


0 Comentários

--

A Escola de Engenharia da Universidade do Minho promove o lançamento do livro "Introdução à Preservação Digital – Conceitos, estratégias e actuais consensos", da autoria de Miguel Ferreira, investigador no Departamento de Sistemas de Informação da Universidade do Minho.
--
A obra será apresentada pelo Dr. Eloy Rodrigues, no próximo dia 28 de Novembro (terça-feira), no âmbito da "2ª Conferência sobre o Acesso Livre ao Conhecimento". Este evento realizar-se-á no Anfiteatro B1 do Complexo Pedagógico II, da Universidade do Minho em Gualtar, Braga.
--
Esta publicação tem como objectivo descrever e contextualizar as principais iniciativas que visam solucionar o problema da obsolescência tecnológica que ameaça o acesso continuado ao património intelectual, científico, histórico e artístico actualmente produzido em formatos digitais. O seu público-alvo são profissionais ou estudantes da área das ciências da informação e preservação do património, como arquivistas, bibliotecários e informáticos.
--
Esta obra será publicada em “Acesso Livre” o que significa que será disponibilizada de forma livre e gratuita na Internet permitindo a qualquer utilizador ler, descarregar, copiar, distribuir, imprimir, pesquisar ou referenciar o texto integral documento. O livro poderá ser descarregado na sua totalidade a partir do repositório da Universidade do Minho em http://hdl.handle.net/1822/5820.
--
Informação disponibilizada pelo Dr. Miguel Ferreira, Universidade do Minho.

quinta-feira, 23 de novembro de 2006

Biblioteca digital preserva obras angolanas


0 Comentários

A Biblioteca Nacional de Portugal vai colaborar na criação de uma rede nacional de dados bibliográficos em Angola, que permitirá reforçar a presença da língua portuguesa na Internet, anunciou, em Luanda, Jorge Couto, director da biblioteca nacional portuguesa.
--
Notícia completa em: Sapo

quarta-feira, 22 de novembro de 2006

A Web 2.0, as Bibliotecas Digitais e o Manifesto dos Bibliotecários 2.0


0 Comentários

Por causa de uma aula de Analise Documental lembrei-me da problemática da Web 2.0 e as Bibliotecas Digitais bem como o papel dos bibliotecários nisso tudo.
Deixo alguns link’s sobre o assunto(em francês, espanhol e inglês).




In bibliobsession.free.fr


Do site www.infogestores.cl

- Diversificación de servicios para bibliotecas digitales: bibliotecas 2.0



Do site http://liblogs.albany.edu/library20

Manifesto dos Bibliotecários 2.0

terça-feira, 21 de novembro de 2006

Vamos controlar os computadores com a voz e as mãos, prevê Bill Gates


0 Comentários

A próxima grande revolução na área da informática não terá a ver com o conteúdo da Internet como tantos advogam, antes consistirá em alterar a forma de interagir fisicamente com os computadores, antecipa o fundador da Microsoft em declarações publicadas pelo jornal inglês The Observer.
--
O rato e o teclado serão gradualmente substituídos por novas tecnologias intermediárias para a interacção entre utilizador e computador. Bill Gates imagina que essa interacção deverá começar antes a ser feita verbalmente, através do tacto ou gestos com a mão.
--

«O ritmo de inovação nos próximos dez anos será muito mais rápido que o registado até agora», afirmou Gates que, à semelhança da personagem de Tom Cruise no filme Relatório Minoritário, se imagina em breve numa sala a aceder a todo o tipo de informação através de simples gestos manuais.
--

«No futuro, todas as secretárias e todas as mesa deverão ter esse tipo de tecnologia incorporada», antevê Bill Gates que revelou ainda sonhar com um futuro marcado pelo desaparecimento do papel. O artigo pode ser lido a partir daqui.
--

sexta-feira, 17 de novembro de 2006

Novo logótipo do blog


1 Comentários

A partir de hoje, o blog passa a dispor de um logótipo mais moderno, com uma imagem mais agradável. O logo foi concebido pelo meu caro colega e amigo Ricardo Pinheiro. É mais um profissional da informação que está agora no mercado de trabalho, depois de ter concluído a Licenciatura em Ciência da Informação, FLUP-FEUP, Porto. Aqui fica o agradecimento público pela sua prestimosa colaboração.

Um grande abraço,
Paulo Sousa

Apresentação do RODA no 4º Congresso Nacional da AP


0 Comentários

Apresentação do RODA
(Repositório de Objectos Digitais Autênticos)

Sobre o RODA

O IAN/TT não dispõe actualmente de estruturas que suportem os processos de incorporação e gestão de informação de arquivo electrónica produzida no contexto da Administração Pública.

As iniciativas do Governo Electrónico determinam dever a AP cada vez mais basear a sua actividade no processo de negócio electrónico no intuito de agilizar processos e assegurar um serviço mais rápido, completo e transparente para o cidadão. Neste cenário torna-se claro o crescimento de produção de objectos digitais objectos esses que deverão ver assegurados o seu valor evidencial, autenticidade. Além de que enquanto testemunhos das actividades desenvolvidas pelas Organizações públicas constituirão parte deles a memória social e patrimonial.

