segunda-feira, 28 de abril de 2008

Conferência “Direitos de Autor na Web”


1 Comentários

A Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva vai realizar no próximo dia 2 de Maio, pelas 21h30, no seu auditório, a conferência “Direitos de Autor na Web”, com a presença do Dr. Lucas Serra (Sociedade Portuguesa de Autores) e do Dr. Pedro Venâncio (Instituto Politécnico do Cávado e do Ave).

O Dr. Lucas Serra fará uma intervenção sobre “A Edição literária e sua utilização na rede” e o Dr. Pedro Venâncio sobre os “Direitos de Autor na Internet”, abordagem genérica.

A entrada é livre.

Informação disponibilizada pelo Dr. Miguel Ferreira, investigador da Universidade do Minho.

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor 2008


2 Comentários


Hoje, celebra-se em todo o mundo o
Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor.
A Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou o ano 2008 como o “Ano Internacional dos Idiomas”, apelando à reflexão sobre a dimensão linguística do livro, suporte de expressão que vive pela língua e na língua. Fonte: Unesco

Ainda que de uma forma muito singela, não quero deixar de evocar duas manifestações comemorativas desta data que de algum modo me são especiais. A primeira trata de uma selecção de livros de engenharia, organizada pela biblioteca da FEUP. A segunda, trata-se do evento "Literatura em Viagem - LEV" (em PDF), organizada pela Biblioteca Municipal Florbela Espanca, do qual culminou, este ano, com o lançamento da Revista de Cultura Literária de Matosinhos 'Itinerâncias'. Tive a sorte de me oferecerem um exemplar e posso-vos dizer que é uma publicação de grande qualidade, quer ao nível dos conteúdos, quer na componente gráfica - estão de parabéns.

Desejo a todos mais um ano recheado de grandes leituras! Estou certo que esta é uma das únicas vias para crescermos continuamente em toda a nossa plenitude.

Sistema de armazenamento digital de longo prazo evolui com a tecnologia


0 Comentários

Redação do Site Inovação Tecnológica
23/04/2008

Os dados digitais estão por toda parte: livros, filmes, imagens e praticamente todo o conhecimento gerado pela humanidade estão hoje já armazenados em formato digital ou sendo rapidamente convertidos em bits. Manter esses dados por longo prazo, contudo, não é um problema que se possa chamar de definitivamente solucionado.

Armazenamento de longo prazo

A melhor opção para o armazenamento digital de longo prazo hoje disponível é a fita magnética, que tem uma vida útil estimada em 100 anos. E, uma vez gravada, ela não consome energia. É por isso que empresas e governos utilizam sistemas de armazenamento e backup em fitas magnéticas. A vida útil estimada dos discos ópticos, como CDs e DVDs, não passa de 10 anos, uma marca da qual os discos rígidos nem se aproximam, devido ao desgaste constante de suas inúmeras partes móveis.

Pensando nesse problema, cientistas da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, criaram um sistema que, segundo eles, poderá garantir o armazenamento seguro de informações digitais por um período ilimitado de tempo. Ao invés de inventar uma nova forma de armazenamento, eles criaram uma camada de software que acessa os dados independentemente do meio físico onde eles estão armazenados.

Evoluindo com a tecnologia

O protótipo do sistema, batizado de Pérgamo, se baseia justamente em discos rígidos que, embora pouquíssimo duráveis, são mais baratos e de acesso mais rápido. É bom lembrar que o objetivo do sistema não é manter um backup de dados, que se espera nunca será utilizado, mas a manutenção de arquivos que deverão ser acessados constantemente ao longo do tempo.

Pérgamo é o nome da cidade grega em cuja biblioteca o papiro começou a ser substituído pelo bem mais durável pergaminho. O próprio nome pergaminho é uma homenagem à cidade.

E o que acontecerá quandos os discos rígidos se tornarem obsoletos? Eles poderão ser simplesmente trocados por qualquer nova tecnologia, que também será capaz de se comunicar por meio do protocolo Pérgamo. Da mesma forma que se faz um hot swapping de discos em um sistema de armazenamento atual, será possível fazer uma troca a quente de meios de armazenamento diferentes.

"Em 50 anos, os dispositivos poderão utilizar armazenamento holográfico," exemplifica o pesquisador Mark Storer. "Na medida em que você possa encapsular o novo meio de armazenamento nessa camada inteligente que fala nesse protocolo, ele poderá participar da rede."

Tomos inteligentes

A rede Pérgamo utiliza blocos individuais de armazenamento, chamados tomos, que podem ser em construídos com qualquer tecnologia, o que garante sua evolução tecnológia. Cada tomo do protótipo é formado por um disco rígido, ao qual foi adicionado um microprocessador de baixa potência, um cartão de memória não-volátil e uma porta Ethernet.

O gasto de energia da nova rede foi alvo de grande preocupação dos pesquisadores. Quando não está sendo utilizado, o bloco básico de um HD pode entrar em modo de hibernação automaticamente. Quando em uso, seu consumo é de 11,5 watts. "Cada tomo é como um minicomputador, mas com exigências de energia muito baixas," diz o pesquisador. O nível de consumo permite que cada tomo seja alimentado pela própria rede Ethernet, utilizando a tecnologia Power over Ethernet, dispensando cabos elétricos adicionais.

Fonte: Site Inovação Tecnológica

Fonte Bibliográfica:
Pergamum: Replacing Tape with Energy Efficient, Reliable, Disk-Based Archival Storage
Mark W. Storer, Kevin M. Greenan, Ethan L. Miller, Kaladhar Voruganti,
6th USENIX Conference Proceedings
February 2008
Vol.: Pages 1-16

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Um ano de Plano Nacional de Leitura - Relatório de Avaliação do Plano Nacional de Leitura


0 Comentários

(...) A maior parte dos inquiridos, 79 por cento, reconhece a utilidade da leitura, enquanto menos da metade, 44 por cento, afirma ter hábitos de leitura. O gosto de ler está presente em 58 por cento da amostra e 61 por cento vê a leitura como um prazer. No que toca às capacidades de leitura, 63 por cento dos inquiridos avaliam-nas como sendo boas ou mesmo muito boas.

O aumento dos hábitos está relacionado com a leitura através das novas tecnologias: mensagens no telemóvel, computador e acesso à Internet. Embora menos acentuado, há também o consenso no crescimento da leitura em outros suportes, como livros, jornais e revistas. “O livro é o instrumento essencial para se ler melhor mas temos de estar abertos a todas as formas de leitura”, referiu a comissária do PNL. (...)

