quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Europeana, a biblioteca digital europeia está de volta


0 Comentários

Após quadriplicar a capacidade do servidor, a Europeana já está online. O projecto europeu junta obras de mais de mil instituições.

No total, são mais de dois milhões de livros, quadros e músicas num único site digital.

A Europeana esteve online apenas um dia, não aguentando a enorme afluência dos utilizadores (mais de dez milhões de cliques por hora). Hoje, os responsáveis pelo projecto dizem que a biblioteca está “no ar”, após «temos quadriplicado a capacidade do servidor», afirma Martin Selmayr, da Comissão Europeia.

Fonte: Exame Informática

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Estarão os amantes de livros a passar do papel para os pixels?


1 Comentários

Será mais uma partida em falso ou finalmente os e-books começam a se "impor"?
For a decade, consumers mostly ignored electronic book devices, which were often hard to use and offered few popular items to read. But this year, in part because of the popularity of Amazon.com’s wireless Kindle device, the e-book has started to take hold.

Ler na totalidade o artigo do New York Times


Aproveito para desejar a todos um Bom 2009

domingo, 28 de dezembro de 2008

Alto preço do livro em Portugal


0 Comentários

Lobo Antunes critica preços dos livros
Fonte: Jornal de Notícias. Data: 28/12/2008
URL: http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Cultura/Interior.aspx?content_id=1064110
O escritor António Lobo Antunes considerou sábado no Porto que os livros em Portugal são "indecentemente caros", referindo que "há países com maior poder de compra onde são muito mais baratos", como Alemanha, Holanda e Noruega.
O autor de "Arquipélago da Insónia", publicado este ano e que já vai na sétima edição, falou durante a cerimónia em que recebeu o Prémio Clube Literário do Porto, com um valor pecuniário de 25.000 euros.
Lobo Antunes, de 68 anos, foi apresentado pelo jornalista, comentador e professor Carlos Magno como um autor que "escreve sobre a contemporaneidade como poucos o fazem neste país", fazendo uso de uma "ironia absolutamente a toda a prova".
O escritor disse que não podia deixar de estar no Porto para receber o prémio, por ter "uma dívida de gratidão muito grande para com a cidade", que vem do tempo em que esteve internado num hospital lisboeta, a lutar contra um cancro.
"Quando há dois anos estive muito doente, recebi sete, oito mil cartas e a maior parte eram do Porto. Isso é uma coisa que nunca poderei pagar", explicou.
O autor falou sobre a sua doença, a morte, a escrita, a cultura, a guerra, o preço dos livros, entre outros temas.
Disse por exemplo que os governos pouco têm feito pela cultura desde o 25 de Abril de 1974.
"Quem tem trabalhado com a cultura são as autarquias e são fundações" como aquela a que está ligado o Clube Literário do Porto, a Fundação Dr. Luís de Araújo, defendeu.
Como autor, o que o move é "tentar colocar em palavras o que por definição é impossível contar em palavras, como as emoções ou os impulsos".
Lobo Antunes evocou Ernesto Melo Antunes, que foi um dos ideólogos do 25 de Abril e morreu há nove anos, tendo mantido com ele uma grande amizade.
"A morte de um amigo é uma coisa irreparável", resumiu, para depois acrescentar que "o que aparece nos livros são estas coisas todas, ou seja, a vida".
"Os portugueses vivem tão mal e os livros são tão indecentemente caros!", criticou, em seguida, frisando que "que quem lê não são as classes altas, é a classe média baixa, como se pode observar nas feiras do livro".
O presidente da Fundação Dr. Luís de Araújo, Augusto Morais, ofereceu a Lobo Antunes um elefante prateado, que definiu como sendo "uma provocação à memória" do escritor.
O autor de "Memoria de Elefante", o seu primeiro livro, lançado em 1979, recordou que ninguém, na altura, queria publicar este livro, que acabou por ser um êxito editorial.
Perante uma plateia constituída por várias dezenas de pessoas, entre elas muitos jovens, Lobo Antunes falou sobre a sua experiência enquanto doente com um cancro, dizendo que viveu então "uma mistura de sentimentos" e que passou depois "dois meses sentado numa cadeira, completamente vazio".
Segundo Lobo Antunes, a doença deu-lhe outra perspectiva sobre a vida.
"A gente passa a jogar com as cartas para cima; não há nada para esconder", sustentou.
António Lobo Antunes revelou à comunicação social que poderá haver um novo livro seu "talvez para o fim do ano que vem".
"Não depende só de mim, penso que sim, se for capaz de o acabar", completou.
O Prémio Clube Literário do Porto tem "um significado muito maior do que um prémio no estrangeiro, por maior nome que o prémio tenha".
"É para as pessoas do meu país que eu escrevo", justificou.
Esta é a quarta edição do Prémio Clube Literário do Porto, que nos anos anteriores distinguiu os escritores Mário Cláudio, Armando Baptista Bastos, e Miguel Sousa Tavares.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Votos de um Santo Natal e um Próspero Ano de 2009!


0 Comentários

Caros amigos,

Em nome de todos os colaboradores, desejo-vos um Santo e Feliz Natal e um Próspero Ano de 2009!

Festas Felizes,
Paulo Sousa

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Portal do Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal


0 Comentários

Na 3.ª CONFERÊNCIA SOBRE O ACESSO LIVRE AO CONHECIMENTO, ocorrida entre 15 e 16 de Dezembro, na Universidade do Minho - Braga, foi apresentado o Portal do Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal.

Trata-se de um projecto transversal, cujo impacto poderá ser bastante relevante no actual contexto da Ciência e do Ensino Superior, quer no fomento e promoção da informação científica em acesso livre, em Portugal, quer como canal de acesso à mesma por parte dos utilizadores finais, sejam eles investigadores, docentes, alunos, ou outros.

A concretização deste projecto de âmbito nacional deve-se, em grande parte, ao nosso colaborador Eloy Rodrigues, o qual começou a amadurecer a ideia há alguns anos atrás.

Ao contrário de outros projectos de âmbito nacional na nossa área que acabaram por morrer devido ao excesso de tempo de "gestação", este nasceu dentro da data prevista e foi dado a conhecer ao mundo junto de algumas das individualidades mais relevantes a nível mundial no domínio do acesso livre, num evento nacional! Penso que é de louvar a eficiência e o impacto da iniciativa no panorama nacional e internacional.

O Pedro Príncipe acaba de disponibilizar no seu blogue "rato de biblioteca" uma playlist do YouTube com 12 vídeos de algumas das apresentações da conferência.

Segue-se um vídeo disponibilizado pelo Pedro Príncipe com a apresentação do RCAAP.

Concluindo, espero muito sinceramente que o projecto cresça sustentadamente com a colaboração e participação de todos os stakeholders associados ao processo de produção e consumo de informação científica, desde universidades, centros de investigação até às bibliotecas universitárias e públicas, investigadores, alunos, etc. - com uma avaliação constante e rigorosa de modo a acompanhar a evolução natural do processo.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Padrão para acessibilidade


0 Comentários

W3C anuncia novo padrão para facilitar navegação de usuários deficientes
Fonte: IDG Now. Data: 15/12/2008

Content Accessibility Guidelines 2.0 sugere diretrizes para que web designers adaptem sites para usuários com dificuldades de acesso.
O World Wide Web Consortium (W3C) anunciou nesta quinta-feira (11/12) um novo padrão de acessibilidade que ajuda a navegação de usuários velhos ou com deficiências.
O Web Content Accessibility Guidelines (WCAG) 2.0 tenta resolver problemas de acessibilidade oferecendo diretrizes para que web designers adaptem seus sites para tais usuários.
O texto do padrão adverte, por exemplo, web designers a providenciarem legendas para vídeos, alternativas em texto para imagens, funções para contraste de cores ou opções para outros gadgets de entrada de dados, além de teclados.

