quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Localização de um assinante da revista Páginas a&b


0 Comentários

Peço a ajuda da comunidade de leitores deste blogue para tentar localizar um assinante da revista Páginas a&b.

O assinante mudou de morada e não informou o Gabinete de Estudos a&b, sendo o correio sistematicamente devolvido.

Trata-se do Sr. HUGO JOSÉ RODRIGUES, cuja morada conforme consta do boletim de assinatura é Rua Luís de Freitas Branco, LISBOA.

Caso conheça ou tenha o seu contacto de e-mail, entre em contacto com o Gabinete de Estudos a&b

Levantamento dos repositórios nacionais‏


1 Comentários

A equipa europeia do E-LIS, Repositório de Acesso Aberto sobre Documentação, Bibliotecas e Arquivos, pretende fazer um levantamento da situação nacional no que toca a projectos já implementados ou a implementar muito brevemente no nosso país.

A Dr.ª Paula Sequeiros, responsável editorial para Portugal, vai iniciar este trabalho a ser apresentado em Novembro, na conferência Internacional em Valencia.

Eis a lista dos Repositórios registados em directórios:

Portugal

Biblioteca Nacional (BN)
- Depósito de Dissertações e Teses Digitais (DiTeD)

International Mathematical Union (Portugal) (IMU)
- Portuguese Archive of Mathematics (PAM)

Sociedade Portuguesade Vida Selvagem (SPVS)
- Wildrepositorium

Universidade do Minho
- Papadocs
- Universidade do Minho: RepositoriUM

Repositório do ISCTE

Pede-se a colaboração dos responsáveis pelos repositórios de qualquer área científica ou multidisciplinares para que a contactem no sentido de verem os seus projectos identificados e a figurar nesse levantamento mediante resposta a um breve inquérito.

O contacto é psequeiros ARROBA gmail PONTO com.

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Conferência sobre Direitos de Autor, Bibliotecas e Centros de Informação


1 Comentários

A Delegação da BAD - Norte vai realizar no dia 12 de Outubro, pelas 14h30, no auditório da Biblioteca Pública Municipal do Porto, a conferência sobre Direitos de Autor, Bibliotecas e Centros de Informação.

Consulte o prospecto de divulgação da conferência.

Informação disponibilizada pela Dr.ª Luiza Melo.

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

jus.br novo domínio na internet brasileira


1 Comentários

Internet do Judiciário passará de ".gov" para ".jus"

Fonte: www.migalhas.com.br
Data: 20 de setembro de 2007.
De acordo com a Resolução nº. 41 (v. abaixo), publicada no dia 14 de setembro, caberá ao Conselho gerir a implementação do modelo de gestão e o estabelecimento das diretrizes e normas voltadas para a integração e unificação dos sítios eletrônicos. Outra prerrogativa do CNJ será a de acompanhar, analisar e controlar a concessão dos domínios às instituições do Judiciário.
Em 30 dias, a Secretaria-Geral do CNJ estabelecerá as normas que orientarão a implementação da iniciativa, a estrutura da padronização e o gerenciamento do sistema, bem como a lista unificada dos endereços eletrônicos do Poder Judiciário. A partir do dia 11 de outubro, será iniciada a migração das páginas com extensão "gov.br" para o domínio "jus.br". Os sítios oficiais continuam a ser acessados pelo mesmo nome, mas quem digitar o novo endereço será remetido ao endereço antigo.
Os serviços de registro e publicação dos domínios 'jus.br' ficarão a cargo do Comitê Gestor da Internet no Brasil, por meio do Núcleo de Informação e Coordenação do ponto BR. Caberá ao CNJ o monitoramento e autorização dos endereços.
Mais que alterar os nomes oficiais associados à Justiça, a medida trará principalmente segurança para os ambientes eletrônicos da Justiça. O assessor institucional do CNJ, Pedro Paulo Lemos Machado, avalia que a iniciativa configura um grande ganho para o Judiciário, especialmente quanto à confiabilidade das informações nos portais.
Lemos explica que o CNJ obteve junto ao Comitê Gestor de Internet no Brasil a obrigatoriedade de agregar o sistema DNSSEC junto ao domínio "jus.br". Trata-se de um padrão internacional que amplia a tecnologia DNS e de um sistema de resolução de nomes mais seguro, reduzindo o risco de manipulação de dados e roubo de informações de terceiros. "Esse sistema coibirá os recorrentes ataques de hackers às páginas oficiais, invasões que trazem insegurança e abalam a confiabilidade dos serviços, como já aconteceu nos portais do TSE e STJ", ressalta. O mecanismo utilizado é baseado na tecnologia de criptografia de chaves públicas.
Para o uso adequado da ferramenta DNSSEC e a correta implantação dos novos domínios, o CNJ assegurou junto ao Comitê Gestor da Internet no Brasil a realização de cursos voltados aos técnicos dos tribunais de justiça do país. Em data ainda a definir, os treinamentos serão geridos pelo Núcleo de Informação e Coordenação do ponto BR, com três vagas destinadas a cada tribunal.
Segundo Pedro Paulo, essa ação do CNJ retoma a Resolução nº 12 do CNJ, que criou o Banco de Soluções do Poder Judiciário, objetivando conferir mais celeridade à prestação jurisdicional, além de "auxiliar no processo de modernização da Justiça, a exemplo do Projudi, prerrogativa institucional do Conselho."

