quinta-feira, 28 de junho de 2007

A profissão


2 Comentários

Profissionais formados em Ciência da Informação com Habilitação em Biblioteconomia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas) estão impedidos de exercer a profissão. Os alunos não conseguem tirar o registro profissional, por que o Conselho Regional da categoria não reconhece o curso.

A falta do registro impede que os profissionais sejam contratados por instituições públicas. (...)

In EPTV

E em Portugal? Cada vez são mais as licenciaturas em Ciência da Informação, Ciências e Tecnologias da Informação, Ciências da Informação e Documentação e muitas outras que vão substituindo as pós-graduações necessárias para aceder às carreiras da função pública. Qual a posição da BAD neste processo?

Guia para a elaboração de caderno de encargos e avaliação de software para sistemas electrónicos de gestão de arquivos


0 Comentários

Baseado na especificação MoReq (produzida no âmbito da Comissão Europeia), pretende facilitar a sua interpretação e auxiliar as organizações a elaborar a componente técnica de um caderno de encargos para aquisição de soluções informáticas para gestão de documentos (ver documento em PDF). Ajude a melhorar o documento enviando seus comentários de aplicação para geac@iantt.pt.

Fonte: IANTT


Novo periódico: Ponto de Acesso


1 Comentários

O Instituto de Ciência da Informação da Universidade Federal da Bahia (UFBA) lançou o periódico Ponto de Acesso, uma publicação semestral que tem como finalidade divulgar estudos, pesquisas, ensaios, resenhas e outros tipos de produção acadêmica, no campo da Ciência da Informação.
Os artigos podem ser acessados no URL:
<http://www.pontodeacesso.ici.ufba.br>
O primeiro número já está disponível na Web. O nosso blog envia os votos de sucesso para essa nova publicação!
Murilo Cunha

terça-feira, 26 de junho de 2007

RSS - Really simple!


0 Comentários

Uma forma fácil de se explicar o conceito de RSS... realmente “Really Simple!”


Mais informação sobre RSS:

- Wikipédia

- Info wester

sexta-feira, 22 de junho de 2007

Google vai guardar dados de utilizadores durante 18 meses


0 Comentários

O Google aplicou novas regras de defesa da privacidade. Doravante, serão os utilizadores a decidir se motor de busca pode ou não arquivar dados de pesquisas por mais de 18 meses.

Esta medida vem no seguimento de algumas críticas de defensores da privacidade dos cibernautas, que receiam que o motor de busca mais popular do mundo utilize os dados de pesquisas sem o devido respeito da privacidade dos utilizadores.
De acordo com as novas regras internas do Google, os dados relativos às pesquisas passam a ser arquivados durante 18 meses, independentemente de o utilizador dar ou não consentimento ao aproveitamento desses dados.

O Google lembra que o recurso aos dados das pesquisas de cada utilizador permite criar contextos e aumentar a eficácia das pesquisas. E esta é a razão por que os novos regulamentos do Google contemplam ainda o arquivo de dados de pesquisas por períodos superiores a 18 meses. Mas nestes casos, o motor de busca apenas procede ao arquivo dos dados de pesquisas, caso o utilizador o consinta.

Com estas regras, o Google prevê tornar anónimos os dados de pesquisas quando não existe consentimento para a utilização dos mesmos em períodos superiores a 18 meses, informa a BBC.

Fonte: Exame Informática

quarta-feira, 20 de junho de 2007

O que é o Open Document Format?


0 Comentários

O Open Document Format é um formato aberto para armazenar e trocar documentos.

O padrão Open Document foi desenvolvido por uma grande variedade de organizações e o seu acesso é público. Isso significa que pode ser implementado em qualquer sistema, seja ele código aberto ou proprietário, sem incidência de qualquer tipo de pagamento.