O inventor do mouse e da internet


0 Comentários

O homem que inventou a internet
Fonte: O Estado de S. Paulo. Data: 15/12/2008
Enquanto o Brasil, um quê envergonhado, parou na última semana para lembrar o Ato Institucional de número 5, imposto pela Ditadura Militar, o Vale do Silício celebrava outro aniversário. Na mesma semana do AI-5, em 9 de dezembro de 1968, um cientista de 43 anos chamado Douglas Engelbart apresentou ao mundo, de uma só tacada, o mouse e a internet.
Aquela apresentação, apelidada de ‘a mãe de todas as apresentações’, foi realizada na Universidade de Stanford para uma platéia de engenheiros da computação estupefatos. A ArpaNet, que viria a se transformar na internet, só seria inaugurada alguns meses depois e cientistas de todos os EUA estavam empolgados com a novidade. Aproveitando-se desta animação, Engelbart se propôs a demonstrar os possíveis usos de uma rede de computadores como aquela.
O trabalho que ele apresentou não foi organizado de uma hora para outra. Ele e sua equipe de Stanford vinham pesquisando, com verbas da NASA e do Pentágono, desde 1963. O mouse é apenas uma das ferramentas que eles criaram e demonstraram em 68. (“Como esse instrumento lembra um ratinho”, disse Engelbart naquele palco, “alguns de nós começamos a chamá-lo de mouse; talvez o nome cole”.)
A festa destes 40 anos se deu em Stanford, no mesmo palco em que a revolução teve início. Durante 4 horas, na tarde do último dia 9, a platéia pôde assistir ao vídeo da apresentação, a um debate com os sobreviventes da equipe de Engelbart, e a palestras.
O filme é qualquer coisa de espetacular. O velho cientista tinha um telão às suas costas de maneira que o público podia ver o que ele fazia na tela. Alguns risos de fascínio podem ser entreouvidos quando ele apresenta o mouse. Seu monitor estava ligado em rede a um computador no outro lado da cidade. (Não custa lembrar: computadores contavam-se às dezenas no mundo. Vários monitores podiam ser ligados a um só computador, mil vezes menos poderoso do que um iPhone.)
Após apresentar o mouse, como uma versão mais antiga de Steve Jobs apresentando seus novos produtos, o velho cientista pôs-se a navegar na tela clicando em links. Que ele chamou de links. E, a cada link, uma nova página era aberta com novos textos e novos links. A web foi criada apenas em 1989, mas já estava esboçada.
Dotado de um rádio transmissor, enquanto apresentava as possibilidades daquela rede que estava para nascer, o cientista conversava com sua equipe, no laboratório, que a tudo acompanhava. Em um momento, ele faz mágica: faz aparecer uma janela no monitor e lá está o rosto, em movimento, de um de seus engenheiros. Eles começam a conversar: videoconferência. Skype em preto e branco no ano de 1968.
Aquilo foi trapaça: embora o vídeo estivesse realmente no monitor de Engelbart, a transmissão não foi feita pela rede computacional mas sim pelo ar. Uma transmissão comum de TV. As duas novidades, ali, eram a possibilidade de digitalizar a transmissão de vídeo para que ele aparecesse no computador, e a demonstração de que, com mais banda e algum poder maior nos computadores, conversas por vídeo seriam possíveis.
A tecnologia de digitalização que eles desenvolveram foi aproveitada alguns meses depois, pela NASA, para transmitir ao vivo, pelo mundo, a chegada do homem à Lua.
O mais impressionante da mãe de todas as apresentações, não é isso. Naquela platéia, na festa de 40 anos, acompanhando o vídeo, depois os debates e palestras, estavam jovens cientistas da computação fascinados. Engelbart não possibilitou apenas uma transmissão ao vivo da Lua ou apresentou o mouse ao mundo. Fez muito mais do que isso: imaginou a internet e, ao imaginar, guiou por décadas o seu desenvolvimento.
O velhinho se levantou, a um dado momento. Está com 83 anos. O auditório inteiro se pôs de pé para aplaudi-lo por alguns minutos. Uma ovação de reconhecimento que encheu-lhe os olhos de lágrimas. Muito pouca gente ouviu falar do nome de Doug Engelbart. Nestes 40 anos de sua cria, é hora de mudar isso.

Revista Veja na internet


0 Comentários

Revista Veja disponibiliza todo o seu acervo na Internet
Fonte: Portal Imprensa. Data: 12/12/2008
A partir da próxima segunda-feira (15) a revista Veja, da Editora Abril, disponibilizará todo o seu acervo na Internet. Todas as edições, desde a primeira, em 11 de setembro de 1968, poderão ser lidas e consultadas gratuitamente no site [www.veja.com.br/acervodigital] feito para abrigar o acervo digital.
Com investimento de R$ 3 milhões e patrocínio do Bradesco, "a idéia é democratizar o acesso à história recente do país e do mundo", diz Yen Wen Shen, diretor da publicação. "Essa iniciativa coloca Veja ao lado dos maiores acervos digitais do mundo e em condição única no Brasil."
Para maior comodidade dos leitores, o Acervo Digital segue a estrutura da própria revista, ou seja, o usuário navega na web como se estivesse folheando a publicação. Fácil de ser utilizado, o acervo apresenta as edições em ordem cronológica e conta com um avançado sistema de busca desenvolvido especialmente para Veja.
Este sistema permite cruzar informações e realizar filtros por período e editorias. Assim, basta o internauta digitar uma palavra-chave que automaticamente a ferramenta pesquisa em todos os textos da revista. Além disso, o usuário também terá acesso a um conjunto de pesquisas previamente elaborado pela redação do site, com temas da atualidade e fatos históricos sobre o Brasil e o mundo. Será possível, ainda, navegar pelas capas, entrevistas, reportagens e anúncios publicitários, sempre visualizando a reprodução do material original.
Resultado de 12 meses de intenso trabalho, o projeto foi desenvolvido por Veja em parceria com a Digital Pages, empresa responsável por estruturar a digitalização de cada uma das mais de 2 mil edições e convertê-las em revistas digitais. Dado o porte do projeto, uma equipe de 30 pessoas foi montada para cuidar desde o desgrampeamento das edições impressas até a publicação dos quase nove milhões de arquivos que compõem o acervo.
"Como os exemplares em papel não poderiam ser inutilizados pelo processo de digitalização, o fluxo de trabalho contrapôs ciclos de uma sofisticada linha de produção industrial com procedimentos extremamente artesanais, como o nivelamento de página por página por meio de ferros de passar roupa antes do escaneamento", explica Shen.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Apresentação do projecto Consulta Real em Ambiente Virtual


0 Comentários

Convite da DGARQ e do Arquivo Distrital do Porto para a apresentação do projecto Consulta Real em Ambiente Virtual no dia 12 de Dezembro, pelas 17:30 horas.

Em implementação desde do início do ano, o projecto Consulta Real em Ambiente Virtual é o complemento natural da pesquisa e leitura de documentos através da Internet, disponível desde Abril de 2004.

O sistema estabeleceu um marco significativo na facilitação do acesso, pelos utilizadores, aos serviços sobre os documentos, assente no princípio da desmaterialização dos processos. A articulação da possibilidade de efectuar os pedidos – consulta, reserva, pesquisa, reprodução – com as respostas, envio de documentos e pagamento electrónico, quebrou as barreiras dos horários e das distâncias tornando o Arquivo um espaço mais próximo do seus utilizadores. A Referência e Leitura Virtual constitui, assim, uma concretização de ideias e práticas na linha das orientações do Plano Tecnológico, do “governo electrónico” e da sociedade da informação e do conhecimento.

No dia 12 de Dezembro, pelas 17:30 horas, no Arquivo Distrital do Porto, damos a conhecer o projecto em diálogo com os seus utilizadores e todos os interessados.
Fonte: Arquivo Distrital do Porto

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

3ª Conferência sobre o Acesso Livre ao Conhecimento, Universidade do Minho, 15 e 16 de Dezembro de 2008


0 Comentários

“Ensuring that the outputs of research are freely available to all is the best way to maximise their utility. Open access is good for science, the research community and mankind.”
Sir John Sulston

O Acesso Livre promove a visibilidade, acessibilidade e difusão dos resultados da actividade científica de cada investigador, de cada organização e de cada país, potenciando o seu uso e subsequente impacto na comunidade científica internacional.

O programa da 3ª Conferência sobre o Acesso Livre, que se vai realizar no campus de Gualtar da Universidade do Minho, abrange os seguintes temas:
  • Políticas de Open Access
  • Repositórios institucionais
  • Open Science e Open Data
  • Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (que aí será apresentado)

A qualidade dos apresentadores convidados (ver lista e biografia dos oradores) garante que a Conferência será uma excelente oportunidade para adquirir conhecimento actualizado, debater e trocar experiências sobre esta problemática.

A Conferência está aberta a todos os potenciais interessados na temática do Acesso Livre: investigadores e académicos, dirigentes universitários, bibliotecários, editores e outros. As inscrições, gratuitas, podem ainda ser realizadas até ao dia 10 de Dezembro em: http://confoa08.sdum.uminho.pt/inscricao1.asp

Se pretende participar na ConfOA08, inscreva-se na rede social da conferência em http://oa2008.crowdvine.com/. "É uma excelente forma para informar outros colegas que irá participar na conferência, quais são as suas áreas de interesse, mas sobretudo para dialogar e interagir com outros participantes ANTES da conferência começar." In: ConfOA08

Congresso Internacional de Promoção da Leitura


0 Comentários

Estão abertas as inscrições para o Congresso Internacional de Promoção da Leitura - FORMAR LEITORES PARA LER O MUNDO, marcado para os dias 22 e 23 Janeiro de 2009, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa. Consulte o programa(.pdf).

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Livro eletrônico


0 Comentários

Best-sellers também chegam à internet
Autora: Daniela Arrais
Fonte: Folha Online. Data: 6/12/2008.