Leia a notícia na totalidade em Publico.pt. Já agora, a pergunta que os livreiros vão colocando é se esse aumento significará também um aumento da qualidade da leitura. Será que sim? Mas esse aumento será assim tão importante nesta fase?

domingo, 20 de abril de 2008

Base de dados sobre Ciência da Informação


0 Comentários

A Base de Dados Referencial de Artigos de Periódicos em Ciência da Informação (BRAPCI) é o produto de informação do projeto de pesquisa "Opções metodológicas em pesquisa: a contribuição da área da informação para a produção de saberes no ensino superior", cujo objetivo é subsidiar estudos e propostas na área de Ciência da Informação, fundamentando-se em atividades planejadas institucionalmente. Com esse propósito, foram identificados os títulos de periódicos da área deCiência da Informação (CI) e indexados seus artigos, constituindo-se a base dedados referenciais. Atualmente disponibiliza referências e resumos de 4690textos publicados em 27 periódicos nacionais impressos e eletrônicos da área de CI.A construção da BRAPCI está contribuindo para estudos analíticos e descritivossobre a produção editorial de uma área em desenvolvimento, ao subsidiar com uma ferramenta dinâmica os alunos, professores e pesquisadores da área.A BRAPCI amplia o espaço documentário permitido ao pesquisador, facilita a visão de conjunto da produção na área, ao mesmo tempo, que revela especificidades do domínio científico. Os saberes e as pesquisas publicados e organizados para fácil recuperação clarificam as posições teóricas dos pesquisadores.Para pesquisar acesse: http://www.brapci.ufpr.br/index.php

Diretório de periódicos de acesso livre


0 Comentários

Diretório de periódicos de acesso livre
O Open Science Directory [URL: http://www.opensciencedirectory.net/] é uma excelente fonte de informação sobre os periódicos de acesso livre. Ele inclui dados sobre mais de 13 mil títulos de periódicos científicos. Vale a pena conhecer e usar essa importante fonte de informação.

A Biblioteca Virtual em Saúde completa 10 anos


0 Comentários

BVS 10 anos!
A Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) comemora 10 anos em 2008, com notáveis avanços na gestão de informação e conhecimento científico em saúde na América Latina e Caribe, e na colaboração sul sul. Sua construção cooperativa, estratégia, modelo e marco de trabalho continuam contemporâneos e inovadores e alinhados à evolução da web, das tecnologias de informação e do movimento de acesso aberto. Sua rede social envolve mais de 2 mil instâncias de produção, intermediação e uso de informação nos sistemas de pesquisa, educação e atenção à saúde. A rede BVS tem muitos desafios na realização dos seus objetivos, centrados no fortalecimento das capacidades, infra-estruturas de informação, ambientes aprendizes e informados para a mais ampla publicação e acesso à informação científica.
Maiores informações:
http://espacio.bvsalud.org/boletim.php?newsletter=20080418&newsLang=pt&newsName=Newsletter%20BVS%20079%2018/abril/2008&articleId=04130444200838

A internet pode destruir a democracia?


0 Comentários

Diretor de Hollywood diz que Internet vai destruir a democracia
Fonte: Jornal do Brasil 17/04/2008
Las Vegas - A Internet assusta Barry Sonnenfeld. "Tenho medo da Internet por inúmeras razões", disse o diretor dos filmes "Homens de Preto", durante discurso no show da Associação Nacional de Emissoras de Rádio e TV, em Las Vegas, nesta semana. De acordo com a Hollywood Reporter, o diretor disse:
- O meio é a mensagem, e o meio invadiu nossas casas e tomou conta de nossas cabeças. O que mais assusta é o caráter hipnótico da rede. A Internet é tão onipresente que as crianças e os jovens passam o dia todo nela.
Sonnenfeld teme que as crianças de hoje cresçam "sem ter noção do direito à privacidade e, na realidade, sem compreender a necessidade dela", disse na terça-feira.
- Como a geração do Facebook não está preocupada com o que as pessoas sabem sobre ela, esses jovens não farão objeção a supervisão, espionagem e intervenção governamentais ainda maiores. Acharão o máximo que a Internet será capaz de acompanhar cada passo que dão.Suspeito que estejamos diante da última geração de americanos que vive na democracia", prosseguiu Sonnenfeld. O totalitarismo não está longe no futuro, e a próxima geração vai enveredar por esse caminho alegremente.Minha única esperança é que a administração Bush tenha criado um caos tão profundo — social, econômico e ambiental — que talvez a próxima geração se ressinta da maneira egoísta em que a nossa destruiu seu futuro e resolva deixar o computador de lado.

FEUP Edições lança plataforma revolucionária para a criação de eBooks


1 Comentários

A FEUP Edições desenvolveu uma plataforma destinada à publicação de conteúdos de apoio à actividade científica em formato eBook, de uma forma simplificada. Pretende-se disponibilizar a todos os docentes a possibilidade de inserir os seus conteúdos didácticos nesta plataforma, de forma estruturada e permitindo a criação automática de eBooks, num formato XHTML ou PDF.
Esta ferramenta está já a ser testada e no próximo dia 23 de Abril, pelas 10 horas, decorrerá na Sala de Formação da Biblioteca da FEUP (piso 6) uma sessão de apresentação desta nova plataforma.
Todos os interessados em assistir a esta apresentação deverão inscrever-se por e-mail -
feuped@fe.up.pt, manifestando o seu interesse em testar esta inovadora ferramenta, uma vez que o numero de participantes, por sessão, é limitado.

Em que consiste esta plataforma revolucionária de nível internacional?

A Ferramenta de Prototipagem Rápida de eBooks é uma ferramenta construída para apoiar o autor na estruturação de eBooks. O importante e inovador do resultado de um eBook construído por esta ferramenta é que a estrutura e o conteúdo estão devidamente separados da formatação. Falamos da tecnologia XML que constitui a base estrutural dos eBooks construídos pela FAE (Ferramenta de Apoio a eBooks) que confere a esta ferramenta um carácter inovador. A exportação dos eBooks construídos por esta ferramenta poderá ser adaptada a qualquer norma de publicação electrónica que se baseie em XML, seja epub (norma recentemente criada pela International Digital Publishing Forum - IDPF que normaliza o formato dos eBooks) ou SCORM (norma para conteúdos de eLearning).