A intenção o formato ODF é prover uma alternativa aos formatos proprietários de documentação, para que organizações e indivíduos não fiquem aprisionados em um único fornecedor. Conheça mais acerca deste formato de documentos digitais.
Aceda a mais informação em: ONLamp

Fonte: NESI Newsletter

Meninos de rua de Buenos Aires usam a internet


0 Comentários

Internet chega a 97% dos meninos de rua de Buenos Aires
11 de junho, Fonte: BBC Brasil
URL: http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2007/
06/printable/070611_meninosderuainternetfp.shtml

Data: 11 de junho de 2007.
Autoria: Márcia Carmo (Buenos Aires)

Um levantamento realizado pelo governo da cidade de Buenos Aires revelou que 97% dos meninos que vivem nas ruas já usaram internet alguma vez na vida. Deste total, 30% navegam duas ou três vezes por semana e 55% passam mais de uma hora conectados à rede.
A mesma pesquisa apontou que 30% do total destes usuários gastam entre seis e 20 pesos por semana (entre R$ 4 e R$ 14) para pagar o acesso à internet nos cybercafés. A maioria deles (65%) prefere trocar mensagens com os amigos, já que quase a metade tem e-mail. A pesquisa ainda revelou que 20% já possuem um fotolog.
Locutórios
Os resultados são possíveis porque em Buenos Aires – e no resto da Argentina também – existe praticamente um "locutório" (como os argentinos chamam os cybercafés) em cada esquina.
Os preços pela hora na internet variam, mas são considerados acessíveis para a maioria da população e podem custar entre 50 centavos e um peso.
Para facilitar o acesso dos meninos carentes à informática, o governo da cidade de Buenos Aires criou dois "locutórios" gratuitos e exclusivos para essas crianças. Eles passam até três horas nos dois locais, divertindo-se com jogos virtuais de futebol e basquete, entre outros.
"Antes, estes meninos estavam em um campinho de futebol, mas hoje entram nos locutórios para baixar filmes, escutar música e jogar na internet", disse Marisa Graham, diretora do projeto, ao jornal Perfil.
Pesquisa realizada há dois anos pela Universidade Três de Fevereiro apontou que os meninos de rua gastam metade do que ganham limpando vidros nos sinais de trânsito, por exemplo, para pagar o uso da internet.
ONGs
Paralelamente à criação dos "locutórios" gratuitos, ONGs também se dedicam à causa. É o caso da Fundação Criar Vale a Pena (CVLP, sigla em espanhol), que ensina meninos e meninas de bairros carentes a criar vídeos sobre suas próprias vidas, no computador.
O objetivo, segundo os diretores da ONG, é a inclusão digital. Atualmente, quase metade da população Argentina (16 milhões) tem acesso a uma conexão de rede.
Deste total, 34,3% usam os "locutórios", modalidade que se espalhou pelo país depois da histórica crise econômica de 2001, quando muitos queriam diminuir os gastos domésticos ou aproveitar para mandar currículos pela internet.
Do total de usuários argentinos, 64,2% têm computador em casa, 19,4% entram na internet no trabalho e os outros 4,2% o fazem de universidades e outras instituições.

terça-feira, 19 de junho de 2007

Novela da Globo será apresentada no Second Life


0 Comentários

O espaço virtual do Second Life foi o ambiente escolhido para a Globo apresentar a nova novela, no próximo dia 17. A novela (a ser exibida pela SIC), será apresentada entre as 13h00 e as 20h00 horas. O espaço virtual de apresentação assenta num estúdio de vidro da estação brasileira e contará com a presença de avatares de personagens da novela. Os avatares são figuras em três dimensões que simulam aspectos da vida real, num misto de realidade virtual, jogo e comunidade de relacionamento.

Fonte: Exame Informática

quarta-feira, 13 de junho de 2007

Microsoft's Center for Information Work touch-desk


1 Comentários

Será este o futuro das nossas secretárias?

RepositóriUM regista 1.000.0000 de downloads


0 Comentários

O repositório institucional da Universidade do Minho (U.M.) - RepositóriUM - acaba de inscrever um novo marco no seu historial. Dados estatísticos dos últimos dezassete meses (desde Janeiro de 2006) de actividade demonstram que a produção científica da U.M. arquivada no RepositóriUM já registou mais de 1.000.0000 downloads e 712.000 consultas. Apenas nos primeiros cinco meses de 2007 já se registaram mais de 529.000 downloads.

O RepositóriUM reúne presentemente mais de 5.570 documentos, sendo que destes 36% são artigos científicos, 37% comunicações a congressos e conferências e 12% teses e dissertações e na sua esmagadora maioria estão disponíveis em acesso livre (93%), encontrando-se apenas cerca de 7% em acesso restrito à U.M., definitivamente, ou durante um período de embargo de 1 a 3 anos.

[...]