O professor de idiomas Giuliano Reali, 30, começou a ler livros digitais quando o escritor Stephen King lançou "Riding the Bullet", em 2000. Logo depois, quis ler um título que não existia no Brasil e acabou adquirindo a versão eletrônica em um site. Desde que comprou um smartphone, ler e-books se tornou tão comum quanto usar o e-mail ou consultar o GPS.
No dia-a-dia de Reali e de inúmeros leitores, os e-books já são realidade. O mercado editorial busca soluções para atender a esse tipo de leitor, que forma um contingente que vem ganhando expressão, segundo dados da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, encomendada pelo Instituto Pró-Livro ao Ibope: 3% (ou 4,6 milhões de pessoas) do universo estudado, que equivale a 92% da população brasileira, lêem livros digitais e 2% (ou 2,9 milhões) usam audiolivros.
No universo de leitores, que corresponde a 95 milhões de pessoas, 7% (ou 7 milhões) baixam livros gratuitamente da internet, segundo a pesquisa.
Editoras investem em catálogos digitais. A inglesa Random House (www.randomhouse.com) anunciou na semana passada que está disponibilizando milhares de livros nesse formato -já existem 8.000 títulos e a idéia é chegar a 15 mil, segundo a Associated Press.
No Brasil, a Lex Editora (www.lex.com.br) tem obras digitalizadas sobre legislação. A partir de uma assinatura, que custa entra R$ 420 e R$ 2.000, a editora permite acesso ao conteúdo, que pode ser lido por celular ou PDA.
Vantagens
Para Reali, a principal vantagem dos e-books é a mobilidade. "Não acho nem um pouco cansativo. Acho até mais fácil de segurar um smartphone do que um livro aberto. A iluminação passa a ser secundária, você pode até mesmo ler no escuro, pois a tela do telefone basta."
No entanto, ele acha que a tecnologia ainda tem muito a crescer no Brasil. "O brasileiro é muito impermeável ao uso de conveniências eletrônicas. As pessoas te olham como um ET ou um nerd quando te vêem lendo um e-book ou usando a função GPS no seu celular, quando, na verdade, você está apenas dando um passo para tornar a sua vida mais prática."
Mago
Para o best-seller Paulo Coelho, editores são tão ruins quanto os monges copistas que lamentavam a chegada dos livros impressos no século 16 --ele declarou isso na Feira de Frankfurt, em outubro.
Para o mago -que disponibiliza seus livros em www.piratecoelho.wordpress.com --, há uma falta de entendimento sobre a internet fazer parte da indústria.
"Em vez de olharem a nova mídia como uma oportunidade de criar novas formas de promoção, editores se concentram em criar microssites, que são completamente fora de moda, e alguns se queixam dos "infortúnios" das outras indústrias culturais, percebendo a internet como inimiga", disse.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Biblioteca tem meio milhar de utentes galegos


0 Comentários

Um em cada quatro dos que requisitam livros é espanhol, daí a aposta em publicações galegas.

A Biblioteca Municipal de Valença é cada vez mais procurada por espanhóis, nomeadamente galegos. Mas os valencianos também podem requisitar livros em Tui, graças a uma parceria entre as duas autarquias.

A Biblioteca Municipal de Valença tem, actualmente, meio milhar de utentes galegos inscritos, oriundos na sua esmagadora maioria de Tui e localidades vizinhas mais próximas da fronteira. Num universo de 2184 de registos de pessoas que utilizam os serviços da biblioteca e requisitam livros a título de empréstimo, 472 são residentes na Galiza, quase 25 %.

A crescente procura dos galegos por aquele espaço, a que se associa também a deslocação do Bibliomóvel de Valença (serviço de biblioteca itinerante destinado principalmente a crianças e jovens) uma vez por mês ao outro lado da fronteira, deu origem a uma parceria com o Ayuntamiento de Tui, com o objectivo de os portugueses poderem também usufruir livremente da biblioteca pública daquela localidade galega.

Aceda à notícia completa no Jornal de Notícias.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Assuntos mais procurados no Yahoo Brasil


0 Comentários

Yahoo! Brasil apresenta os termos mais buscados da Internet no ano
Fonte: Coletiva Net. Data: 02/12/2008.
O Yahoo! Brasil divulgou a lista dos termos e assuntos que mais despertaram a curiosidade dos internautas no ano de 2008. Os temas mais buscados na web, pela ordem, foram: BBB8, Olimpíadas, Oscar 2008, células-tronco, Mulher Melancia, Isabella Nardoni, dengue, Amy Winehouse, Barack Obama e portabilidade numérica. Mesmo tendo ocorrido no início do ano, o reality-show da Rede Globo foi o assunto mais buscado pelos usuários do portal. O resumo do ano mostra ainda que as pesquisas mais realizadas trazem temas variados, de entretenimento, celebridades e TV, assuntos de saúde e que tiveram destaque em determinado momento do ano.
O levantamento foi feito pelo portal, a partir de sua ferramenta de busca, entre janeiro e novembro. De acordo com números do Ibope, apenas em outubro, 11 milhões de internautas passaram pelo Yahoo! Brasil.
A partir de agora, o site passa a contar com um ‘termômetro’ do que os internautas brasileiros buscam na Internet: a página especial dos ‘Mais Buscados’. Os usuários podem conferir, com atualização diária, quais foram os assuntos procurados pelos milhões de visitantes do portal. A página, além de imagens dos termos, mostra também o ranking dividido por categorias: Top 10, Celebridades, Música, Esportes, Entretenimento, Tecnologia e Notícias.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Arquivos da revista LIFE no Google


0 Comentários

O Google tem disponível online, desde 18 de Novembro, 20% dos 10 milhões de fotografias que constituem o arquivo da extinta revista LIFE. 97% destas imagens, que serão colocadas online nos próximos meses, nunca foram publicadas.

Esta colecção apresenta imagens que datam de 1750 até aos dias de hoje, tiradas por nomes sonantes do fotojornalismo como Alfred Eisenstaed ou W. Eugene Smith.

O arquivo da LIFE apresenta imagens icónicas do século XX e o registo de acontecimentos históricos como a Guerra do Vietname ou a morte de JFK.

Cada imagem aparece com informações técnicas, o nome do fotógrafo e a possibilidade votar a fotografia.
Fonte: JN

sábado, 29 de novembro de 2008

Projeto reduz prazo de sigilo de documentos


0 Comentários

Proposta, a ser encaminhada ao Congresso, diminui período de proteção a dados de 30 para 25 anos
Fonte: Jornal do Brasil. Data: 29/11/2008. URL: http://www.estado.com.br/editorias/2008/11/29/pol-1.93.11.20081129.1.1.xml
Autor: Felipe Recondo
O Palácio do Planalto finalizou o texto de um projeto de lei que reduz o prazo de sigilo de documentos públicos considerados sensíveis e cria mecanismos para evitar que ofícios que tratem de relações diplomáticas do Brasil com outros países recebam o carimbo de ultra-secreto e permaneçam indefinidamente nos cofres do Ministério da Defesa.A Lei de Acesso à Informação, que será encaminhada ao Congresso, diminui de 30 para 25 anos o período em que dados classificados no mais alto grau de sigilo (ultra-secreto) podem permanecer longe da pesquisa pública.No entanto, o projeto mantém um ponto criticado: determinadas informações, mesmo com as novas regras, poderão permanecer reservadas indefinidamente.Para coibir que autoridades classifiquem documentos indiscriminadamente com o mais alto grau de sigilo, a lei estabelecerá algumas restrições. O órgão que rotular o documento como ultra-secreto deverá explicar detalhadamente as razões a uma comissão composta por sete ministros e coordenada pela Casa Civil, grupo que tem poderes para rever essa classificação. Além disso, caberá apenas a essa comissão avaliar, depois dos 25 anos, se o sigilo deve ser mantido ou se o documento pode se tornar público.
NÍVEIS
O texto da nova lei reduz ainda de quatro para três os níveis de sigilo atribuídos aos documentos e impede que nos graus mais baixos - secreto, confidencial e reservado - os prazos sejam prorrogados.Pela legislação atual, aprovada já no governo Lula, as informações sigilosas podem ser classificadas como ultra-secretas, secretas, confidenciais e reservadas. Uma dessas classificações será extinta, possivelmente a confidencial, mas essa pequena mudança faz parte dos últimos ajustes no texto.A lei obrigará ainda uma revisão, de dois em dois anos, em todos os documentos tidos como sigilosos. É uma forma, de acordo com integrantes do governo, de estimular a abertura progressiva desses dados. Além disso, todos os órgãos deverão, anualmente, divulgar uma lista com os documentos ultra-secretos cujo prazo de sigilo venceu. A partir dessa data, todos os papéis poderão ser lidos por qualquer cidadão.Todas essas restrições serviram como uma solução para o embate de militares e diplomatas, que resistem a abrir determinados arquivos, com o Ministério da Justiça, Casa Civil e Secretaria Especial de Direitos Humanos, favoráveis à abertura cada vez maior dos documentos.
REAÇÃO
Inicialmente, o governo aventava a possibilidade de acabar com o sigilo eterno dos documentos. A idéia era estabelecer um prazo definido - cogitou-se que seria de 60 anos - depois do qual todos os papéis ultra-secretos seriam automaticamente divulgados. Os Ministérios da Defesa e das Relações Exteriores reagiram.Argumentaram que em todas as nações do mundo, no Chile mais recentemente, há leis que garantem o resguardo permanente de documentos secretos cuja divulgação poderia pôr em risco sua soberania, planos de defesa do território, negociações comerciais com outros países e relações internacionais.O texto será assinado por Lula em cerimônia, ainda sem data marcada, em que o governo anunciará a criação do projeto Memórias Reveladas, que reunirá todos os arquivos da ditadura militar (1964-1985) no Arquivo Nacional e disponibilizará na internet os que não estejam sob sigilo. Na solenidade será também lançado o edital para recolhimento de documentos da época que estejam em posse de pessoas físicas. Aprovado o projeto da Lei de Acesso à Informação, serão revogados o Decreto 5.301, de 2004, a Lei 11.111, de 2005, e parte da Lei 8.159, de 1991. Toda essa legislação tratava do acesso a documentos sigilosos.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Portal de revistas da Universidade de São Paulo