O facto de ser uma ferramenta que recebe inputs directos dos próprios autores leva a que seja possível a constante actualização dos conteúdos bem como a sua reutilização. A ferramenta estará disponível online para permitir que os autores, em qualquer parte do mundo, consigam introduzir/actualizar conteúdos. Sendo esta aplicação um RIA (Rich Internet Application - Aplicação Web que emula o comportamento das aplicações Desktop, mas em ambiente Web), apenas se torna necessário um Web Browser para a utilizar.

O desenvolvimento desta ferramenta foi apresentado na conferência internacional IATUL 2006 - Embedding Libraries in Learning and Research, tendo obtido o prémio da melhor "comunicação". Para além da componente inovadora de nível internacional, no âmbito tecnológico, esta ferramenta ao permitir aos docentes produzir, a partir de um conjunto de materiais pedagógicos, diferentes versões de eBooks, de acordo com os diversos contextos de ensino/aprendizagem, transforma-se também num produto altamente inovador também a nível pedagógico.

Fonte:
Serviço de Documentação e Informação da FEUP

sábado, 19 de abril de 2008

Portugueses afirmam que os hábitos de leitura estão a crescer


0 Comentários

A maioria dos portugueses considera que a leitura é útil, que tem vindo a crescer nos últimos dez anos e que é importante para as sociedades actuais. Estes são algumas das conclusões hoje apresentadas pelo Relatório de Avaliação do Plano Nacional de Leitura (PNL), estudo liderado pelo sociólogo António Firmino da Costa, do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE). O PNL completa um ano este mês.

Numa das partes do relatório, intitulada “Barómetro de opinião pública - atitudes dos portugueses perante Leitura e o Plano Nacional de Leitura”, a amostra foi inquirida sobre a importância social da leitura e os seus hábitos pessoais. Apesar de concordar que os hábitos de leitura aumentaram, 68 por cento dos portugueses considera que no país se lê menos do que no conjunto da União Europeia. “Comparando com a Europa, os portugueses ainda lêem pouco mas a tendência é positiva”, disse ao PÚBLICO Isabel Alçada, comissária do PNL.

A maior parte dos inquiridos, 79 por cento, reconhece a utilidade da leitura, enquanto menos da metade, 44 por cento, afirma ter hábitos de leitura. O gosto de ler está presente em 58 por cento da amostra e 61 por cento vê a leitura como um prazer. No que toca às capacidades de leitura, 63 por cento dos inquiridos avaliam-nas como sendo boas ou mesmo muito boas.

O aumento dos hábitos está relacionado com a leitura através das novas tecnologias: mensagens no telemóvel, computador e acesso à Internet. Embora menos acentuado, há também o consenso no crescimento da leitura em outros suportes, como livros, jornais e revistas. “O livro é o instrumento essencial para se ler melhor mas temos de estar abertos a todas as formas de leitura”, referiu a comissária do PNL.

A importância da leitura para enriquecimento pessoal decresce consoante o grau de escolaridade, uma vez que 98 por cento dos inquiridos com ensino superior considera a leitura importante ou mesmo muito importante na sua vida. Em contraponto, esta opinião está presente em 50 por cento dos que não completaram qualquer grau de ensino. O gosto pela leitura está presente em 98 por cento dos inquiridos com ensino superior e em 29 por cento daqueles que não têm nenhuma formação.

Quanto ao conhecimento do PNL, 31 por cento já ouviram falar dele, principalmente pela televisão. À medida que aumenta o nível de escolaridade cresce o número de pessoas que já conhecem o plano. O Barómetro ouviu 1037 pessoas das principais regiões do país, dos 15 aos 65 anos, passando por todos os níveis de escolaridade.

O PNL tem posto o país a ler mais, com diversas iniciativas que vão desde a escola primária aos centros de saúde. Um dos objectivos é tentar fazer com que a “próxima geração leia mais e melhor”. Isabel Alçada faz um “balanço muito positivo” do primeiro ano.
Fonte: Publico.pt

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Vivo - Projeto de Gestão Documental