Neste sentido o IAN/TT deve envidar os maiores esforços no sentido de desenvolver processos, ferramentas e recursos capazes de dar resposta às necessidades de preservação dos objectos digitais produzidos na AP e que cuja conservação continuada seja considerada como justificada.

O objectivo deste projecto é promover e concretizar o estudo de uma solução ultimada na construção de um protótipo exemplificativo da solução encontrada que compreenda as vertentes técnica e tecnológica capaz de vir posteriormente a desenvolver-se na escala necessária para responder cabalmente às necessidades das organizações no que respeita à transferência de objectos digitais de conservação permanente.

Procura-se desta forma iniciar um processo que leve o IAN/TT a responder às solicitações governamentais e comunitárias no contexto do governo electrónico.
Fonte: RODA
É um excelente projecto de investigação, o qual aconselho a todos a acompanhar mais de perto. Até ao momento já foram disponibilizados 2 relatórios técnicos. O primeiro trata do "planeamento e análise", abordando os vários esquemas de metadados de preservação digital, ferramentas, etc. e o segundo centra-se na "análise e especificação de requisitos".

quinta-feira, 16 de novembro de 2006

Sistema permite operar PC com o olhar


0 Comentários

Terça-feira, 14 de novembro de 2006 - 14h42

SÃO PAULO - A Universidade de Saga, no Japão, apresentou esta semana um novo sistema que permite a usuários operar um PC comum apenas com os movimentos dos olhos.
O sistema, apresentado pelo pesquisador Kohei Arai, baseia-se no uso de um monitor especial e uma câmera instalada no monitor, além de um software específico.

O software carrega na parte inferior do monitor um teclado virtual. O programa permite ainda reconhecer para qual tecla o usuário está olhando e acioná-la. Arai diz que o sistema representa um avanço em relação a pesquisas anteriores, já que não exige o uso de máscara nos olhos e ,é, portanto, menos invasivo.

A idéia da Universidade de Saga é desenvolver aplicações para hospitais e clínicas, a fim de permitir a pacientes imobilizados ou sem voz poder acionar comandos remotamente ou pedir ajuda com o movimento dos olhos. O invento, acredita Arai, abre espaço para o desenvolvimento de novas formas de operar o PC, dispensando o uso das mãos e comandos de voz.

Fonte: Felipe Zmoginski, do Plantão INFO

quarta-feira, 15 de novembro de 2006

Motores de pesquisa ajudam médicos nos diagnósticos


0 Comentários

Os pacientes não são as únicas pessoas que recorrem à Internet para encontrarem informações médicas.
--

A pesquisa na rede mundial de computadores com a ajuda de sistemas de buscas como o Google pode também ser um instrumento de auxílio de médicos no diagnóstico de estados de saúde complexos, afirmaram cientistas australianos na passada sexta-feira. "O nosso estudo sugere que em casos difíceis é útil recorrer aos sistemas de busca para a diagnóstico", disse Hangwi Tang, do Princess Alexandra Hospital, em Brisbane à agência Reuters.
--

Para testar o quanto o Google pode servir aos médicos, Tang e os seus colegas seleccionaram três a cinco termos de busca relacionados a 26 casos de doenças de difícil diagnóstico publicados num jornal de saúde. Depois da pesquisa no mecanismo de busca ter listado no topo da página dos resultados respostas que pareciam ser adequadas aos sintomas uma comparação com os diagnósticos correctos descobriu que as respostas do Google tinham informações correctas em 15 dos casos (equivalente 58 por cento do total).
--

"Mecanismos de busca como o Google estão a tornar-se as mais recentes ferramentas da medicina e os médicos têm de tornar-se eficientes na sua utilização", disse Tang num estudo publicado pelo British Medical Journal.
--

terça-feira, 14 de novembro de 2006

VAGA GARANTIDA NO MERCADO


0 Comentários

Uma boa notícia para quem tem interesse em se formar em Biblioteconomia e Ciência da Informação. A profissão tem um invejável índice empregabilidade: cerca de 90% dos estudantes conseguem estágios ou empregos nos primeiros anos de curso.



Para atuar na área, o aluno deve estar em dia com novas tecnologias. Desde o início da formação, o estudante tem que passar pelos laboratórios, conhecer os sistemas de informação e os programas para tratamento de conteúdo, além de entender da representação e organização de conhecimento.



O professor Antônio Miranda explica que o profissional se tornou um tecnólogo, da área de ciência da informação que trabalha com sistemas de informação.



"Em Brasília, somos poucos, cerca de 40 alunos por semestre. Ao contrário de outras profissões, em que há desequilíbrio entre oferta e procura", diz, acrescentando que há mercado porque a área da informação é a de maior empregabilidade no mundo.