0 Comentários

USP lança Portal de Revistas
Fonte: USP, Assessoria de Impresa. Data: 27/11/2008
O portal disponibiliza, inicialmente, o acesso a trinta títulos
A Universidade de São Paulo (USP) oferece, desde o início de novembro, um portal que dá acesso, via internet, ao texto completo das revistas produzidas pela Universidade e credenciadas pelo Programa de Apoio às Publicações Científicas Periódicas da Instituição. Trata-se do Portal de Revistas da USP (http://www.revistasusp.sibi.usp.br), uma biblioteca eletrônica com acesso gratuito.
Essa iniciativa tem como objetivo ampliar a facilidade de acesso dos usuários ao texto completo das publicações, além de possibilitar a obtenção de indicadores da produção científica, como relatórios de índices de citação e de co-autoria, além de ampliar a visibilidade desses periódicos em âmbito nacional e internacional.
O Portal de Revistas da USP disponibiliza, inicialmente, o acesso a trinta títulos e prevê a inclusão dos demais títulos já credenciados e outros que irão se somar à medida que atenderem os critérios de credenciamento do programa.
A iniciativa contou com as parcerias do Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde, que cedeu o modelo SciELO de publicações de revistas eletrônicas, bem como os títulos das revistas USP daquela base de dados, para a criação do Portal; e de Pepsic – Periódicos Eletrônicos em Psicologia, que cedeu os registros das revistas USP naquela base de dados.

Bookcrossing (troca de livros)


0 Comentários

Projeto contribui para acesso à cultura e à leitura
Fonte: Pauta Social. Data: 27/11/2008
O Bookcrossing acontecerá em várias regiões de Belo Horizonte
Estudantes e professores da Fundação Torino realizam, no próximo sábado, 29, a partir das 8h, a 6ª edição do projeto Atentado Poético, evento realizado desde 2003, inspirado em uma iniciativa do site norte-americano Bookcrossing (troca de livros). O site estimula a doação de livros que devem ser "libertados" em locais públicos para que qualquer pessoa interessada possa "adotá-lo". A idéia central do Bookcrossing é tornar o mundo uma grande biblioteca. O projeto insere Belo Horizonte no circuito cultural do evento, que conta com a participação maciça de cidades de todo mundo como Paris, Bruxelas, Florença, São Francisco e Roma.
O 6º Atentado Poético acontece, simultaneamente, em diversos locais de Belo Horizonte – como praças, parques e nos campi do Centro Universitário UNA. Além de "abandonarem" por lá alguns livros, os alunos também farão intervenções culturais com declamação de poemas e distribuição de livretos com contos de escritores italianos, traduzidos pelos próprios estudantes. "É muito interessante ver a reação das pessoas quando 'encontram' o livro. A gente percebe que elas se sentem presenteadas, algumas param, sentam no meio da rua e ficam folheando as obras. Chega a ser emocionante!", explica a coordenadora e idealizadora do projeto, Daniela Guimarães Mendes.
"Quando começamos o projeto em 2003, fizemos uma ação modesta, dentro de uma escola pública. Aí percebemos que as pessoas tinham 'sede' de leitura, e levamos a ação para as ruas, em alguns pontos da capital", lembra a coordenadora, contando, ainda, que vários livros cadastrados pelo Projeto Atentado Poético no bookcrossing.com já foram encontrados até em outros estados do Brasil. "Vale ressaltar que a idéia do Bookcrossing, e conseqüentemente da nossa ação do Atentado Poético, está longe de ser sinônimo de abandonar livros nas ruas. A idéia é estimular a leitura, facilitar o acesso ao livro, compartilhar experiências", reforça a coordenadora do Atentado Poético.
Os livros distribuídos pela Fundação Torino são arrecadados em uma campanha envolvendo pais alunos e funcionários da instituição. "Queremos arrecadar pelo menos 1.000 livros, que serão todos cadastrados no site www.bookcrossing.com para a ação no dia 29. Se atingirmos nossa meta, colocaremos Minas Gerais em primeiro lugar no ranking Brasil do Bookcrossing, e a Fundação Torino será a integrante do Bookcrossing com o maior número de volumes libertados no Brasil", diz, entusiasmada, Daniela Mendes.
A professora explica, ainda, que todos os livros arrecadados durante a campanha passam por um processo de cadastramento no site www.bookcrossing.com. Ao ser cadastrado, o livro recebe um número de registro que serve para identificá-lo posteriormente e mostrar por onde ele "anda". "Além de uma etiqueta com o número do registro, cada livro tem um bilhete que explica do que se trata o projeto, convidando o seu novo dono a entrar no site e informar onde encontrou o título. Assim, todo mundo que teve a publicação nas mãos tem a possibilidade também de conhecer o caminho que ela já percorreu e quantas pessoas já a leram", diz Daniela. No site do bookcrossing é possível, ainda, que os participantes possam se comunicar uns com os outros e debater sobre as obras.
A 6ª edição do Atentado Poético traz duas inovações. A primeira, a criação de um hot site com a história do projeto na Fundação Torino e o registro das edições anteriores, que pode ser acessado através do endereço www.fundacaotorino.com.br/atentadopoetico. A outra é que, além de libertar os livros nos pontos turísticos de Belo Horizonte como nos outros anos, a Fundação Torino está cadastrando Zonas Oficiais do Atentado Poético, em locais culturais da cidade. Esses locais vão receber, no dia 29, uma caixa para os livros, devidamente identificada com cartazes alusivos ao movimento.
Uma pesquisa intitulada "Retratos da Leitura do Brasil", divulgada pelo Instituto Pró-Livro em 2008 (www.prolivro.org.br), diagnosticou e mediu o comportamento dos leitores, especialmente com relação aos livros (deixando de lado revistas e jornais). Na pesquisa, 45,2 milhões, ou seja, 26% dos brasileiros disseram que a leitura significa conhecimento, seguido de algo importante (8%), crescimento profissional (8%) e sabedoria (5%); e 73 milhões ou 42% dizem que a leitura é uma fonte de conhecimento para a vida e fonte de conhecimento e atualização profissional (17%). Entre as crianças com idades de até 10 anos, 12% consideram a leitura uma atividade prazerosa.
O comportamento do leitor é o fator mais importante na hora de escolher um livro para 63% das pessoas que responderam à pesquisa. Em seguida está o título, opção de 46% dos entrevistados, seguido de dicas de outras pessoas, que engloba 42% do grupo ouvido. A maioria dos leitores (86%) lêem em casa; 36% na sala de aula e 12% na biblioteca. Outro fator interessante é que o brasileiro lê, em média, 4,7 livros por ano. O estudo constatou que somente a leitura de livros indicados pela escola, o que inclui os didáticos, mas não só, chega a 3,4 livros per capita. A leitura feita por pessoas que não estão mais na escola ficou em 1,3 livro por ano. A pesquisa também confirma que as mulheres lêem mais que os homens – 5,3 contra 4,1 livros por ano.
O primeiro Atentado Poético de Minas Gerais foi realizado em 2003, quando os alunos deixaram aproximadamente 500 livros de literatura infantil e juvenil na quadra da Escola Municipal Arthur Versiani. Em todos os livros havia uma dedicatória e a orientação para que o novo "dono" o passasse para outro leitor, logo que terminasse a leitura. Em 2004, no segundo Atentado Poético, os livros foram abandonados nos principais pontos turísticos da cidade, como Praça da Liberdade; Parque Municipal; Parque das Mangabeiras, Praça JK; Lagoa Seca; Aeroporto; e Pampulha. Alguns foram encontrados e recadastrados e outros já foram localizados em outros estados, como o Paraná. No ano de 2005, o projeto foi realizado na Praça da Liberdade, com a produção de dois modelos de coletânea com poemas e textos em prosa selecionados pelos alunos.
Além da distribuição de aproximadamente 400 livretos e 100 textos avulsos, os alunos dramatizaram poemas para o público. Em 2006, foram distribuídos, também na Praça da Liberdade, 300 livros contendo textos de autores consagrados com dados biográficos, análises e traduções feitas pelos alunos da Fundação Torino. No ano de 2007, a Fundação realizou o 1º Atentado Ecopoético, em parceria com o Projeto Econscienza.
Os alunos confeccionaram cartilhas contendo dicas de proteção ambiental aplicáveis ao dia-a-dia. Além de conselhos práticos, a cartilha trazia poemas escritos por alunos de 6 a 18 anos. Os espaços utilizados foram o Mercado Central, o Mercado Distrital, as Praças JK e Liberdade.
O Bookcrossing ou "Troca de livros" é um conceito que surgiu nos EUA em 2000, pelo sócio da empresa de desenvolvimento de softwares Humanking Systems, Ron Hornbaker, que pode ser resumido como a prática de deixar um livro num local público, para ser encontrado e lido por outros, os quais, por sua vez, deverão continuar a fazer o mesmo. O objetivo assumido do Bookcrossing é transformar o mundo inteiro numa grande biblioteca.
Os membros do site www.bookcrossing.com de leitores virtuais (e que não conhecem limites geográficos) possuem um sentimento de partilha tão grande que não se importam de libertar os seus próprios livros em locais públicos (cafés, transportes públicos, rua movimentadas, praças, e outros espaços de grande fluxo de pessoas) para que o maior número de pessoas possa lê-los, em vez de mantê-los parados nas estantes, tornando, desta forma, o acesso à cultura e especificamente à leitura verdadeiramente universal.
A Fundação Torino foi instituída em setembro de 1975 com o objetivo de garantir a continuidade dos estudos dos filhos de empregados italianos do Grupo Fiat. Neste período, a escola, uma parceria do Grupo Fiat com o governo italiano, oferecia o "Elementare" (ensino fundamental de 1a a 5a séries), a "Scuola Media" (6a a 8a séries do ensino fundamental) e o "Liceo" (ensino médio), com currículo e calendário europeus. Em 1988, a Fundação Torino criou o Curso de Língua e Cultura Italiana, para atender uma demanda crescente da comunidade local pelo conhecimento da história, cultura e modo de vida do povo italiano.
No ano de 1992, ela deixa de ser uma escola puramente italiana e passa a ser bicultural, com reconhecimento oficial pela Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais e pelo governo da Itália. No mesmo ano, começa a oferecer a escola materna, para crianças até cinco anos, com formação bilíngüe. Um protocolo de colaboração técnico-científico com a Universidade de Perugia é assinado no mesmo ano com a Fundação para aplicação dos títulos de proficiência no idioma Celi III e Celi V. Sete anos depois, em 1999, um salto significativo.
Em janeiro, iniciam-se as atividades em sua sede própria, no bairro Belvedere, construída pensando as necessidades da prática educacional. No mesmo ano, abre o Instituto Técnico de Turismo (ITT), um segmento da economia em expansão no mundo e, em especial, no Estado, promovendo a formação consistente de profissionais para atuar na área e desenvolver projetos de aproveitamento do potencial turístico. Tanto no ITC quanto no ITT os estudantes estudam quatro idiomas (português, italiano, inglês e espanhol). Em 2005, a Fundação Torino adota uma nova marca que reforça seu papel de escola internacional para formação de cidadãos do mundo. A imagem do cavaleiro medieval cuja estátua está localizada em Turim e que acompanhou a escola desde sua fundação dá lugar à estilização das iniciais da escola