0 Comentários

A Vivo, uma das maiores prestadoras de serviços de telecomunicações móveis da América Latina, possui 31,3 milhões de clientes e uma enorme quantidade de documentos físicos e eletrônicos que precisam ser gerenciados.
Em 2004, a operadora Vivo, resultado de uma fusão entre a Telefônica Celular, braço da espanhola Telefónica Móbiles e da empresa de origem portuguesa, Portugal Telecom, incorporou a sua rede de atendimento disponibilizada por áreas no território nacional, mais 16 fornecedoras diferentes.Apos a fusão, e já sob a égide de uma nova empresa, havia uma série de procedimentos e apliances que deveriam ser executados para que a empresa passasse a operar com unidade. Isso se dava principalmente no segmento de gestão de documentos, já que cada uma das envolvidas seguia uma regra própria ou nenhuma regra específi ca sobre a questão.
Conforme conta Paulo Alencastro Júnior, gerente de infra-estrutura administrativa e responsável pela implantação do projeto de gestão documental. “Era um desafi o e tanto pois precisávamos organizar e posteriormente compartilhar informações entre localidades diferentes, geografi camente espalhadas e de culturas diferentes”, explica. Assim nascia o Projeto Alexandria com o objetivo de seguir um modelo centralizado de gestão documental. A partir de uma análise dos procedimentos, dos volumes de documentos empregados e dos arquivos tanto digitais quanto físicos, a gerência administrativa optou em buscar um parceiro que oferecesse de forma integral todas as soluções necessárias tanto para o desenho do projeto quanto para sua implementação e manutenção.
A OR Info, que atua desde 1994 no mercado de gestão documental, foi a escolhida pela Vivo para tratar e organizar sua documentação em todo o Brasil, utilizando o que há de mais moderno em ferramentas e tecnologias de gerenciamento de documentos e informações.A primeira meta do Projeto Alexandria era a unificação de atividades dos antigos fornecedores, que foi concluída em janeiro de 2007 com a migração do último fornecedor para o novo formato de trabalho estruturado pela Or Info.
Outra grande preocupação da prestadora de serviços de telefonia era agilizar a recuperação de suas informações. Para isso, a própria OR passou a digitalizar e disponibilizar on-line, a documentação da Vivo.“Para se ter uma idéia o acervo de documentos digitalizados e disponíveis para consulta imediata é de quase 50 milhões de imagens”, lembra Diego Martins, Diretor Comercial do setor de Telecom da Or Info.
Também o tempo de resposta das buscas diminuiu de 22 dias para apenas alguns segundos, após a implantação da nova metodologia.A terceira e mais delicada meta do projeto Alexandria era combater as fraudes de subscrição. Este problema inerente a todas as companhias operadoras de celular, gera grandes perdas financeiras para as empresas e afeta diretamente o consumidor, que acaba sendo prejudicado por ações fraudulentas.“O que acontecia muito é que ao roubarem documentos pessoais, estes fraudadores os usavam para compra de aparelhos e depois quando a companhia não os encontrava para pagamento de contas, o nome da pessoa que fora roubada é que ia parar nas entidades de proteção ao crédito”, explica Paulo Alencastro. “ Isso gerava á empresa muitas ações judiciais pois o nome do consumidor era usado indevidamente pela nossa companhia ocasionando transtornos de várias ordens”.
Além disso, a simples busca por guias e documentos de ordem fi scal, quando não encontrados também acabavam gerando despesas excepcionais à Vivo, por meio de multas. “ Isso era muito comum a princípio, no entanto com o processo de centralização e instalação de um worflow entre os vários departamentos, regulamentação de procedimentos internos também entre estes vários departamentos, este tipo de incidente deixou de existir”, assegura Paulo Alencastro.“ A OR Info destinou uma equipe de cerca de 300 pessoas que estão locadas internamente na Vivo que realizam desde 2004 não só o treinamento do pessoal interno como também fomenta as soluções diretamente no cliente. Isso possibilita a segurança que a Vivo requer, seja quanto a efetiva aplicação das etapas do projeto como também nos permite conhecer cada interface dos procedimentos, do modo de trabalhar deste cliente, aperfeiçoando nosso trabalho na prestação de serviços”, reforça Diego Martins.
Além dos documentos digitalizados, a Or administra aproximadamente 300 mil caixas de documentos físicos das mais diversas áreas da Vivo. Este grande volume de documentos é guardado pela Iron Mountain do Brasil, presente no mercado nacional desde 2001 e considerada uma das empresas mais confiáveis no mundo para guarda e proteção de documentos físicos.Apesar de já ter atingido suas metas iniciais, o Projeto Alexandria não tem um prazo para se encerrar. Conforme conta o consultor de infra-estrutura administrativa da Vivo, havia sim um prazo interno para que ele fosse colocado em prática, o que já aconteceu, entretanto devido a novas aquisições em recentes leilões da própria Anatel (Agência reguladora na área de telecomunicações), outras fornecedoras, de regiões onde a Vivo não atendia serão incorporadas à companhia.“O Projeto Alexandria trouxe muitos benefícios para nossa empresa, como agilidade no atendimento ao cliente e eliminação de perdas fi nanceiras decorrentes do extravio de documentos, transparência perante órgãos fi scalizadores como Receita Federal, Procon, Anatel, entre outros”, diz o responsável pelo projeto na Vivo.”
O projeto é um modelo de gestão documental no mercado, sendo de interesse até de outras empresas de telefonia do mercado, entretanto, ainda queremos aprimora-lo, utilizando novas tecnologias e perseguindo sempre a excelência em nossos processos”.“A implantação do projeto Alexandria aconteceu de forma gradual e contínua e exigiu muito planejamento para não afetar o dia-a-dia do cliente. As metas iniciais já foram atingidas e estão trazendo muito benefícios à Vivo e para OR Info que além da ampla experiência no setor fi nanceiro/bancário, já pode ser considerada especialista em gestão de documentos de companhias de telecomunicação”, finaliza Diego Martins.

Fonte: Latin America Document Management

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Febraban discute digitalização de cheques (Brasil)


0 Comentários

Projeto de Lei (PL) 146/07, em tramitação no Senado Federal, reconhece processos de digitalização de imagens como documentos válidos

A Febraban discute nesta quarta-feira, 17, o Projeto de Lei (PL) 146/07, atualmente em tramitação no Senado Federal, que reconhece processos de digitalização de imagens e truncagem como cópias fidedignas e legalmente válidas de documentos em papel como os cheques bancários.

Depois de 40 anos da lei que reconheceu o microfilme, os bancos vão discutir novas formas de tecnologia que terão amparo legal. A reunião da Febraban acontece no seminário Digitalização de Documentos que tem o patrocínio da IBM, Itautec, Perto, EMC e HP.

O projeto de lei reúne outros documentos que tramitaram na Câmara, já atravessou comissões temáticas, e se encontra no CAE (Comissão de Assuntos Econômicos) como última etapa para sua votação. Com o novo projeto os bancos poderão abandonar o processo químico-fotográfico e seus aparatos de refrigeração, além da redução de áreas destinadas aos arquivos físicos e do tempo no trabalho de gerenciamento e recuperação das informações; rapidez na atualização dos dados armazenados e possibilidade de compartilhamento e acesso às informações a um número maior de interessados.

Outras vantagens são as ligadas ao meio-ambiente como redução do uso de papel e economia na logística de transporte.

O seminário de Digitalização é um dos eventos que precedem o maior congresso de bancos do País, o Ciab Febraban, que será realizado em São Paulo, em junho. Ele é responsável por propor e aprofundar questões relativas ao tema para serem decididas no Ciab Febraban.


Fonte: Latin American Document Management Magazine

Primeiro e-book com acesso remoto a experimentação on-line da FEUP


1 Comentários

Lançamento no dia 21 de Abril, pelas 18h00, na Reitoria da U. Porto, com Carlos Fiolhais
No próximo dia 21 de Abril será lançado, pela Editora UP, o primeiro e-book com acesso a laboratórios remotos e virtuais. Trata-se de uma obra da autoria de cinco docentes e investigadores da FEUP, do Departamento de Engenharia Mecânica desta faculdade - Maria Teresa Restivo, Fernando Gomes de Almeida, Maria de Fátima Chouzal, Joaquim Gabriel Mendes e António Mendes Lopes -, que permite o acesso remoto à experimentação on-line do Laboratório de Instrumentação para Medição (LIM) da FEUP.

Denominado "Laboratórios de Instrumentação para Medição/ Laboratories of Instrumentation for Measurement", este e-book bilingue - o primeiro da Editora UP - será apresentado por Carlos Fiolhais no Salão Nobre da Reitoria da U. Porto, pelas 18h00.