Portugal assinala Dia Mundial da Usabilidade com site colaborativo


0 Comentários


Chama-se “Vida Fácil” e será activado amanhã pela Associação Portuguesa de Profissionais de Usabilidade com o objectivo de assinalar aquela que será a segunda comemoração oficial do Dia Mundial da Usabilidade.
--

Através do novo site qualquer pessoa poderá contribuir com relatos de situações e objectos que lhes tornam a vida mais fácil ou mais difícil, com destaque para programas de software, equipamentos informáticos ou páginas web. Por todo o mundo, mais de 200 eventos terão lugar em 40 países, sob o tema “Tornando a Vida Mais Fácil”. Em Portugal, o evento terá início pelas 16h30m, no Anfiteatro 1 da Faculdade de Motricidade Humana da Universidade Técnica de Lisboa. A entrada é livre.
--

Quem quiser acompanhar on-line as comemorações do Dia Mundial da Usabilidade poderá fazê-lo através do endereço http://www.worldusabilityday.com/ou através do endereço oficial da Associação Portuguesa de Profissionais de Usabilidade em www.usabilidade.org.
--

segunda-feira, 13 de novembro de 2006

Governo disponibiliza Net grátis por considerar serviço caro


0 Comentários

O ministro da Ciência e Tecnologia , Mariano Gago, defendeu no passado dia 4, em Lisboa, a necessidade da criação de espaços gratuitos de ligação à Internet, por considerar que o acesso ainda é caro para a maioria dos portugueses. «Queremos Internet mais barata, mas é preciso não esperarmos por isso, é preciso criar espaços públicos e é por isso que hoje a Internet é gratuita e existe em todas as escolas, é por isso que está nestes ‘Espaços Internet’, com acesso livre e gratuito», sustentou.
--
Notícia completa em Diário Digital

Portugal quer proibir TVs com mais de 50% de audiência


2 Comentários

O governo português quer limitar a cota de mercado das empresas de comunicação a um máximo de 50% por segmento, anunciou ( 3/10) o ministro português dos Assuntos Parlamentares, Augusto Santos Silva. Essa é uma das principais medidas previstas no anteprojeto de lei sobre os limites à concentração nas empresas de comunicação que foi apresentado na Assembléia da República e que estará em consulta pública até 30 de novembro.
--
Notícia completa em: JBCC

quinta-feira, 9 de novembro de 2006

Jornais de folhas de papel electrónicas flexíveis podem estar para breve


1 Comentários


Folha de papel electrónica dobrável para livros e jornais pode ser uma realidade brevemente. Cientista norte-americano apresenta um novo material à escala nanométrica transparente, flexível e electrónico, na publicação científica Journal of the Materials Chemistry.
--
Fonte: BAD

quarta-feira, 8 de novembro de 2006

Pesquisa Social - O futuro da Web?


0 Comentários

Está a surgir uma nova moda na web: pesquisar em páginas designadas por motores de pesquisa social, em vez de pesquisar sempre no Google ou num qualquer outro motor de pesquisa tradicional.
--
Em ambos os casos, o utilizador escreve numa caixa de texto o que procura, carrega num botão e obtém uma lista de resultados. A diferença está na forma como essa lista de resultados é obtida. Nos motores de pesquisa tradicional os resultados são obtidos por um algoritmo que se baseia sempre nos mesmos critérios, como a densidade com que essas palavras surgem no conteúdo do site ou o número de links para esse site. Nos motores de pesquisa social, não são critérios objectivos como estes que contam, mas sim as opiniões subjectivas dos seus utilizadores.
--
As opiniões dos utilizadores são dadas nos diversos motores de pesquisa social de formas muito diferentes entre si. Podemos, por isso, considerar diversos tipos motores de pesquisa social. Os mais simples são os que se baseiam na partilha das páginas favoritas, como:
--
--
Este site baseia-se nas recomendações de notícias e outros conteúdos feitas pelos seus utilizadores. Cada artigo é votado através do link “Digg it!” que surge ao seu lado e o destaque que lhe é dado aumenta com o número de votos recebidos. É também possível votar contra um artigo, através do botão “Bury”, que tem o efeito contrário ao de um “Digg”.
--
Os artigos são ainda classificados dentro das categorias do site: Tecnologia, Ciência, Internacional&Negócios, Desporto, Vídeos, Entertenimento e Jogos.
A popularidade crescente do Digg faz com que um conteúdo que surja na primeira página receba imensas visitas e também muitos novos links de outros sites (entre 500 a 1000 no espaço de algumas horas em que cada artigo se mantém na primeira página).
--
Artigo completo em: NESI

terça-feira, 7 de novembro de 2006

COMPUTAÇÃO EM 2016: O QUE MAIS VEM POR AÍ?