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Cavaco Silva inaugura nova Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, na Guarda


0 Comentários

A Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, na Guarda, irá ser inaugurada hoje, 27 de Novembro, data em que se assinala o dia desta Cidade.

A Autarquia pretende homenagear o filósofo e ensaísta natural de Almeida, distrito da Guarda, atribuindo seu nome à biblioteca. Esta disporá de um fundo documental com cerca de 100 000 volumes, 3 000 dos quais da colecção do escritor, provenientes da sua biblioteca particular.

Segundo o vereador da cultura da Câmara Municipal da Guarda, Virgílio Bento, a autarquia pretende que a biblioteca sirva também como centro de investigação do pensamento de Eduardo Lourenço.

A inauguração da Biblioteca será assinalada com várias iniciativas que se prolongarão até ao dia 10 de Dezembro. Consulte o Programa.

Fonte: DGLB

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Novidades do E-LIS‏


0 Comentários

Nos últimos dias de Novembro o Arquivo de Acesso Aberto E-LIS, especializado em Documentação e Informação, passou a estar acessível e assente na nova plataforma. ePrints 3.0 [ver aqui breve descrição por Leslie Carr - PDF] e foi realojado num outro servidor no CILEA (Consorzio Interuniversitario Lombardo per L'Elaborazione Automatica).

Com esta nova plataforma abriram-se, acima de tudo, as possibilidades à implementação de novas funcionalidades de interacção com utilizadores e autores, à assistência do processo de depósito de trabalhos e à sua preservação, num momento em que o arquivo está quase a atingir os 9000 documentos.

O endereço do serviço não mudou, quem o tinha registado nos seus marcadores pode continuar a usar essa informação. Contudo o serviço de alertas (DSI) não pôde ser migrado. Assim, agradecemos a tod@s os que se habituaram a usá-lo anteriormente que criem de novo as suas preferências para não perderem as actualizações de conteúdos que estavam a acompanhar. Por tal, a equipa do E-LIS apresenta desde já o seu pedido de desculpa.


Informação disponibilizada pela Dr.ª Paula Sequeiros, Editora para Portugal do E-LIS.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Vem aí o Google à medida


0 Comentários

Com a ferramenta SearchWiki, a Google quer que os utilizadores personalizem as pesquisas. Segundo o motor de busca, vai ser possível ordenar, remover e adicionar resultados das pesquisas.

«É um passo de gigante, no sentido de os utilizadores participarem muito na Internet», diz Cedric Dupont, gestor de produto da Google.

A SearchWiki vai permite aceder às contas Google e escrever comentários junto aos resultados das pesquisas. Estas anotações serão mostradas em pesquisas futuras e disponibilizadas a todos os utilizadores que utilizem a SearchWiki.

No rodapé das páginas, estará um link que mostra resultados que foram apagados, acrescentados ou reordenados, noticia a BBC.

Os críticos da Google defendem que se trata de mais uma forma de “obrigar” os utilizadores a fazer login enquanto fazem pesquisas, de forma a que a empresa possa ficar com esses dados.

Fonte: Exame Informática
  • Vídeo sobre o SearchWiki:

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

The labyrinth ( O Labirinto )


0 Comentários

Na sequência do meu último post sobre o mundo virtual, apresento-vos um momento musical interessante, que nos leva a conhecer novos horizontes digitais, de introspecção cognitiva e sensorial...

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Lançamento da Biblioteca Digital Europeia - EUROPEANA


0 Comentários

Bruxelas, Biblioteca Nacional da Bélgica | 20 Novembro 2008

Sob o lema Pensar Cultura, o protótipo da Biblioteca Digital Europeia - Europeana.eu – é hoje, 20 de Novembro de 2008, colocado em linha, oferecendo acesso a mais de 2 milhões de objectos digitais de 27 países europeus – imagens, textos, registos de som e vídeo - entre os quais se conta o acervo digital da Biblioteca Nacional de Portugal, parceiro do Projecto.

A cerimónia de lançamento, a decorrer na Biblioteca Nacional da Bélgica, conta com a presença do Presidente da Comissão Europeia, da Comissária Europeia para a Sociedade de Informação e Meios de Comunicação, Vivianne Reding, e dos ministros da cultura europeus.

  • O Projecto

O protótipo de Europeana é o resultado de um projecto de dois anos que teve início em Julho de 2007, consistindo numa Rede Temática financiada pela Comissão Europeia no âmbito do Programa eContentplus. Originalmente conhecida por European Digital Library network – EDLnet, consiste numa parceria de 100 representantes de organizações patrimoniais e científicas, e especialistas de tecnologias de informação, de toda a Europa, que contribuem para os módulos de trabalho em que estão a ser resolvidos os aspectos técnicos e de usabilidade. O Projecto é gerido por uma equipa central que opera na Biblioteca Nacional dos Países Baixos, a Koninklijke Bibliothek, desenvolvendo-se a partir da experiência de gestão e técnica da European Library (TEL) que é, por sua vez, um serviço da Conference of European National Libraries (CENL).

O Projecto é supervisionado pela EDL Foundation, que compreende as principais associações europeias do âmbito do património cultural, dos quatro domínios: bibliotecas, arquivos, museus e audiovisual.


  • Antecedentes

A ideia inicial da Europeana surgiu com uma carta à Presidência do Conselho e à Comissão, em 28 de Abril de 2005, em que seis Chefes de Estado e de Governo sugeriram a criação de uma biblioteca virtual europeia, com o objectivo de tornar os recursos culturais e científicos da Europa acessíveis a todos. A 30 de Setembro de 2005, a Comissão Europeia publicou a Comunicação i2010 – Bibliotecas Digitais, em que anunciou a sua estratégia para promover e apoiar a criação de uma Biblioteca Digital Europeia, como um dos objectivos estratégicos no âmbito da Information Society i2010 Initiative, orientada para impulsionar o crescimento e o emprego na sociedade da informação e indústrias de meios de comunicação.