As crescentes exigências de rigor colocadas pela experimentação em qualquer área científica fazem da Instrumentação para Medição uma componente curricular indispensável, especialmente em cursos do ensino superior com forte envolvente tecnológica, revelando-se essencial em actividades de investigação e de desenvolvimento. Na presente obra é constante a introdução interactiva a conceitos, metodologias e técnicas de medição com exemplos, imagens, animações, vídeos, simulações e experimentação on-line.

Este trabalho procura assim colmatar uma lacuna na literatura técnico-científica em língua portuguesa, sendo recomendado para estudantes e profissionais de engenharia e de outras áreas com componente experimental.
Fonte: SiFEUP

terça-feira, 15 de abril de 2008

Encontro Brasileiro de Bibliometria e Cientometria


2 Comentários

Os estudos brasileiros nas áreas de Bibliometria e Cienciometria iniciaram-se nos anos de 1970. Passadas mais de três décadas são os esforços e interesses individuais que marcam o processo de consolidação nestas áreas, ainda em andamento.
Hoje, além da característica multidisciplinar, estas áreas se distinguem por serem compostas de um reduzido e disperso número de grupo de pesquisadores, trabalhando, na maior parte dos casos, de forma isolada ou com baixa interação.
É, portanto, dentro deste contexto que o 1º ENCONTRO BRASILEIRO DE BIBLIOMETRIA e CIENCIOMETRIA (EBBC) foi pensado como uma primeira estratégia para (a) reunir e socializar os diferentes grupos de pesquisa que vem atuando nestas áreas no Brasil e (b) discutir não apenas as atuais tendências e carências das áreas mas, particularmente o futuro destes estudos no país.
Além destes objetivos, a realização do EBBC servirá de experiência preparatória para o evento internacional da International Society of Scientometrics and Informetrics, que se realizará no Brasil, no Rio de Janeiro, em julho 2009.
A programação do 1º EBBC, agendada para os dias 14, 15 e 16 de setembro de 2008, está inserida na programação oficial do 8º Congresso Regional de Informação em Ciências da Saúde (CRICS), organizado pela FIOCRUZ e pelo Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde. Assim, dentro do CRICS, o 1º EBBC seguirá uma estrutura de Conferências e Mesas-redondas, onde as principais finalidades das áreas de Bibliometria e Cienciometria serão apresentadas e discutidas. A inserção do EBBC na programação do CRICS traz inúmeros benefícios, tal como, a facilidade de contar com toda a infra-estrutura necessária para a realização do evento, que se realizara no Centro de Convenções .
Detalhes sobre o 1º EBBC podem ser encontrados no site: http://bvs5.crics8.org/php/level.php?lang=pt&component=52&item=1, que dá acesso ao site do CRICS, onde estão informações sobre inscrições, programação geral, etc.

10 Mandamentos de um CIO/CTO


0 Comentários

A revista portuguesa ExecutiveDigest deste mês, pela mão de Rui Pedro Ribeiro, dá a conhecer os 10 mandamentos de um CIO/CTO. Com estes o autor pretende demonstrar que os Sistemas de Informação e as Tecnologias de Informação são hoje vitais para a sustentabilidade de uma empresa. Veja quais são:

  1. Gerir a explosão de dados
  2. É necessário disponibilizar informação em tempo real aos decisores
  3. A informação tem de ser móvel
  4. Baixo custo de manutenção
  5. Fazer mais com menos
  6. Escolher entre tecnologias abertas e integração com tecnologias proprietárias
  7. Alinhamento com o negócio
  8. Inovação contínua
  9. Outsourcing ou insourcing
  10. Identificar o que é estratégico e operacional, prioritário e urgente

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Nova interface do Catálogo da Biblioteca Nacional de Portugal


0 Comentários

Já se encontra disponível a nova interface do Catálogo da Biblioteca Nacional de Portugal. Este oferece as suas funcionalidades numa estrutura mais ajustada às colecções da BNP.

Paralelamente, mantém-se em funcionamento o Catálogo da PORBASE e, transitoriamente, o do sistema Sirius.

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Regras de Catalogação: descrição e acesso de recursos bibliográficos nas bibliotecas de língua portuguesa/ José Carlos Sottomayor


2 Comentários


Mais de 20 anos passaram desde que, em 1984, foi editado (pelo então Departamento de Bibliotecas, Arquivos e Serviços de Documentação) o primeiro volume das Regras Portuguesas de Catalogação. A publicação deveria ter sido continuada em dois outros volumes, dedicados a outros suportes documentais.

A evolução dos princípios catalográficos internacionais, a possibilidade de acesso informático a bases de dados e de partilha de registos em tempo real vieram tornar evidente a necessidade de regras de catalogação adequadas à nova realidade e assentes em normas aceites pela comunidade internacional de profissionais de documentação e informação.

A obra que a BAD se orgulha, neste momento, de editar, apresenta-se como um código normativo completo e actual, em conformidade com os princípios internacionalmente consagrados. Apresenta-se dividida em duas parte: a primeira inclui a descrição bibliográfica para os diferentes tipos de recursos (livros, panfletos e folhas impressas; materiais cartográficos; manuscritos; música; registos sonoros; filmes e registos vídeo; materiais gráficos; recursos electrónicos; artefactos tridimensionais e realia; microformas; recursos contínuos; analíticos); a segunda trata das entradas principais e secundárias para nomes de pessoas, colectividades, famílias, títulos uniformes e entradas remissivas. Surge ainda complementada por cinco anexos (uso de maiúsculas; abreviaturas; numerais; artigos iniciais; glossário), e com um índice remissivo que torna mais fácil a consulta das mais de 1000 páginas.
Leia toda a informação em BAD