0 Comentários

A tecnologia já modificou o que pode ser visto ou simulado; ainda há muitas novidades previstas para as ciências sociais

(...)O que mais vem por aí? Esse foi o tema de um simpósio realizado em Washington, neste mês, pelo "Computer Science and Telecommunications Board", que integra a "National Academies" e é o principal conselho consultor em ciência e tecnologia dos EUA. Joseph F. Traub, presidente do conselho e professor da Universidade de Columbia, intitulou o simpósio de "2016"(...)



Interessante artigo do jornal New York Times que se pode ler em português no site Globo.com

segunda-feira, 6 de novembro de 2006

Idosos de Portugal e Brasil unidos online em videoconferência


0 Comentários

Cerca de 400 idosos portugueses e brasileiros participaram na passada sexta-feira e sábado numa videoconferência que visou motivar esta faixa etária para a utilização das novas tecnologias, segundo os organizadores da iniciativa. Na primeira edição da Videoconferência Mundial, que decorreu no Dia Nacional dos Avós, os idosos manifestaram grande interesse pela iniciativa e pediram para que fosse repetida.
--

sexta-feira, 3 de novembro de 2006

Orientações para a gestão de documentos de arquivo no contexto da reestruturação da Administração Central do Estado


0 Comentários

O Instituto dos Arquivos Nacionais/Torre do Tombo (IAN/TT) disponibilizou em meados de Setembro um conjunto de orientações para apoiar a gestão de documentos de arquivo dos organismos da Administração Central do Estado que se encontrem envolvidos em situações de reestruturação. Aceda aqui ao documento: [pdf] - 1MB
--
Fonte: IANTT

quinta-feira, 2 de novembro de 2006

Informação de qualidade precisa-se


0 Comentários

Mais do que, simplesmente integrar os dados, as empresas devem assegurar-se de que estes têm qualidade.
--
De acordo com o sales director da Business Objects em Portugal, Rui Gaspar, a fraca qualidade dos dados pode implicar «um mau serviço ao cliente, impedir o aumento das receitas e da produtividade, afectar as operações, bem como a tomada de decisões». Segundo este responsável, as organizações necessitam de aceder, integrar e analisar dados de várias fontes e para este processo ser eficaz a informação «precisa de ser exacta».
--
Algumas empresas, as apelidadas de mais inovadoras, já reconheceram a importância de construir uma base de informação integrada e de qualidade, e, em muitos casos, já adoptaram soluções de gestão de informação empresarial Enterprise Information Management (EIM). No entanto, há ainda um grande número de organizações que não assumiu a importância da qualidade dos dados.
--
Notícia completa em Semana Informática

terça-feira, 31 de outubro de 2006

Raios de luz teletransportam informação, anunciam cientistas dinamarqueses


1 Comentários

Por Lúcia Vinheiras Alves
do Portal de referência NDC/UFF.


Cientistas dinamarqueses conseguem dar corpo a rede de comunicação quântica com uma experiência bem sucedida de teletransporte de informação. Os resultados da experiência estão publicados na edição de 05 de Outubro da revista científica Nature e são um importante avanço para as novas redes de comunicação do futuro.

Pensar que os bits, 0 e 1, dos computadores podem ficar rapidamente obsoletos, é uma ideia que começa a tomar forma com os novos avanços tecnológicos e o recurso à ciência quântica. Cientistas do Niels Bohr Institute (NBI), na University of Copenhagen, na Dinamarca, anunciam bons resultados no teletransporte de informação através de uma rede de comunicação quântica, capaz de transportar grandes quantidades de informação com total segurança.

«O teletransporte vai revolucionar a comunicação computacional», afirma Eugene Polzik, cientista do NBI, citado em comunicado da instituição e acrescenta que, «a informação não vai ser codificada e tratada em 0 e 1 bits como acontece hoje, mas antes em estados quânticos nos quais podem existir simultaneamente e em sobreposição estados de 0, 1, 2, etc». O cientista adianta ainda que «desta forma as redes de comunicação podem transferir muito mais informação do que com os bits normais» e, para além disso, «outra característica importante é que a troca de informação vai ser completamente segura».

Com o recurso à interligação de luz e átomos, os cientistas dinamarqueses dizem ter sido capazes de teletransportar informação através da luz, de um ponto A para um ponto B, a uma distância de aproximadamente um metro sem qualquer meio de ligação.

«O ponto B é uma célula de vidro que contem vapor de átomos césios. Este envia um raio de luz através do gás e como resultado os dois sistemas (átomos e luz) ficam interligados», explicam os cientistas, de acordo com comunicado do NBI.

«Esta interligação é um fenómeno fundamental no mundo quântico microscópico (um quântico refere-se a um objecto invisível e, no nosso caso, a átomos de gás e aos fotões que constituem a nossa luz», referem os especialistas e adiantam que, «ficar interligado significa que (átomos e fotões) estão ligados por um meio quântico que os sincronizam».

Os cientistas explicam que na experiência, cujos resultados estão publicados na Nature, o ponto A não contém qualquer informação quântica útil até que é atingido por um fraco pulso de luz que faz o teletransporte dessa informação. «A informação está contida na onda de luz», explicam os cientistas e acrescentam que, «a amplitude dá a intensidade da luz e do comprimento de onda (fase) a sua cor».