  • Mais informação

O percurso de desenvolvimento, a arquitectura e as especificações técnicas do serviço estão publicados nos relatórios de resultados do projecto. Após o lançamento do protótipo da Europeana, a tarefa final do projecto consiste em recomendar um modelo de negócio que assegure a sua sustentabilidade futura, assim como serão reportados os desenvolvimentos de investigação e implementação necessários para tornar o património europeu cabalmente interoperável e acessível através de um verdadeiro serviço multilingue.

Fonte: Biblioteca Nacional

CCV - Comunidade Cultural Virtual


0 Comentários

Convido-vos a visitarem o Projecto CCV - Comunidade Cultural Virtual, uma comunidade residente no Second Life® que tem como objectivo: fazer e apoiar projectos de divulgação de arte e cultura, sobretudo a relacionada com países de língua portuguesa, em mundos virtuais, com destaque para esta plataforma.
Esta comunidade é responsável pela ilha Fado & Saudade que visa promover internacionalmente o estilo de música mais tipicamente português e, mais recentemente, pelo concretizar de projectos de âmbito social e cultural. Nesse âmbito realizou uma exposição de carácter internacional dedicada aos Jogos Paralímpicos de 2008 e integrou no Second Life® a campanha “Stand Up and Take action against poverty“, que contou com o apoio dos promotores da campanha e onde participaram mais de uma centena de residentes, entre acções de debate, conferências e exposições. Fonte: CCV
Em seguida é apresentado um vídeo sobre o Second Life® e uma imagem da ilha Fado & Saudade:

Informação disponibilizada pela colega Filipa Torres, bibliotecária e membro deste interessante projecto.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

International Journal on Digital Libraries


0 Comentários

Acaba de ser publicado o número dois, volume 9, do International Journal on Digital Libraries, editado pela Springer (URL: http://springerlink.com). Nesse URL podem ser consultados os resumos de cada artigo.
Esse número incluiu os seguintes artigos:

Editorial
Scholarly digital libraries at scale: introduction to the special issue on very large digital libraries.
Author(s):Min-Yen Kan, Dongwon Lee, Ee-Peng Lim .p. 81 – 82.

Regular Paper:
The aDORe federal architecture: digital repositories at scale. Author(s): Herbert Van de Sompel, Ryan Chute, Patrick Hochstenbach. P. 83 – 100.

DelosDLMS. Author(s): Yannis Ioannidis, Diego Milano, Hans-Jörg Schek, Heiko Schuldt. p. 101 – 114

Lightweight component-based scalability. Author(s): Hussein Suleman, Christopher Parker, Muammar Omar. p. 115 – 124.

Uncovering cultural heritage through collaboration. Author(s): J. Cousins, S. Chambers, E. Meulen. P. 125 – 138.

Workload analysis for scientific literature digital libraries. Author(s): Huajing Li, Wang-Chien Lee, Anand Sivasubramaniam, C. Lee Giles. P. 139 – 149.

Automatic extraction of citation information in Japanese patent applications. Author(s):
Hidetsugu Nanba, Natsumi Anzen, Manabu Okumura. P. 151 – 161.

Knowledge discovery in digital libraries of electronic theses and dissertations: an NDLTD case study. Author(s): W. Ryan Richardson, Venkat Srinivasan, Edward A. Fox. P. 163 – 171.

Comentário:
O International Journal on Digital Libraries é um dos principais periódicos especializados em biblioteca digital. Vale a pena dar uma olhada em seus artigos.
Murilo Cunha

Pesquisa Google no telemóvel através de sms


0 Comentários

Um serviço, agora gratuito, da Google India principalmente dedicado para telemóveis que não tenham acesso à Internet. O texto sobre este serviço é retirado do blogue Digital Inspiration

This is something for mobile phone users in India who don’t have a web-enabled phone – you can now search for information on Google using SMS. The service has been around for a while but Google is no longer charging a premium fee for sending you the SMS message.

The Google SMS search service may be used for finding movie timings, weather, nearest pizza restaurant, currency conversion, train schedules, cricket scores and a host of other things.

One of the very useful features in SMS search is language translation. For instance, I could SMS "say hello in French" to 9-77-33-00000 to get the right French word.

Google SMS Search could be real bad news for the business of services like Indiatimes that charge a premium fee for delivering news or astrology updates on the mobile phone using short codes.

For details go to the Google Mobile website or check their help center for more details.

The Google blog says that you only need to pay the standard SMS text charges for sending the SMS query to Google – there’s no fee for the incoming messages from Google. The service is available for all popular cellular networks including Airtel, BSNL, Idea, Reliance, Spice, Tata Indicom and Vodafone.


segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Comentário do Mauricio Scheinman sobre a dependência da Internet


0 Comentários

Face à pertinência do comentário do estimado Mauricio Scheinman [autor do Blog do Scheinman], na notícia "Dependência da internet passa a ser classificada como problema médico", publicada pelo nosso colaborador Murilo Cunha, tomo a liberdade de evidenciar a mesma de modo a explicitar a sua reflexão sobre um problema que já começa a levantar bastante discussão em várias áreas, desde o campo da saúde, à sociologia, passando pela etnografia, entre outras:

Tive acesso à sua notícia através do diHitt e tive o estímulo de comentá-la face ao importante alerta transmitido.
Estes dias estava assistindo TV e numa reportagem sobre o tempo de permanência das pessoas diante do computador, verifiquei que jovens brasileiros, numa idade de 14 a 18 anos, permanecem cerca de 6 horas por dia conectados à internet.
Comem, divertem-se, socializam, namoram, estudam, fazem tudo pela rede mundial de computadores.
Confesso que cheguei à mesma conclusão tal como a externada em sua notícia. É doença e assim deve ser ser tratado o distúrbio.
O internauta viciado, para mim, está como o alcóolatra ou o viciado em substâncias proibidas. Vai se acabando aos poucos.

Mas há um agravante, tal como ocorre com as jovens bulímicas ou anoréxicas: é a legalidade que reveste a circunstância de estar diante do computador.
Não há qualquer ilícito em navegar na internet.
Até estimulamos as crianças a fazê-lo. As crianças assim são ensinadas. As escolas proporcionam aulas de informática e fornecem conexão à rede mundial de computadores. Em nossas casas sempre há um micro disponível aos nossos filhos.
Daí o perigo que reveste essa nova doença.

Não há nada que a freie ou obstaculize. O micro e a conexão estão lá, aptos a engolir o incauto e esfomeado internauta, sedento por aprender e por sentir novas emoções nesse imenso mundo por aí afora, sem falar nos algozes que muitas vezes, travestidos em peles de cordeiro praticam crimes abomináveis usando como escudo a rede de computadores.
Portanto, compete a nós estabelecermos um freio.

Primeiramente servindo de exemplo e não ficando nós, exageradamente, diante do micro...
Penso em algumas providências simples que talvez possamos adotar, para evitar o distúrbio nos jovens, já que prevenir é melhor do que remediar:
  • a) conexão à internet para lazer com tempo previamente determinado;
  • b) conexão das crianças e jovens, sempre assistida, após estudo e desempenho de demais tarefas quotidianas;
  • c) não disponibilização de computadores para uso exclusivo dos jovens;
  • d) fomento às atividades socializantes, tais como esportes de grupo, teatro, dança, ou seja lá o que for, contato que na companhia de outros jovens;
  • e) internet é prémio e não obrigação;
  • f) nos estudos, há outros meios de pesquisa salvo o uso das ferramentas de busca. Google não é para estudo: é para matar curiosidade. Quer usar a internet para estudar? Ok! Há ótimas bibliotecas e sites disponíveis, inclusive para pesquisas nos mais diversos níveis. Em suma, cautela para não "emburrecer" o jovem;
  • g) uso de filtros no que se refere a sites eróticos e de pornografia;
  • h) obstaculização de conversas online. Que o jovem vá encontrar os amigos no clube, na praça, no térreo do prédio... que vá falar no telefone! Mas ficar "teclando" no micro, nem pensar. Já ter um namorado ou namorada virtual, é coisa de maluco...
Enfim, procurei relacionar algumas providências que tomaria caso tivesse meus filhos por perto e verificasse que os mesmos correm risco no que se refere ao acesso exagerado e doentio à rede mundial de computadores.

Não sei se são dicas recomendáveis, ou apenas meras elocubrações de um pai que pretende ser zeloso e cauteloso.
Mas, dentro de meus princípios, penso que seria o melhor caminho a seguir para não ter um filho ou filha internado num hospital psiquiátrico sofrendo de abstinênca por não ter um micro por perto...
É isso, prezados amigos.
Um abraço!
Mauricio Scheinman

Penso que todos devemos reflectir sobre o impacto da tecnologia e do excesso de informação nas nossas vidas! Se assumirmos uma perspectiva bastante holística sobre os reais impactos na nossa qualidade vida, quais serão as verdadeiras consequências que vamos arcar dentro de alguns anos?
Devemos ou não começar a mediar o acesso e excesso de informação como medida preventiva da nossa saúde mental e física?