Ranking mundial de internet: Portugal: 28; Brasil: 59


0 Comentários

Acaba de sair o documento “The Global Information Technology Report 2007-2008”, divulgado pelo Fórum Econômico Mundial, com sede na Suíça. Esse estudo faz um panorama dos desempenhos de regiões e países no âmbito da tecnologia da informação, indicando pontuações para cada país analisado. São levados em considerações aspectos como infra-estrutura, leis ligadas à tecnologia e formas como os indivíduos, governos e empresas utilizam a tecnologia.
Portugal ocupa a 29ª posição e o Brasil a 59ª. O Brasil perdeu seis posições.
Esse levantamento é realizado pela INSEAD, uma universidade de negócios francesa, a pedido do Fórum Econômico Mundial sendo publicado anualmente desde 2001.
O texto pode ser consultado no URL: http://www.weforum.org/en/initiatives/gcp/Global%20Information%20Technology%20Report/index.htm
Abaixo a tabela com as posições dos 127 países analisados no relatório mais recente.
------------------------------------------------------------------
The Networked Readiness Index 2007–2008 rankings
2007–2008 rank Country/ Economy Score
1 Denmark 5.78
2 Sweden 5.72
3 Switzerland 5.53
4 United States 5.49
5 Singapore 5.49
6 Finland 5.47
7 Netherlands 5.44
8 Iceland 5.44
9 Korea, Rep. 5.43
10 Norway 5.38
11 Hong Kong SAR 5.31
12 United Kingdom 5.30
13 Canada 5.30
14 Australia 5.28
15 Austria 5.22
16 Germany 5.19
17 Taiwan, China 5.18
18 Israel 5.18
19 Japan 5.14
20 Estonia 5.12
21 France 5.11
22 New Zealand 5.02
23 Ireland 5.02
24 Luxembourg 4.94
25 Belgium 4.92
26 Malaysia 4.82
27 Malta 4.61
28 Portugal 4.60
29 United Arab Emirates 4.55
30 Slovenia 4.47
31 Spain 4.47
32 Qatar 4.42
33 Lithuania 4.41
34 Chile 4.35
35 Tunisia 4.33
36 Czech Republic 4.33
37 Hungary 4.28
38 Barbados 4.26
39 Puerto Rico 4.25
40 Thailand 4.25
41 Cyprus 4.23
42 Italy 4.21
43 Slovak Republic 4.17
44 Latvia 4.14
45 Bahrain 4.13
46 Jamaica 4.09
47 Jordan 4.08
48 Saudi Arabia 4.07
49 Croatia 4.06
50 India 4.06
51 South Africa 4.05
52 Kuwait 4.01
53 Oman 3.97
54 Mauritius 3.96
55 Turkey 3.96
56 Greece 3.94
57 China 3.90
58 Mexico 3.90
59 Brazil 3.87
60 Costa Rica 3.87
61 Romania 3.86
62 Poland 3.81
63 Egypt 3.74
64 Panama 3.74
65 Uruguay 3.72
66 El Salvador 3.72
67 Azerbaijan 3.72
68 Bulgaria 3.71
69 Colombia 3.71
70 Ukraine 3.69
71 Kazakhstan 3.68
72 Russian Federation 3.68
73 Vietnam 3.67
74 Morocco 3.67
75 Dominican Republic 3.66
76 Indonesia 3.60
77 Argentina 3.59
78 Botswana 3.59
79 Sri Lanka 3.58
80 Guatemala 3.58
81 Philippines 3.56
82 Trinidad and Tobago 3.55
83 Macedonia, FYR 3.49
84 Peru 3.46
85 Senegal 3.46
86 Venezuela 3.44
87 Mongolia 3.43
88 Algeria 3.38
89 Pakistan 3.37
90 Honduras 3.35
91 Georgia 3.34
92 Kenya 3.34
93 Namibia 3.33
94 Nigeria 3.32
95 Bosnia and Herzegovina 3.22
96 Moldova 3.21
97 Mauritania 3.21
98 Tajikistan 3.18
99 Mali 3.17
100 Tanzania 3.17
101 Gambia, The 3.17
102 Guyana 3.16
103 Burkina Faso 3.12
104 Madagascar 3.12
105 Libya 3.10
106 Armenia 3.10
107 Ecuador 3.09
108 Albania 3.06
109 Uganda 3.06
110 Syria 3.06
111 Bolivia 3.05
112 Zambia 3.02
113 Benin 3.01
114 Kyrgyz Republic 2.99
115 Cambodia 2.96
116 Nicaragua 2.95
117 Suriname 2.91
118 Cameroon 2.89
119 Nepal 2.88
120 Paraguay 2.87
121 Mozambique 2.82
122 Lesotho 2.79
123 Ethiopia 2.77
124 Bangladesh 2.65
125 Zimbabwe 2.50
126 Burundi 2.46
127 Chad 2.40

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Pais passam mais tempo na Internet


0 Comentários

O comportamento informacional dos seres humanos é um dos vectores com maior impacto na nossa actividade enquanto profissionais da informação.

O fenómeno infocomunicacional adjacente ao processamento cognitivo da informação de cada pessoa é impar e, como tal, o estabelecimento de métricas ou leis decorrentes da actividade de investigação acabam por ser "verdades comedidas", quando desintegradas de um determinado contexto informacional, mesmo recorrendo a todos os preceitos metodológicos.
Quando encontramos notícias com resultados de estudos de investigação sem o mínimo enquadramento contextual devemos ter todo o cuidado no uso desses mesmos dados, validando-os junto da fonte primária. A qualidade das reflexões e do processamento desses dados acabam por tem um grande impacto na actividade e qualidade da nossa classe profissional.
Assim, sem o compromisso de ter consultado a fonte primária do estudo conduzido pela Associação Europeia de Propaganda Interactiva, apresento-vos alguns dados sobre o comportamento informacional dos pais das crianças no acesso e uso da Internet, publicados na Exame Informática:

"Os adultos com filhos passam 11,6 horas por semana na Internet. Três em cada quatro destes adultos viajam na Net todos os dias.
O estudo foi conduzido pela Associação Europeia de Propaganda Interactiva e contemplou respostas de adultos de 12 países. Os pais e mães passam em média 11,6 horas por semana a navegar e 75% confessa aceder diariamente. Nos adultos sem filhos, 52% navegam todos os dias na Internet.
Os sites visitados pelos pais “digitais” variam consoante a idade dos filhos: com bebés, visitam-se páginas de cuidados de saúde e conselhos médicos, com crianças entre os 5 e os 9 procuram-se sites de jogos online e os pais de adolescentes passam o tempo a visitar páginas onde podem comparar preços de produtos."

Vídeos da caminhada de bloguistas bad & lis... 29 e 30 de Março


0 Comentários

Eu não pude acompanhar os bloguistas na caminhada, com muita pena minha, no entanto, não quero deixar de ressalvar o excelente resultado esta iniciativa, aqui expresso com a disponibilização de 2 vídeos.

Vídeo do Pedro Príncipe do blogue Rato de Biblioteca

Vídeo da Luísa Alvim do blogue Viva Biblioteca Viva

terça-feira, 8 de abril de 2008

Microsoft alcança aprovação do OOXML


0 Comentários

O Open Office XML é, desde o dia 2 de Abril, um standard para documentos electrónicos reconhecido pela International Standard Organization (ISO).