No entanto, apesar dos dois tipos de informação quântica serem transportados pela luz, não podem ser registados em simultâneo nem decifrados de forma imediata. Numa fase intermediária, quando os dois raios de luz se encontram e são misturados - ou seja, aquele que interliga a célula no ponto B com a informação quântica - o ponto A faz a medição dos dois, apesar desta medição não permitir decifrar a informação.

«O passo seguinte é para o ponto A entrar em contacto com o ponto B, dando ao ponto B, os resultados da medição do ponto A na luz», explicam os cientistas e adiantam que, «devido à ligação quântica que um dos raios medidos teve com os átomos no ponto B, é possível que ponto B decifre a informação e o resultado é que agora o B, tem a informação que foi teletransportada pela luz».

A experiência dos especialistas dinamarqueses implica um teletransporte de informação num espaço de 50 centímetros, o que os leva a acreditar, que este é o primeiro passo para compreender como as redes de informação do futuro, com base no teletransporte, poderão funcionar.

(Fonte: TV - Ciência On-line - 23-10-2006 18:10 ) Data de publicação: 10/30/2006

segunda-feira, 30 de outubro de 2006

UNESCO debate riscos de fragmentação da internet e para a liberdade de expressão no ciberespaço no Fórum sobre a Gestão da Internet


0 Comentários

Como evitar a fragmentação da internet, garantir o livre fluxo de informação no ciberespaço e respeitar o direito humano básico de liberdade de expressão na web. Estas são algumas das questões cruciais a serem tratadas na primeira reunião do Fórum sobre Governança na Internet, que será realizada em Atenas de 31 de outubro a 2 de novembro de 2006.
--

“A revolução da internet, que permite inúmeras pessoas de todos os estilos de vida comunicar, trocar informação e idéias além das barreiras geográficas, sociais e culturais, oferece um potencial sem precedentes para o desenvolvimento de indivíduos e comunidades”, observa o Diretor-Geral da UNESCO Koichiro Matsuura.
--

Entretanto, ele alerta: “Esse potencial, que já melhorou as vidas de tantas pessoas em todo o mundo, depende da abertura e do respeito pelos direitos humanos. A internet não cumprirá sua função se questões políticas e problemas técnicos, como a definição de nomes de sítios de internet, forem usados para erguer barreiras intransponíveis no ciberespaço, impedindo as pessoas de exercer a liberdade de expressão e de escolher livremente a informação que desejam compartilhar.”
--
[...]
--
Desde a sua criação há 60 anos, a UNESCO tem se preocupado com a promoção do livro fluxo de idéias por palavra e imagem. Ao fim da Cúpula Mundial da Sociedade da Informação (CMSI, em Tunis, 2005), o Compromisso e a Agenda de Tunis para a Sociedade da Informação reconheceram que a liberdade de expressão e o livre fluxo de informação, idéias e conhecimento são essenciais para a sociedade da informação e o desenvolvimento, juntamente com acesso à informação, respeito à diversidade cultural e lingüística e ao papel da mídia. A CMSI também convidou a UNESCO para contribuir para o desenvolvimento de: capacitação, acesso à informação e ao conhecimento, educação eletrônica, ciência eletrônica, diversidade cultural e lingüística e conteúdo aberto, mídia, dimensões éticas da sociedade da informação e cooperação internacional e regional.
--
Consultar notícia complena em: OSI.UNESCO

O Contador de Histórias


0 Comentários

Porque contar uma história a uma criança é muito mais o que repetir palavras O Contador de Histórias continua a percorrer o país com a sua Oficina de sobrevivência para pais contadores de histórias.
--

Com mais de 60 sessões realizadas no espaço de um ano, esta iniciativa tem como objectivos dar a conhecer as potencialidades do livro, a importância da leitura e os diversos mecanismos que permitem tornar a história mais animada e interessante para quem ouve.
--

Durante três horas, pais e outros interessados podem descobrir dezenas de livros, como os escolher, como conseguir que se transformem em momentos de animação e, sobretudo, como as crianças ouvem as histórias que contamos.
--
A Oficina de sobrevivência para pais contadores de histórias tem estado integrada no Programa de Itinerâncias Culturais do Instituto Português do Livro e das Bibliotecas e tem sido conjugada com o Projecto O Meu Brinquedo é um Livro, da Associação de Professores de Português e da Associação de Profissionais de Educação e Infância.

quinta-feira, 26 de outubro de 2006

Será que uma maior reflexão sobre o universo “INFORMAÇÃO” redunda em mais inovação?


0 Comentários

Rede Inter Concelhia de Bibliotecas Escolares - Viana do Castelo e Ponte de Lima


0 Comentários

Foram lançadas as bases para a constituição da Rede Inter Concelhia de Bibliotecas Escolares - RIBE - Viana do Castelo e Ponte de Lima.