Consulte a notícia completa em: SDUM

Eis um projecto de reconhecido valor com repercussão internacional!

terça-feira, 12 de junho de 2007

Nova edição do Aprendiz de Arquivo


0 Comentários

O Serviço Educativo do Arquivo Regional da Madeira lançou o número 2 do jornal “Aprendiz de Arquivo”.
O projecto tem por objectivo perpetuar o trabalho que o Serviço Educativo tem vindo a desenvolver com a comunidade escolar, mas também dar a conhecer as funções e fundos do Arquivo Regional, enquanto detentor de uma parcela importante da memória colectiva da RAM.
Nesta edição destacam-se rubricas como “Tema Central”, dedicado à maleta pedagógica "Os Eus Escondidos", novo projecto do Serviço Educativo do ARM, “Serviços Técnicos”, relacionado com o Serviço de Arquivos Definitivos, ou “Guia do ARM”, onde será apresentado o fundo da Polícia de Segurança Pública, etc.

Um exemplo a seguir.

Consulte o texto integral:
Aprendiz de Arquivo n.º 2

Desde já agradeço à colega Márcia Vieira, Arquivísta, pela sua colaboração.

segunda-feira, 11 de junho de 2007

Gerenciamento de projetos de bibliotecas digitais


0 Comentários

Interessante artigo de autoria de Frank H. Cervone acaba de ser publicado sobre o gerenciamento de projetos de bibliotecas digitais. Esse aspecto é pouco abordado na literatura sobre bibliotecas digitais.
O autor, da Northwestern University Library (Evanston, Illinois, US), sugere a utilização do Project Management Institute (PMI) como metodologia para a implantação desse tipo de biblioteca, a qual pode trazer reduções nos custos e no aceleramento das fases inerentes ao projeto.
Murilo Cunha

Referência:
Cervone, H. Frank. Standard methodology in digital library project management. OCLC Systems and Services, v, 23, n. 1, p. 30-34, 2007. : ISSN: 1065-075X

sexta-feira, 8 de junho de 2007

Women in Art - uma viagem pela História da Arte


0 Comentários

A arte como representação da actividade mental e expressão da criatividade humana é sinónimo de Informação.

Como estamos próximo do fim-de-semana, e devidamente enquadrado no contexto deste blogue, aproveito para disponibilizar o seguinte vídeo para descontrair.

Votos de um bom fim-de-semana,

Paulo Sousa

McAfee alerta para os perigos das pesquisas web


0 Comentários

Um problema bem real, que face à constante necessidade de acesso e uso da informação digital, nem sempre associamos o risco implícito de infectar o computador ou outros dispositivos móveis. Aqui ficam alguns dados.

"A empresa de segurança acaba de publicar uma nova versão do relatório que alerta para os perigos de infiltração de spam e spyware associados ao uso dos motores de busca.

O relatório “The State of Search Engine Safety" revela que as buscas dentro das categorias “música digital”, “brinquedos tecnológicos” e “coisas para fazer on-line” nos motores de pesquisa Google, Yahoo, MSN ou AOL acarretam um risco entre 30% a 50% de contaminação do computador.

No total, a McAfee diz que 4% de todas as pesquisas efectuadas on-line resultam em contaminação por associação indesejada a links de sites questionáveis.

O mesmo estudo revela ainda que as redes de peer-to-peer Kazaa, Limewire, Bearshare e Winmx são as que mais perigos representam para o utilizador."


Fonte: Exame Informática

quarta-feira, 6 de junho de 2007

3º Prêmio Carol Kuhlthau


0 Comentários

As inscrições para o 3º Prêmio Carol Kuhlthau estão abertas. A iniciativa destina-se a bibliotecários e outros profissionais que atuam em bibliotecas no âmbito do ensino básico em todo o Brasil. A proposta é identificar experiências de bibliotecários, professores e outros educadores que estejam utilizando a metodologia proposta no livro "Como usar a biblioteca na escola: um programa de atividades para o ensino fundamental", de Carol Kuhlthau.

Os trabalhos poderão ser enviados até o dia 10 de agosto para a Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais. As inscrições são gratuitas.

O regulamento está disponível aqui.