BlackBerry Storm


0 Comentários

A resposta da BlackBerry, TIM, ao iPhone da Apple. Interessante como este último se tornou referência para a forma como a informação é apresentada ao utilizador.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Hoje celebra-se o Dia Mundial da Usabilidade


2 Comentários

Hoje, dia 13 de Novembro, celebra-se o Dia Mundial da Usabilidade. O tema deste ano é dedicado aos Transportes.
Podem consultar todos os eventos mundiais dedicados à USABILIDADE no website da Usability Professionals' Association (UPA).

Em Portugal temos dois eventos registados:

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Cuidados com a Wikipédia


0 Comentários

"Pai" da Wikipédia diz que usuários devem ter cuidado com enciclopédia on-line
Autores: Felipe Maia e Sara Uhelski
Data: 12/nov/2008
Fonte: Folha de S. Paulo.
O co-fundador da Wikipédia, Jimmy Wales, afirmou nesta quarta-feira, durante sabatina da Folha, em São Paulo, que a Wikipédia é "boa", mas os usuários precisam tomar cuidado ao acessá-la. Ele aconselha que todos estejam atentos sobre a confiabilidade das fontes de cada verbete antes de acreditarem nas informações.
"A pessoa precisa ter a noção a respeito de onde vem aquela informação, e não aprendê-la diretamente", disse. Por outro lado, explicou que o mesmo cuidado deve existir ao usar qualquer outra fonte, inclusive as tradicionais --Wales reconhece que a Wikipédia tem erros, "assim como qualquer enciclopédia".
O empresário citou um estudo realizado em 2005 que analisou a Enciclopédia Britânica e verificou que havia três erros por página. Ele lembrou também uma pesquisa realizada no ano passado, que indicou a Wikipédia como fonte mais confiável do que a versão on-line da Brockhaus, tradicional enciclopédia da Alemanha.
Wales afirmou que os usuários devem ficar atentos aos alertas presentes em cada verbete. Em caso de dúvida, deve-se entrar no sistema de discussão do portal e ver qual informação está sendo questionada por outros internautas.
Sabatina
Jimmy Wales, 42, co-fundador da Wikipédia, é sabatinado pela Folha nesta quarta-feira. Wales é entrevistado por Ana Lucia Busch, diretora-executiva da Folha Online, Vinicius Mota, editor de Opinião, Rodolfo Lucena, editor de Informática, e Carlos Kauffmann, gerente do Banco de Dados da Folha.
Contando com tradução simultânea, Wales também responde a perguntas da platéia do teatro Folha, localizado no shopping Pátio Higienópolis, em São Paulo.
Neste ano, Wales declarou guerra ao Google ao lançar o mecanismo de buscas Wikia Search, que segue o mesmo princípio da Wikipédia: construção colaborativa, por meio de uma interface que permite ao usuário criar, editar, modificar ou apagar informações.
Na última segunda-feira, ele fez críticas ao YouTube, site de vídeos do Google. Wales afirmou que o portal "não é o melhor lugar para se informar". Isso apesar de os dois portais funcionarem sobre a mesma base: a colaboração dos usuários. "Eu concordo que o YouTube seja um bom lugar para ver vídeos engraçados, mas não para aprender sobre a crise financeira", disse, durante debate em São Paulo.
Em sua visita ao Brasil, Wales participa também do lançamento oficial do Instituto Wikimedia Brasil, capítulo local da Wikimedia Foundation, organização sem fins lucrativos que detém as marcas Wikipedia, Wikinotícias, Wikilivros, entre outras plataformas. A organização brasileira tem o objetivo de de apoiar a construção de conhecimentos gratuitos em língua portuguesa e nas línguas dos povos indígenas.

Atrair investidores com recurso às novas tecnologias


0 Comentários

Braga, 12 Nov (Lusa) - Mais de meia centena de autarquias já aderiram à plataforma "where-to-invest-in-portugal.com" (WTIP), lançada pela empresa Innovation Point, do Grupo DST, de Braga, disse hoje à Lusa fonte da administração da empresa.

"Até final do ano contamos ainda com a adesão de outros 20", acrescentou a fonte.

Segundo José Mendes, CEO da Innovation Point, a plataforma quer registar, até 2011, 70% dos municípios portugueses na sua estrutura, que tem como objectivo atrair investidores - portugueses e estrangeiros - para a implementação de negócios em Portugal.

O projecto desta "start-up" tecnológica, funciona, como sublinhou José Mendes, "como apoio aos municípios, permitindo-lhes entrar na rota do investimento directo e apresentar argumentos para a sua captação".

"Encaramos a actual conjuntura económica como uma oportunidade para o WTIP, pois o nosso público - municípios e investidores - valoriza uma ferramenta credível de acompanhamento deste tipo de processo de decisão", salientou.

A plataforma web, com versão em português e inglês, encontra-se em funcionamento desde 2006.

Através da subscrição da plataforma, as autarquias divulgam informação crítica para o processo de investimento, organizada em sete dimensões: capital humano, qualidade de vida, emprego/desemprego, actividade económica, serviços às empresas, acessibilidade e transportes, impostos e investimentos do Estado.

Para os utilizadores, o registo é gratuito e prevê a recepção de uma "newsletter" mensal sobre a situação económica, oportunidades de investimento e espaços de interesse para a localização de empresas nos municípios.

Os utilizadores - acrescentou - podem também recorrer ao "Investor Decision Support System", um sistema gratuito que determina as melhores localizações para os investimentos, e solicitar um serviço de acompanhamento do processo de decisão do local de investimento à equipa da Innovation Point.

Desde o seu lançamento, foram exibidas 200 mil páginas do WTIP e registaram-se visitas de 120 países, contando-se entre estes Portugal, EUA, Reino Unido, França, Brasil e Espanha.

A plataforma é recomendada por entidades do mundo empresarial e do investimento, nomeadamente a Câmara de Comércio Luso-Britânica.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Investigador do ISEP ganha prémio de pesquisas na Net


0 Comentários

Nuno Silva ganhou o prémio de melhor trabalho "From Web Data to Visualization via Ontology Mapping (texto integral da comunicação em PDF)" no Eurographics/IEEE VGTC Symposium on Visualization, o principal evento internacional de visualização de conteúdos.

O investigador do Instituto Superior Engenharia do Porto (ISEP) foi premiado pelo desenvolvimento de um sistema que permite pesquisar e seleccionar conteúdos na Internet, através de técnicas semânticas.

Segundo comunicado do ISEP, a tecnologia desenvolvida por Nuno Silva com o galês Owen Gilson permite obter informações qualitativamente mais precisas que as permitidas pela maioria dos resultados dos actuais motores, que apresentam listas de informação quantitativamente extensas que nem sempre correspondem ao que se pretende procurar na Web.

O trabalho liderado por Nuno Silva, que é apontado como um contributo para a Web 3.0, permite a análise de significados e a formulação de questões do tipo: «Mostre-me as situações em que o político X defendeu no passado ideias contraditórias com o seu programa eleitoral». Visualização de resultados em gráficos é outras das inovações alcançadas pelo trabalho de Nuno Silva.

Fonte: Exame Informática

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Dependência da internet passa a ser classificada como problema médico


2 Comentários

Fonte: Portal Imprensa.
Data: 10/11/2008

Assim como o alcoolismo e o vício em jogos, a dependência da internet passará a ser considerada como um problema médico, de acordo com manual de diagnóstico, elaborado por psicólogos chineses do Hospital Geral Militar de Pequim.

Segundo o manual, o principal sintoma do "novo vício" é o hábito de navegar na rede por mais de seis horas ao dia no lugar de trabalhar ou estudar, aliado à tensão e ao aborrecimento sentidos pelo usuário, quando há a impossibilidade de se conectar à rede, informa o China Daily.

Na maior parte das vezes, os dependentes da internet passam seu tempo em jogos online, navegação em sites de conteúdo pornográfico, comprando via internet, entre outros. Segundo a AFP, caso o Ministério da Saúde do país aprove a norma, o manual será o primeiro no mundo a prever tal tipo de dependência. Com o aval do Ministério, médicos e psicólogos acreditam poderem tornar mais simples o diagnóstico da Internet Addiction Disorder (Desordem de Dependência à Internet).

Pesquisas dão conta de que 42% dos internautas chineses se declararam dependentes da internet. Quanto aos americanos, 18% confessaram o mesmo, informa o IAC InterActiveCorp.

O tratamento para a dependência, segundo o jornal chinês, é proibir a conexão à rede aos pacientes, antes que sejam iniciadas as sessões psicológicas. É recomendado, ainda, que os dependentes façam terapia em grupo para que a socialização seja incentivada.
A China é o segundo país com mais usuários de internet no mundo, com 221 milhões de internautas, atrás apenas dos Estados Unidos, que possui 215 milhões.