A iniciativa teve lugar na Escola EB1 da Abelheira - Viana do Castelo (Portugal) e contou com a presença de representantes das seguintes entidades:

  • Municípios de Viana do Castelo e de Ponte de Lima
  • VALIMAR
  • Bibliotecas Públicas e Bibliotecas Escolares da região
  • Agrupamentos de Escolas
  • Escolas Secundárias
  • Associações de Pais e Encarregados de Educação
  • Associações Locais
A reunião, que congregou perto de 80 pessoas, contou ainda com a presença de representantes da DREN, da Rede de Bibliotecas Escolares, da Fundação Calouste Gulbenkian, da Escola Superior de Educação de Viana do Castelo e do LIBEC - Centro de Investigação em Promoção da Literacia e Bem-Estar da Criança/Universidade do Minho.



quarta-feira, 25 de outubro de 2006

O Japão e a Ciência da Informação (uma perspectiva)


0 Comentários

Areas of Information Science


Ver NAIST

Detector científico


0 Comentários

Detector científico

23/10/2006

Por Fábio de Castro



Agência FAPESP - O Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor) da Universidade de Campinas (Unicamp) desenvolveu um sistema capaz de detectar automaticamente matérias de ciência e tecnologia na mídia impressa, possibilitando uma avaliação da cobertura jornalística em termos quantitativos e qualitativos.



O mecanismo, batizado de Sapo (Science Authomatic Press Observer), foi apresentado na sexta-feira (20/10) durante o seminário “Estratégias para a divulgação científica na sociedade do conhecimento”, em São Paulo.



“Ele é capaz de ‘farejar’ edições on-line de jornais e descobrir onde está a ciência. Trata-se de um banco de dados que coleta, seleciona e organiza os conteúdos de ciência e tecnologia”, explicou Yurij Castelfranchi, do Labjor, um dos responsáveis pela criação do sistema.



O Sapo foi desenvolvido durante três anos, em conjunto com a empresa Solis - Cooperativa de Soluções Livres, do Rio Grande do Sul. O projeto teve apoio da FAPESP no âmbito do projeto “Ciência & tecnologia, comunicação e sociedade: Questões de C&T na mídia nacional”.



A ferramenta foi projetada para percorrer o conteúdo dos jornais Folha de S. Paulo, Estado de S. Paulo, Jornal do Brasil e O Globo, disponíveis na internet a assinantes. Considerando apenas o texto da versão impressa, o Sapo extrai as matérias que contêm termos de uma lista de palavras-chave cuidadosamente selecionadas a partir de sua tipicidade no discurso científico.



“Essas palavras-chave são agrupadas em cinco filtros: disciplinas, instituições, prática da ciência e palavras técnicas de humanas ou exatas. Esse último filtro, por exemplo, inclui palavras do tipo ‘nanotecnologia’ ou ‘aftosa’, por exemplo”, disse Castelfranchi à Agência FAPESP.



O sistema aplica uma pontuação às matérias selecionadas e define o que é texto científico, o que não é e o que precisa ser inspecionado por um observador humano. Segundo os responsáveis pela ferramenta, o índice de precisão na detecção de matérias científicas é maior que 95%.



Em todos os cadernos



Ao aplicar o sistema aos diários brasileiros, os pesquisadores obtiveram um dado surpreendente: a maior parte das reportagens com temas científicos e tecnológicos não está nos cadernos de ciência dos jornais, mas dispersa em outras editorias. É como se a ciência fosse um grande tema transversal.



“A difusão tradicional da ciência é importantíssima. O resultado obtido pelo Sapo mostra que a ciência, fisiologicamente, está sendo apropriada pela sociedade. Ela já é cultura”, disse o pesquisador.



Comparando uma série histórica, com o Sapo pesquisadores poderão detectar o ritmo em que a ciência penetra a sociedade. O sistema, segundo Castelfranchi, poderá ser adaptado para outras áreas além da ciência, sendo potencialmente útil para vários tipos de pesquisas em comunicação. “Ele permite avaliar e medir tendências gerais na cobertura de qualquer temática”, afirma.



Mais informações: labjor@unicamp.br


Mercado de RFID em fase inicial


0 Comentários

As soluções de identificação por rádio frequência começam aos poucos a entrar no quotidiano de alguns sectores nacionais.
--
Falar de RFID ou Rádio Frequency Identification é aludir a uma tecnologia que assenta na utilização de pequenos chips capazes de armazenar informação sobre um determinado item.
--
A etiqueta emite depois um sinal via rádio, que poderá ser apenas lido por um conjunto de dispositivos próprios, e que vai permitir a detecção dos objectos e a descodificação de todo o tipo de informação disponível sobre esses mesmos objectos...
--
Consulte a notícia completa em Semana Informática
--
--
Apesar dos custos serem ainda elevados e não haver registo de experiências a este nível em Portugal, para os diversos Sistemas de Informação (entenda-se Bibliotecas, Arquivos, Centros de Documentação, etc.) esta poderá ser uma excelente medida para controlar a localização interna dos vários suportes de informação. Por sua vez, com o controlo das tags também podem ser disponibilizadas estatísticas sobre suportes mais consultados, tempo médio de consulta, etc. Outra possibilidade é o controlo dos furtos dos documentos.
--
De momento não tenho conhecimento de todas as especificações do RFID contudo, aqui ficam algumas sugestões para uma análise mais profunda por parte dos profissionais da informação. A médio-prazo a sua introdução no nosso contexto de trabalho poderá ser uma realidade.

