segunda-feira, 16 de março de 2009

Ônibus serve como biblioteca na Nicarágua, atendendo 9,5 mil crianças




Fonte: Jornal do Brasil Online. Data: 13/03/2009.
Autor: Oliver Sefrin*.

NICARÁGUA - Mais alguns minutos na fila e será a vez dela. A jovem Escarlet, habitante do povoado Los Pocitos, a 50 km ao sul de Manágua, na Nicarágua, espera no pátio da sua escola, junto com outras crianças e jovens, a hora de ser atendida. Ela leva na mão uma edição espanhola do livro “A História sem Fim”, do famoso autor alemão de literatura infantil ­Michael Ende.

Ela pegou o livro emprestado num lugar inusitado – numa biblio­teca móvel, o ônibus Bertolt Brecht, que atende cerca de 9,5 mil crianças e adultos em escolas e prisões de Manágua e ­comunidades próximas. O colorido veículo leva a bordo entre 150 e 200 livros – obras de ficção e não-ficção, literatura ­infantil e para adultos. Onde quer que ele chegue, é recebido com grande entusiasmo.

A idéia de uma biblioteca móvel partiu de uma alemã: Elisabeth Zilz, de 86 anos, proveniente de Frankfurt do Meno. Em 1985, ela fundou a associação “Uma biblioteca movel na Nicarágua”. Seu objetivo era elevar a baixa taxa de alfabetização no país e facilitar o acesso da população aos livros, um bem raro e caro na ­Nicarágua, sobretudo nas zonas rurais.

A iniciativa fez com que Elisabeth Zilz recebesse, em 2008, a maior condecoração nicaraguense. Sua perseverança valeu a pena. A biblioteca móvel já existe há 22 anos. O grande sortimento de livros provém da biblioteca alemã-nicaraguense, fundada em Manágua, também com ajuda de Elisabeth Zilz. A maior do país, com um acervo de 12 mil livros – literatura nicaraguense e internacional e uma coleção em espanhol de obras de autores alemães, como Goethe e Günter Grass.

A sala de leitura da biblioteca, inaugurada em 2001, é muito frequentada, sobretudo por crianças e adolescentes. O número de leitores chega a mais de cem por dia. Os jovens lêem, fazem seus deveres de casa ou participam de cursos de alemão e inglês.
O futuro da biblioteca e da biblioteca móvel está garantido, graças a um segundo parceiro alemão do projeto, a associação “Pan y Arte”. Uma boa notícia para Escarlet e outros jovens ratos de biblioteca do ­povoado Los Pocitos.

*Da revista Deutschland Online

2 Comentários:

Jose Murilo on 20 março, 2009 disse...

Parabéns pelo excelente blog.
Em relação a este post, gostaria de destacar que a idéia de utilizar o transporte coletivo como local de acesso a cultura também acontece no Brasil. Veja aqui.
Abs.

Murilo Cunha on 21 março, 2009 disse...

Você está correto. No Brasil, por exemplo, é usado desde o final dos anos 50. O ônibus-biblioteca da atual Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais, em Belo Horizonte, é um bom exemplo desse tipo de utilização. Existem bibliotecas deste tipo em outros estados brasileiros.
Murilo Cunha

Arquivo

Categorias