Encontro internacional debate Ciência da Informação


0 Comentários

Estão abertas as inscrições para o “Challenges for the New information Professional”, tema forte do BOBCATSSS 2009 que, este ano, se realiza no Porto, nos dias 28, 29 e 30 de Janeiro.

Esta é já a 17ª edição deste encontro científico internacional realizado sob os auspícios da EUCLID (European Association for Library and Information Education and Research) e que reúne, normalmente, centenas de estudantes, docentes e profissionais da área da Ciência da Informação oriundos de todo o mundo.O BOBCATSSS 2008 teve lugar em Zadar, na Croácia, decorreu ao longo de 3 dias e contou com a presença de cerca de 400 participantes, provenientes de 31 países. A edição de 2009 está a ser organizada por um grupo de estudantes do Curso de Mestrado e do Curso de Licenciatura em Ciência da Informação da Universidade do Porto (ministrados pela Faculdade de Letras e pela Faculdade de Engenharia) em parceria com um grupo de estudantes da Universidade de Tampere – Finlândia –, com o apoio de docentes dos dois países.

“Challenges for the New information Professional” é o tema alavanca do BOBCATSSS 2009 que se subdivide em vários subtemas: Interdisciplinarity of Information Science; Information Professional and Information Management; The current impact of the new technologies in the life of the Information Professional; The rise and fall of physical libraries and archives; Information Literacy; eLibraries & eArchives e Librarian 2.0.

O encontro decorrerá nas Faculdades de Engenharia (dia 28 e dia 30) e de Letras (dia 29) da Universidade do Porto e terá como língua oficial o inglês .

As inscrições poderão ser efectuadas a partir da página web do evento: http://www.bobcatsss2009.org/

O acrónimo BOBCATSSS é formado pelas primeiras letras dos nomes das cidades das universidades que iniciaram o simpósio, desde 1993, ou seja: Budapeste, Oslo, Barcelona, Copenhaga, Amesterdão, Tampere, Stuttgart, Szombathely e Sheffield. AS / REIT

Fonte: Notícias da UP

sábado, 8 de novembro de 2008

Wordia: um dicionário textual e visual


0 Comentários

Existem centenas de dicionários eletrônicos na internet. Muitos deles são produtos da migração do formato impresso para o digital; outros são “nascidos digitalmente”. É sabido também o enorme sucesso do You Tube e serviços congêneres que possibilitam a publicação e divulgação de vídeos.
O Wordia [URL: www.wordia.com/] é um dicionário diferente que agrega as funções normais de um dicionário eletrônico (que dá as diversas acepções de uma determinada palavra) com as potencialidades informativas do vídeo. Além disso, ele é feito sob a forma colaborativa dos usuários.
Vale a pena dar uma olhada, tanto nas definições quantos nos vídeos. Um alerta: infelizmente o vocabulário ainda se refere a termos da língua inglesa. Quem sabe não poderíamos ter uma versão para a língua de Saramago e de Jorge Amado?
Murilo Cunha

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

77 milhões de brasilieiros não lêem livros


0 Comentários

Fonte: Agência Câmara dos Deputados.
Data: 29/10/2008
Autor: Oscar Telles

O País tem 77 milhões de pessoas que não lêem livros, segundo dados da pesquisa "Retratos da Leitura no Brasil 2007" divulgados nesta quarta-feira, na Câmara, por Galeno Amorim, diretor do Observatório do Livro e da Leitura. De acordo com ele, esse problema não ocorre apenas entre as pessoas com baixa escolaridade, já que 8% dos entrevistados com nível superior de ensino também não são leitores. Galeno foi um dos participantes do 1º Seminário de Incentivo à Leitura no Brasil, promovido pela Frente Parlamentar Mista da Leitura.
Segundo ele, 95 milhões de brasileiros leram pelo menos um livro nos três meses anteriores à pesquisa, feita no final de 2007 pelo Instituto Pró-Livro. O levantamento, no qual foram ouvidas 5 mil pessoas em 311 cidades de todo o País, mostra que as mulheres lêem mais do que os homens, e que a Bíblia é tida como a obra mais importante para os adultos.
As crianças, por sua vez, preferem publicações como o "Sítio do Pica-pau Amarelo", de Monteiro Lobato; a fábula "Chapeuzinho Vermelho" e a série "Harry Potter", da escritora britânica J.K. Rowling. De acordo com Galeno Amorim, a adolescência e a infância são apontadas como as fases em que as pessoas mais lêem: a pesquisa mostrou que sete crianças, em cada grupo de dez, são leitoras.
Bíblia De acordo com a pesquisa, 66% dos livros estão nas mãos de 20% da população; 8% dos brasileiros não têm nenhum livro em casa; e 4% têm apenas um. A maioria dos leitores (55%) costuma ler apenas trechos ou capítulos; 11% pulam páginas e 38% lêem o texto inteiro.
Dos 43 milhões que vêem apenas trechos das obras, 10% são leitores da Bíblia, que é lida por grande parte dos adultos, mesmo por aqueles que se declaram agnósticos ou ateus. Ela é mais lida por protestantes (9,8%) e evangélicos em geral (12,26%) do que pelos católicos (2,82%) e kardecistas (2,54%). "Dos 48 milhões de leitores que não estavam estudando, 6,9 milhões liam a Bíblia", informou Galeno.
Obrigação De acordo com a pesquisa, 21,4 milhões dos leitores têm contato com os livros apenas por obrigação, mas 71,7 milhões dizem sentir prazer nessa atividade.
Ainda segundo o levantamento, as mães são as pessoas que mais influenciam a leitura. E os escritores mais admirados no Brasil são Monteiro Lobato, Paulo Coelho, Jorge Amado e Machado de Assis.
Também participaram do debate, entre outros, o secretário-executivo do Ministério da Cultura, Alfredo Manevi, o vice-presidente da Câmara Brasileira do Livro, Bernardo Gurbanov, e o deputado Magela (PT-DF). O seminário desta quarta-feira foi realizado pela frente parlamentar com o objetivo de debater a criação do Fundo Pró-leitura, que financiaria as ações do Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL).

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

@FEUP Repositório


0 Comentários

Mais uma notícia importante para o crescimento do movimento do Acesso Livre em Portugal:

A Biblioteca da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto gere desde 2003 um Repositório que engloba os conteúdos da biblioteca digital, do repositório institucional, do museu digital e do arquivo electrónico.

Estão já disponíveis, em formato electrónico, 11.760 documentos.

Deste conjunto, salientamos:

  • Todas as teses de doutoramento e dissertações de mestrado que existem na Biblioteca;
  • Documentos registados no SiFEUP, na área das bibliografias dos docentes e investigadores;
  • Trabalhos de alunos (filmes, animações, websites);
  • Livros, capítulos, normas, patentes, artigos, comunicações;
  • Fotografias dos objectos dos núcleos museológicos;
  • Documentos administrativos geridos pelo Arquivo;
  • Materiais pedagógicos;
  • Notícias e recortes de imprensa.
[...] No âmbito do Repositório, integra-se o projecto de validação da bibliografia dos docentes e investigadores que inclui a verificação dos metadados das publicações registadas no SiFEUP, a disponibilização dos documentos em formato electrónico e a inserção da menção ao registo nas principais bases de dados internacionais (EiCompendex, Scopus, Web of Science), caso este registo se verifique. [...]

O @FEUP está registado nos websites internacionais de divulgação de repositórios institucionais para aumentar a sua visibilidade e partilha e para integrar nas ferramentas de pesquisa disponíveis internacionalmente.

Os conteúdos de âmbito institucional do @FEUP são automaticamente integrados no Repositório da UP. [fonte: SiFEUP]

Esta notícia é particularmente relevante face ao conjunto significativo de documentos disponibilizados em acesso livre, mais de 3300, correspondente à informação institucional no @FEUP Repositório. Estes podem constituir-se como um bom contributo para o projecto Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal - iniciativa da UMIC – Agência para a Sociedade do Conhecimento, IP concretizada na FCCN (Fundação para a Computação Científica Nacional) - que conta com a participação activa do nosso colaborador Eloy Rodrigues, mentor do RepositóriUM, criado em 2003.

O projecto Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal permitirá a integração coerente com metadados destes repositórios, de outros que venham a ser localizados noutras instituições científicas ou do ensino superior e dos repositórios institucionais que utilizem a plataforma tecnológica disponibilizada na FCCN para qualquer instituição científica ou do ensino superior sem custos para estas instituições.
Acresce que, em 27 de Novembro de 2006, o CRUP – Conselho de Reitores das Universidades portuguesas subscreveu a Declaração de Berlim sobre Acesso Aberto ao Conhecimento nas Ciências e Humanidades (Declaration on Open Access to Knowledge in the Sciences and Humanities). [fonte: UMIC]

Arquivo

Categorias