terça-feira, 24 de outubro de 2006

Humor – Super Bibliotecária


2 Comentários

Brasil tem 21 milhões de lares com Internet


0 Comentários

Brasil tem 21 milhões de lares com acesso à internet
O número de pessoas com acesso à internet em suas casas no Brasil mais que dobrou desde 2000, passando de 9,8 milhões para 21 milhões, anunciou a empresa de pesquisa Ibope//NetRatings. http://info.abril.com.br/aberto/infonews/102006/20102006-8.shl

domingo, 22 de outubro de 2006

DataGramaZero - Revista de Ciência da Informação


0 Comentários

DataGramaZero - Revista de Ciência da Informação

" Será que a aleatoriedade do acesso aos dados armazenados em mídia digital confere aos computadores o estatuto de máquinas adequadas àquela representação pluridimensional, dispositivos, portanto, mais capazes de exprimir uma cultura global e fragmentária através de uma "coisa à qual somente nós, hoje, podemos dar um nome (...): um 'hipertexto'"? " está é uma pergunta que Luiz Carlos Brito Paternostro, nos faz em seu artigo abaixo indicado e parte do DataGramaZero de outubro de 2006.


DATAGRAMAZERO de outubro -

Artigos:

1 - Referir: ref. 'referir' por Luiz Carlos Brito Paternostro

Resumo: Expressando uma das visões do nosso tempo, há quem considere a assim chamada 'hipermídia' eletrônica digital como portadora privilegiada de uma 'pluridimensionalidade' essencial e libertadora do pensamento e do procedimento 'lineares', supostamente característicos da fala e da escrita, em particular do impresso. Mas um sistema de referências fixas e ostensivas não constitui, nem pode constituir, uma 'linguagem'. É somente neste âmbito representacionalista que poderiam reivindicar algum sentido as afirmações sobre a 'pluridimensionalidade' dos hipertextos e a suposta 'linearidade' da linguagem 'natural'

2 - Preservação digital e os profissionais da informação por Miguel Ángel Márdero Arellano e Ricardo Sodré Andrade

Resumo: O texto discute as relações entre os tradicionais profissionais da informação, arquivistas e bibliotecários, e o conceito de preservação digital, apresentando a questão da gestão informacional digital e a necessidade de adaptação das metodologias de tratamento documental, conhecidas por cada um daqueles profissionais, para o âmbito digital. O estudo aponta para a necessidade de conhecimento e/ou desenvolvimento de modelos teóricos e práticos que atentem para a natureza do material a ser preservado, bibliográfico ou arquivístico, porém, afirmando que tais materiais, pelo fato de serem essencialmente informacionais, promovem a existência de pontos de convergências em seus tratamentos.

3 - Uma proposta de modelo de representação do conhecimento contido no texto de artigos científicos publicados na web em formato elegível por programas por Carlos H. Marcondes, Marília A. R. Mendonça e Luciana R. Malheiros

Resumo: pesquisa com o objetivo de indicar um modelo de publicação eletrônica de artigos científicos como texto, legivel por pessoas, e simultaneamente, em formato legivel por programas. O conhecimento registrado desta forma viabiliza seu processamento por programas inteligentes. Embora publicados na Web periódicos eletrônicos são ainda calcados no modelo de publicações em papel e não utilizam todo o potencial do meio eletrônico. O modelo proposto pretende ampliar estas potencialidades, viabilizando recuperação semântica e validação dos novos conhecimentos reportados pelos artigos.


4 Gestão da Informação Governamental: em direção a uma metodologia de avaliação por Ana Maria Barcellos Malin

Resumo: propõe um elenco de boas práticas em Gestão da Informação Governamental (GIG) constituindo um modelo de referência para apoiar os gestores públicos e da informação na avaliação . O conjunto de práticas foi formado a partir de três modelos: o do Governo Federal dos EUA e os outros dois canadenses . É analisada a relação Estado e Informação: em seu duplo caráter organizacional e institucional e sua crescente complexidade em gerenciar informações.

5 - Os paradoxos da patente por Joana Coeli Ribeiro Garcia

Resumo: A patente, considerada insuperável para a produção de tecnologia, tem dupla função: fonte de informação e representação de conhecimento. O estudo empírico investiga o uso da patente produção de nova tecnologia,e vantagens e desvantagens são apresentadas; a importância da patente é reafirmada, porém, as informações são apenas para as atividades de registro de nova patente objetivando garantir monopólio ou licenciamento da tecnologia.

