quinta-feira, 5 de julho de 2007

Memória futura




Porque há problemas bem reais inerentes à digitalização...

Natalie Ceeney, responsável pelos arquivos nacionais do Reino Unido, utilizou a expressão «bomba relógio» para designar o problema que pode ser enfrentado no acesso aos ficheiros antigos, referindo a possibilidade de a sociedade «perder anos de informação crucial».

«A menos que mais trabalho seja feito para assegurar por via legal que os formatos dos ficheiros podem ser lidos e editados no futuro, vamos enfrentar uma época negra nos ficheiros digitais», afirmou Gordon Frazer, responsável pela Microsoft no Reino Unido, em declarações à BBC.

Segundo a BBC, a National Archives detém 900 anos de material escrito e possui mais de 580 terabytes de informação - o equivalente a 580 mil enciclopédias – em ficheiros com formatos que já não são comercializados.

In Sol


2 Comentários:

Ana on 10 julho, 2007 disse...

Esse é sem dúvida um problema bastante grave de que muitos se esquecem. E quando a economia está em crise parece quase um desperdício gastar dinheiro a "salvar papéis velhos". Esquecem-se as pessoas, no entanto, que a história tem muito a ensinar e que se lhe prestassemos mais atenção talvez não estivessemos nesta situação
Uma das abordagens que os National Archives ingleses encontraram para melhorar as coisas sem acrescer muitos os custos foi a utilização de um wiki.

Martin disse...

Vejamos o que será então necessário para salvar a Biblioteca da FEUP com as sucessivas alterações do layout do website.

Quando a crise ataca, a biblioteca é a proa e como tal a primeira afundar. Que todos os pseudo letrados, ditos bibliotecários, tenham isto em mente.

Arquivo

Categorias