As votações dos membros da ISO, que foram entregues até dia 29 de Março, são elucidativas da vitória alcançada pela Microsoft: 75% dos votos dos P-members do ISO votaram a favor do OOXML, sendo que a Microsoft obteve o apoio de países como os EUA, Grã-Bretanha, Alemanha e Japão. Entre os países que não apoiam o formato, estão a China, Índia e Rússia.

O OOXML tem mais de seis mil páginas de código – um número que contrasta substancialmente com as 860 páginas de códigos do rival e grande derrotado da votação da ISO, que dá pelo nome Open Document Format - (ODF.

Muitos especialistas dizem que, neste momento, a passagem de um formato para outro é incompleta e não se consegue uma verdadeira interoperabilidade.

Os rivais deste formato e apoiantes do formato Open Document Format (o ODF já aprovado pelo ISO) argumentam que não faz sentido haver mais um padrão.

Tom Robertson, responsável pela Interoperabilidade na Microsoft disse à Reuters que «O Open XML junta-se assim ao PDF, HTML e ODF entre os formatos de documentos. Será mais fácil aos governos oferecerem escolha aos consumidores (…) Este vai ser dos mais, senão o mais importante formato de documentos em todo o mundo nos próximos anos».

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Web 2.0 e acessibilidade


0 Comentários

A cidade de Londres vai receber no próximo dia 25 de Abril uma conferência sobre acessibilidade e Web 2.0.
O objectivo do evento é debater os desafios ligados ao crescente mundo das tecnologias Web 2.0 e da acessibilidade. Nesta conferência serão analisadas várias aplicações on-line por pessoas com necessidades especiais e também aplicações para outro tipo de equipamentos, como dispositivos electrónicos.
Um evento que serve também para colocar a acessibilidade no topo da agenda na Web 2.0.

Veja mais aqui.

sábado, 5 de abril de 2008

DGARQ - Recomendações para a Produção de Planos de Preservação Digital


0 Comentários

"Actualmente as tecnologias de informação são principal suporte à produção e armazenamento de informação. A rápida obsolescência tecnológica leva as organizações a correr grandes riscos de não conseguirem preservar essa informação durante o período em que é operacionalmente necessária.

A produção do presente documento visa dar uma linha de orientação às organizações de modo a que estas possam garantir as condições materiais mínimas para preservar informação digital durante esse período. Não é considerada, neste documento, a possibilidade de criação de um arquivo digital, orientado para a preservação de objectos digitais de conservação permanente."

Aceda ao texto integral do Plano de Preservação Digital v. 1.0 (.pdf)

Fonte: Direcção Geral de Arquivos


Desde já agradeço à colega Márcia Vieira, Arquivísta de formação, pela sua colaboração na divulgação desta notícia.

sexta-feira, 4 de abril de 2008

1ª Jornada de Gestão da Carreira 2008 ESEIG - IPP - 9 a 11 de Abril


0 Comentários

A "1ª Jornada de Gestão da Carreira" realizar-se-á nas instalações da ESEIG – Escola Superior de Estudos Industriais e de Gestão do IPP - Instituto Politécnico do Porto nas cidades de Póvoa do Varzim / Vila do Conde, no período de 9 a 11 de Abril de 2008, com actividades divididas em Palestras e Secções Técnicas, além de diversas actividades Sociais e de Recreação para os participantes e acompanhantes.

Na 1ª Jornada de Gestão da Carreira, cada área científica da ESEIG - Ciências e Tecnologias da Documentação e Informação, Contabilidade e Administração, Design, Ensino, Engenharia, Gestão e Administração Hoteleira, Recursos Humanos – pretende contribuir, de forma diversa, para um objectivo comum, seja com a presença de especialistas em gestão da carreira, seja com a presença de profissionais nas respectivas áreas.

A ESEIG espera que esta iniciativa constitua um momento privilegiado para pontuar as carreiras objectivas e subjectivas dos participantes nesta 1ª Jornada de Gestão da Carreira com a oportunidade de enriquecimento do conhecimento acerca de si próprio e do mundo do trabalho, promovendo assim, uma gestão da carreira mais efectiva.

Conheça o Programa da 1ª Jornada de Gestão da Carreira e obtenha mais informações em: www.eseig.ipp.pt/gestaodacarreira2008

Informação disponibilizada pelo caro amigo António Castro, aluno de Ciências e Tecnologias da Documentação e Informação.

Conferência internacional sobre liberdade de acesso à expressão


0 Comentários

Conferência internacional - Not in front of the children: Free Speech conflicts in the United States today por Marjorie Heins.

16 de Abril de 2008, 18h00
Anfiteatro Nobre da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (Entrada livre)

Serão abordados temas em torno da censura a pretexto da protecção dos menores no mundo da edição e da divulgação, nomeadamente na Internet e nas Bibliotecas, no momento em que o livro com aquele título acaba de ser reeditado.
Para ver mais informação sobre a conferência e sobre a autora consulte o website da FLUP.
Sobre o Free Expression Policy Project consulte: http://www.fepproject.org/

Informação disponibilizada pela Dr.ª Paula Sequeiros
Editor for Portugal
E-LIS, Open Access Repository on Library and Information Sciences

quinta-feira, 3 de abril de 2008

A web semântica no W3C


0 Comentários

O sítio do World Wide Web Consortium (W3C) disponibiliza uma série de informações importantes sobre o desenvolvimento da web semântica, a saber: perguntas mais freqüentes, documentos pertinentes ao assunto, especificações da web tais como o Resource Description Framework (RDF) e a Web Ontology Language (OWL), outras publicações e links para outros sítios.
O URL é: URL: http://www.w3.org/2001/sw/
Murilo Cunha

quarta-feira, 2 de abril de 2008

Calls for papers BOBCATSSS´09


0 Comentários

O BOBCATSSS é um encontro anual organizado por estudantes de várias universidades europeias. Este ocorre sob a égide da EUCLID (European Association for Library and Information Education and Research), e aborda temas de ciência da informação e bibliotecas. O encontro de 2009 é organizado por estudantes da Universidade de Tampere, na Finlândia e da Universidade do Porto, Portugal.