A web é coisa do passado


2 Comentários

Autor: Eduardo Vieira
Fonte: Época, Rio de Janeiro, 19 de março de 2007. URL: <http://revistaepoca.globo.com/>
Ted Nelson afirma que a web, como a conhecemos, se tornou ultrapassada. Não considero que a web use o hipertexto como eu o concebi. Os links da web são unidirecionais. Levam a só um lugar - todos do mesmo jeito. Isso é muito tolo. Os links não são o que eu queria. Parecem coisa velha, ultrapassada, simples demais.
O problema talvez seja a própria web. Ela é quadrada demais. Não podemos esquecer que Internet e web são coisas diferentes. As palavras são usadas como sinônimo em várias partes do mundo, mas isso é errado. A Internet é a rede que liga vários computadores.
A web é a interface gráfica que nos permite ver o conteúdo da Internet como numa página de revista. A web é o carteiro que você vê na rua e é totalmente dependente da qualidade do navegador que você usa. E acho todos os navegadores ruins, ultrapassados e limitados. Sua interface é ultrapassada.
Tudo hoje é muito copiado; as pessoas falam em blogs, wikis, redes sociais on-line. Não são idéias originais, são coisas de que já se falava nos anos 60. Publicar um diário é a coisa mais velha do mundo. E qual é a diferença entre um blog e um site? O blog rola mais para baixo?
Uma inovação tem a ver com forma, e as pessoas não conseguem fugir do retângulo nunca. O livro é um retângulo, o papel é um retângulo, a tela do computador é um retângulo. Saiam dos retângulos! Por que tudo tem de estar em linha reta, ter um visual quadrado? O papel é uma prisão. A maior prisão da humanidade.

Cego põe à prova info-inclusão


0 Comentários


Fernando Santos, é cego, e vai tentar viver através da Internet, passando 11 dias fechado num quarto de hotel.

Começa hoje a Integra21 ( http://www.integra21.com/ ), uma iniciativa que visa apontar quais as principais dificuldades com que invisuais e pessoas com problemas de visão se deparam em websites portugueses.

Fernando Santos foi o homem escolhido pela Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal (ACAPO) e pela Vector21, empresa organizadora para estar 11 dias fechado num quarto, a tentar viver exclusivamente pela Internet.

Poderá um cego fazer a sua vida diária, através da utilização dos Sítios on-line portugueses?”. Esta é a questão que o projecto Integra21 pretende responder, numa iniciativa arrancou ontem, dia 5 de Junho, e decorrerá ao longo dos próximos 10 dias.

terça-feira, 5 de junho de 2007

Biblioteca - a verdadeira fronteira?


0 Comentários

A CNN dá a conhecer uma biblioteca que é literalmente uma fronteira. Veja o video Library on the border.

Primeiro ano do Plano Nacional de Leitura


0 Comentários

No passado dia 30 de Maio foi apresentado o balanço do primeiro ano do Plano Nacional de Leitura.
"
Lançado no dia 1 de Junho de 2006, por iniciativa dos Ministérios da Educação e da Cultura e do Ministro dos Assuntos Parlamentares, o Plano Nacional de Leitura recebeu o alto patrocínio do Presidente da República e de Maria Cavaco Silva.
Os elementos já recolhidos permitem afirmar que, durante o primeiro ano de actividade, foi possível:

  • Executar os diferentes programas previstos
  • Mobilizar os principais agentes de promoção da leitura
  • Reunir apoios das autarquias, da sociedade civil e das empresas
  • Lançar iniciativas bem acolhidas pelos destinatários"

Aceda à notícia completa no Portal do Governo
Aceda ao relatório: Um ano de actividade do Plano Nacional de Leitura (Ficheiro em PDF com 44 páginas, 689 KB)

domingo, 3 de junho de 2007

O Brasil se prepara para consolidar o acesso livre à informação


0 Comentários

O Deputado Rodrigo Rollemberg protocolou, no último de 23 de maio de 2007, projeto de lei, PL 1120/2007. Este PL trata do processo de disseminação da produção técnico-científica do Brasil e dá outras providências.

Trata-se de uma iniciativa pioneira no país e, por que não dizer na América Latina. O Brasil é o primeiro país na América Latina a estabelecer um marco legal com o propósito de registrar e disseminar a produção técnico-científica brasileira. Esse PL representa um passo decisivo e corajoso em direção ao acesso livre à informação científica no país. Se aprovado, este projeto de lei deverá contribuir para derrubar as barreiras do acesso à informação científica.

O Deputado Rodrigo Rollemberg propõe, por meio deste PL, em seu artigo primeiro que todas as instituições de ensino superior, de caráter público, assim como as unidades de pesquisa, fiquem obrigadas a construir os seus repositórios institucionais, nos quais deverão ser depositadas toda a produção técnico-científica de seus corpos docente, discente e de pesquisadores. Esse artigo estabelece ainda que esse conteúdo deverá ser disseminado via a rede mundial de computadores, Internet, de forma livre.