COLUNAS

"Na decisão do que colocar a informação no estoque, cada escolha exclui uma outra, uma opção é aceita outras são descartadas. A seleção dos documentos formadores do estoque ocorre em paralelo com o ato de censura. "
Leia o texto de opinião de Aldo de A. Barreto "Memória do futuro, fragrância do porvir" Ainda, no DZG de outubro duas recensões de livros muito especiais :A Biblioteca à Noite de Alberto Manguel e BrOffice.org: CALC e Writer de Renato Schechter .

O DataGramaZero de outubro está disponível em:DataGramaZero - Revista de Ciência da Informação www.datagramazero.org.br www.dgzero.org/ (espelho nos EUA) www.dgz.org.br

O DataGramaZero tem o ISSN 1517-3801. É indexado no Brasil e no exterior e esta' disponível na Internet, livre para leitura e cópias, sem qualquer custo de acesso para seus leitores. Pode-se ter acesso aos 40 números anteriores da Revista no site.

O periódico é unicamente virtual e tem por objetivo induzir e construir elementos facilitadores de um melhor acesso à informação. Tem conceito A no Qualis da Capes e PAGE RANK 5 no Google, o maior rank para os periódicos desta área no Brasil .Todos os números anteriores do DGZ, desde dezembro de 1999, estão disponíveis no mesmo site com os artigos disponíveis para download e leitura.

Fonte: arquivistica@yahoogrupos.com.br

sábado, 21 de outubro de 2006

Citizendium será braço especializado da Wikipédia


0 Comentários

O Citizendium é a novidade anunciada para a Wikipédia pelo seu co-fundador, Larry Sanger. A diferença em relação a enciclopédia virtual desenvolvida de forma colaborativa é que o novo projeto apenas aceitará contribuições de especialistas.



Segundo Larry Sanger, um dos objectivos do Citizendium é convergir a visão acadêmica e a visão leiga que costuma caracterizar as contribuições para a Wikipédia. O novo projecto contará com uma ferramenta que reproduzirá os artigos da enciclopédia virtual no novo projecto, desde que estes não criem conflito com as informações fornecidas por acadêmicos.



sexta-feira, 20 de outubro de 2006

Apreendidas mais de dez mil cópias de livros em Lisboa, Braga e Covilhã


0 Comentários

A Inspecção-Geral das Actividades Culturais (IGAC) apreendeu nos últimos dias mais de dez mil cópias de livros em estabelecimentos de fotocópias de Lisboa, Braga e Covilhã, durante uma operação de fiscalização.


Os livros apreendidos eram na sua maioria de carácter técnico, tendo sido encontradas versões impressas em papel, digitalizadas e guardadas em computadores.(...)


Exército americano recorre a tradutor automático para falar com iraquianos


0 Comentários

Mastor conjuga reconhecimento de palavras faladas, semântica e síntese de voz. Foi criado pela IBM e vai começar a ser utilizado pelas forças armadas norte-americanas estacionadas no Iraque para facilitar as comunicações com as autoridades locais. A aplicação da IBM efectua traduções de inglês para a versão iraquiana da língua árabe e vice-versa. O projecto vai ser implementado pelo Joint Forces Command dos EUA.



Wikiversity


0 Comentários

A Wikiversity é um novo projecto, semelhante ao Wikipédia, que tem por objectivo ser um espaço de criação e de disponibilização gratuita de materiais de aprendizagem. Estes materiais serão desenvolvidos por uma comunidade, distribuída por todo o mundo, de várias línguas, para todos os níveis de educação.
--
Consultar a Wikiversity

quinta-feira, 19 de outubro de 2006

Gestão documental gera competitividade


0 Comentários

Uma vez automatizada a circulação de documentos, os recursos das organizações podem dedicar-se a actividades de maior valor acrescentado para o negócio.
--
Perante o crescente volume de documentos e informação em papel e a necessidade premente da sua catalogação e arquivo, para posterior consulta e partilha, ou associação a outros dados electrónicos, as ferramentas de gestão documental desempenham um papel fundamental no aumento da competitividade das empresas.
--
Subjacente a tudo isto, o account manager da EMC Software, João Fernandes, considera que existe «uma redução de erros humanos e um incremento de qualidade», ficando os colaboradores da organização libertos de tarefas relacionadas com o manuseamento e a circulação do papel, podendo dedicar-se a actividades de maior valor acrescentado para o negócio da empresa...
--
Notícia completa em Semana Informática

EUA enfrentam vício da Internet


0 Comentários


Um em cada oito norte-americanos está viciado na Web. A estimativa foi adiantada por um estudo de escala nacional da Universidade de Stanford, que equipara os efeitos da dependência da Net aos do Álcool.
--

O estudo implicou a realização de 2513 entrevistas.
--
Notícia completa em Exame Informática

Arquivo

Categorias