Calls for papers até 15 Julho 08

Challenges for the New Information Professional

A ciência da Informação é uma área emergente e em contínua evolução. As novas tecnologias da informação e comunicação e desafios como os suscitados pela informação em formato electrónico em bibliotecas e arquivos, bem como na gestão da informação em qualquer tipo de organização ou actividade na sociedade contemporânea, fomentam mudanças no perfil do profissional da informação e desafiam as formas tradicionais de trabalhar e pensar a área. As alterações de suporte, o crescimento da utilização de ambientes Web e o exponencial aumento de informação levam-nos a reflectir sobre a nossa identidade profissional.

O Encontro BOBCATSSS 2009 explorará, entre outras, as seguintes questões: como ajudar os utilizadores a seleccionar informação pertinente entre todo o ruído recuperado?; como manter bases de dados a funcionar e informação acessível aos utilizadores em qualquer situação?; e a informação em suportes tradicionais? Continua a ter utilidade?; o que é o Bibliotecário 2.0?; a Ciência da Informação interage com outras disciplinas como as Ciências da Comunicação, os Sistemas Tecnológicos de Informação, as Ciências Sociais em geral?; que tipo de colaboração se espera do profissional da informação com especialistas de outras áreas e como incentivar essa interdisciplinaridade?

Sub-temas:
1. Interdisciplinarity of Information Science
2. Information Professional and Information Management
3. The current impact of the new technologies in the life of the Information Professional
4. The rise and fall of physical libraries and archives
5. Information Literacy
6. eLibraries & eArchives
7. Librarian 2.0

  • As participações poderão ser sob a forma de workshop, apresentação de poster ou comunicação, abordando o tema Challenges for the New Information Professional ou um dos sete sub-temas;
  • Os resumos devem ser submetidos até 15 de Julho de 2008 e, em finais de Agosto, após análise e selecção, será comunicada a decisão sobre a aceitação. A língua oficial é o inglês;
  • As submissões dos resumos devem ser efectuadas através de template próprio do OpenConf. No website do evento – www.bobcatsss2009.org - podem consultar outras informações sobre o BOBCATSSS'09. Instruções mais precisas são apresentadas no template, de forma a apoiar a submissão dos resumos.

Informação disponibilizada por:

Comissão Organizadora do BOBCATSSS 2009 | Porto / Tampere
Email: bobcatsss2009@uta.fi

Endereços:
Universidade do Porto, Faculdade de Letras, Via Panorâmica, s/n
4150-564 Campo Alegre, Porto Portugal
Department of Information Studies, Bobcatsss 2009,
FI-33014 University of Tampere, Finland

Inclusão digital no Brasil


0 Comentários

Estudo vê maior inclusão digital no Brasil
Fonte: http://info.abril.com.br/aberto/infonews/032008/31032008-1.shl
Data: 31 de março de 2008
BRASÍLIA - Apesar do que chamou de “lentidão”, o secretário de Ciência e Tecnologia para a Inclusão Digital do Ministério da Ciência e Tecnologia, Joe Valle, disse que o país tem razões para comemorar o Dia Nacional de Inclusão Digital, festejado no sábado 29.
Segundo o Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (Cetic), até o ano passado quase metade (47%) da população brasileira jamais havia utilizado um computador. Em 2006, outra pesquisa do órgão indicava que 54% dos brasileiros estavam na mesma situação.
Embora os dados de 2007 indiquem que 59% da população nunca tinham acessado a rede mundial de computadores e que apenas 24% dos domicílios possuíam computadores, o Cetic considerou que houve um forte aumento na posse e no uso das tecnologias da informação e comunicação, já que em 2006 esses índices eram de 67% e 20%, respectivamente.
Valle aponta que várias instituições e ministérios trabalham para democratizar o acesso ao universo digital e que é preciso considerar as particularidades nacionais. “Mesmo com todo o esforço do governo na questão da inclusão digital, há um aumento pequeno. Agora, é preciso considerar o tamanho do país, as necessidades básicas que vêm sendo atendidas. Com as pessoas podendo se alimentar e com o aumento do poder de compras, a próxima etapa é que elas se insiram na sociedade da informação”, disse o secretário à Agência Brasil
O secretário argumentou que devido ao tamanho do território brasileiro e à diversidade cultural, os projetos governamentais têm de adquirir “uma musculatura” que exige tempo e um trabalho coordenado: “O esforço pela inclusão digital tem de ser muito grande e, logicamente, precisava de uma coordenação, hoje a cargo do assessor especial da Presidência da República, César Alvarez. Somente assim poderemos enxergar os horizontes ainda não alcançados."
Segundo Valle, o Ministério da Ciência e Tecnologia investirá, até 2010, cerca de R$ 50 milhões na criação de 2 mil telecentros, de centros vocacionais tecnológicos, além de ajudar o Ministério da Educação a informatizar escolas públicas. “Não basta colocarmos as máquinas. Há um complemento, como o conteúdo que será colocado nessas máquinas. E também a questão da conectividade, que é fundamental para conseguirmos a efetividade do processo de inclusão digital”, disse.
O esforço maior, acrescentou, é garantir a sustentabilidade dos telecentros. “Um dos grandes gargalos, hoje, é como os telecentros podem continuar funcionando após o término do convênio com a instituição pública. Dos cerca de 14 mil telecentros implementados já há os que funcionam plenamente, de forma sustentável. Caberá à coordenação do processo pegar estes casos de sucesso para que eles sejam replicados em vários outros lugares”.
Valle comparou o acesso ao conhecimento das tecnologias digitais à alfabetização: “Trata-se de ter como crescer, como se desenvolver, de ter renda e ter o conhecimento necessário para melhorar a qualidade de vida. Se a pessoa não tem acesso à internet, aos computadores, estará cada vez mais fora do mercado de trabalho. A questão digital é fundamental para o dia-a-dia das pessoas, pois dependemos dos computadores para quase tudo.”
Comentário:
A inclusão digital no Brasil ainda tem um longo caminho a ser percorrido. Segundo o recente documento divulgado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia [URL: http://www.nic.br/imprensa/coletivas/2008/tic-domicilios2007.pdf ], “59% da população nunca tinham acessado a rede mundial de computadores e que apenas 24% dos domicílios possuíam computadores”. Esses dados estatísticos mostram que os três níveis governamentais, as organizações privadas e as do terceiro setor precisam redobrar os seus esforços para ampliar o acesso à informação digital por parte da nossa população.
Murilo Cunha

Arquivo

Categorias