Vinculados a esse primeiro artigo, seguem as seguintes orientações:



  • Os repositórios institucionais deverão ser compatíveis com padrões de interoperabilidade adotados internacionalmente.

  • Fica o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) responsável pela integração, consolidação e disseminação, em seu sítio na Internet, de todos os repositórios institucionais.
  • Os pesquisadores, que receberem apoio financeiro proveniente do governo federal, estadual ou municipal para suas pesquisas, são obrigados a depositar uma cópia das publicações dos resultados dessas pesquisas.
  • No caso em que tais publicações sejam protegidas por contratos de “copyright” que as impeçam de serem depositadas em seu completo teor, os pesquisadores se obrigarão a pelo menos depositar os seus metadados, com o compromisso de disponibilizar o acesso ao completo teor a partir do momento de sua liberação.
  • O mesmo se aplica em casos em que as publicações contiverem objetos passíveis de serem patenteados.
  • No que tange aos padrões de interoperabilidade, estes deverão ser estabelecidos pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia que, inclusive, terá a atribuição de orientar tecnicamente e dar total assistência às instituições de ensino superior e às unidades de pesquisa para a construção dos repositórios.
  • A inobservância do disposto no presente artigo por parte dos pesquisadores, das instituições de ensino superior ou das unidades de pesquisa torná-los-ão inelegíveis para obtenção de qualquer apoio financeiro para suporte às suas pesquisas.

Com o propósito de disciplinar e regulamentar todas as ações que devem ser tomadas com o objetivo de consolidar o acesso livre à informação científica, o artigo segundo estabelece a criação de um Comitê de Alto Nível a ser coordenado pelo Ibict. Esse Comitê terá a incumbência de discutir e estabelecer uma Política Nacional de Acesso Livre à Informação Científica.


Parabenizo o Deputado Rodrigo Rollemberg pela coragem e ousadia ao protocolar esse PL. Trocando em miúdos, o PL 1120/2007 formaliza o mandato para que os pesquisadores depositem os resultados de suas pesquisas em repositórios de acesso livre. Além de estabelecer o mandato, ele cria a infra-estrutura tecnológica necessária para suportar o depósito dos resultados de pesquisa e sua integração e consolidação. Nesse contexto, o Ibict desempenha importante papel de orientar, assistir e apoiar tecnicamente a construção de toda essa infra-estrutura tecnológica.


Por outro lado, vale lembrar que o Ibict já vem desempenhando esse importante papel, por meio da distribuição de tecnologias, de metodologias, assim como da estimulação da comunidade provedora de informação científica para a criação da referida infra-estrutura.


Hoje, o Ibict detém o domínio de um conjunto de tecnologias que constituem uua verdadeira caixa de ferramentas que dá suporte a todas as ações preconizadas pelo referido projeto de lei. Portanto, esse PL tem todo o suporte tecnológico necessário, assim como competência técnica para orientar e assistir às universidades e unidades de pesquisa brasileiras. No entanto, será necessário que uma Política Nacional de Acesso Livre seja estabelecida, de comum acordo com todos os segmentos da comunidade científica brasileira. Esse política é que dará as orientações necessárias, assim como as diretrizes que cada uma desses segmentos deverá seguir. O trabalho desse Comitê poderá ser facilidado, uma vez que existe o Manifesto Brasileiro de Apoio ao Acesso Livre à Informação Científica, no qual estão lançadas uma série de recomendações a cada um desses segmentos.

Cabe a todos nós, atores da comunidade científica, o papel de continuar a sensibilizar, esclarecer e promover o acesso livre no país. Vamos todos lutar para a aprovação, pelo Congresso Nacional, do Projeto de Lei nº 1120/2007 assinando uma petição on-line criada especificamente com esta finalidade neste link.

Fonte: Blog do Kuramoto

sexta-feira, 1 de junho de 2007

E-LIS arquivo aberto em ciência da informação


0 Comentários

O E-LIS [<http://eprints.rclis.org>] é um arquivo aberto com documentos técnico-científicos publicados na área de ciência da informação e áreas correlatas. Em maio de 2007 o seu acervo contava com 5.780 documentos.

Arquivo

Categorias