RESOLUÇÃO Nº 41, DE 11 DE SETEMBRO DE 2007.
Dispõe sobre a utilização do domínio primário ".jus.br" pelos órgãos do Poder Judiciário

A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, no uso de suas atribuições previstas no art. 29 do Regimento Interno, tendo em vista o deliberado em Sessão Plenária de XX de agosto de 2007, e

CONSIDERANDO que a Administração Pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, conforme estabelecido no art. 37 da Constituição Federal, obedecerá aos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência;

CONSIDERANDO que compete ao Conselho Nacional de Justiça, nos termos do disposto no art. 103-B, parágrafo 4º, I, da Constituição Federal, zelar pela autonomia do Poder Judiciário e pelo cumprimento do Estatuto da Magistratura, podendo expedir atos regulamentares, no âmbito de sua competência, ou recomendar providências;

CONSIDERANDO que a Resolução nº 12, de 14 de fevereiro de 2006, do Conselho Nacional de Justiça, criou o Banco de Soluções do Poder Judiciário, com o objetivo de propiciar celeridade à prestação jurisdicional e, especificamente, definir os padrões de interoperabilidade a serem utilizados no Poder Judiciário quanto à padronização de seus identificadores;

CONSIDERANDO a aprovação da criação do domínio primário ".jus.br" no âmbito da Internet do Brasil, pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil - CGI.BR;

R E S O L V E:

Art. 1º Os endereços dos sítios eletrônicos dos órgãos do Poder Judiciário brasileiro deverão ser redirecionados para o domínio primário ".jus.br".
Art. 2º Ao Conselho Nacional de Justiça é devida a tutela do domínio ".jus.br", cabendo-lhe:
I - a implementação do modelo de gestão a ser seguido pelos órgãos do Poder Judiciário;

II - o estabelecimento e a disseminação das diretrizes e normas voltadas para a integração e padronização dos sítios eletrônicos - URL's (Uniform Resource Locator), domínios primários e domínios secundários;

III - a análise, o controle e o acompanhamento da concessão de domínios primários e secundários aos órgãos do Poder Judiciário;
Art. 3º Ao Comitê Gestor da Internet no Brasil - CGI-BR, por intermédio do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR - NIC-BR, caberá a operação do serviço de registro e de publicação de domínios ".jus.br".
Art. 4º Cada órgão da estrutura do Poder Judiciário será responsável pelo cumprimento das normas e dos padrões definidos pelo Conselho Nacional de Justiça.
Art. 5º A Secretaria-Geral do Conselho Nacional de Justiça publicará no prazo de até 30 (trinta) dias, a contar da edição desta Resolução, norma que regerá a implementação das diretrizes de que trata o art. 2º, II, e tabela padronizada dos endereços eletrônicos das unidades do Poder Judiciário.
Art. 6° Esta resolução entrará em vigor na data de sua publicação, ficando revogadas as disposições em contrário.

Ministra Ellen Gracie
======
Comentário:
A idéia do domínio na internet era para facilitar o entendimento por parte do internauta sobre o possível conteúdo do sítio. Infelizmente, nos primórdios da internet foram utilizados poucos domínios -- sendo preponderantes os .com , .gov e depois .edu. Agora, com o domínio .jus será facilitada a identificação do sítio e do seu conteúdo. É, de fato, um grande avanço.
Murilo Cunha

II Jornadas Internacionais - Informação e Comunicação nos Mass Media


0 Comentários

A produção Noticiosa : Actores e Papéis
25, 26 de Outubro de 2007


Local:
Anfiteatro Nobre da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP) / Portugal

Destinatários:
Profissionais dos Mass Media, arquivistas, bibliotecários, documentalistas, gestores de informação, docentes e alunos de Cursos de Licenciatura em Ciências da Comunicação e Ciência da Informação, de Cursos de Especialização em Ciências Documentais.

Inquérito europeu sobre actividades de digitalização‏


1 Comentários

Solicita-se a colaboração dos profissionais e das instituições portugueses, no sentido de responderem aos questionários preparados para o estudo NUMERIC, relativo a estatísticas de digitalização.

Informação sobre o estudo NUMERIC, promovido pela CE, e a decorrer de 2007 a 2009, pode ser consultada em
http://www.numeric.ws.

O estudo procura responder a dois objectivos principais: por um lado, definir indicadores relevantes para uso futuro na recolha de informação estatística sobre actividades de digitalização e seus resultados, nos países europeus. Por outro, recolher desde já informação concreta, que será mantida confidencial, sobre actividades e projectos em curso nesse âmbito, por parte de instituições individuais.

No primeiro caso, o questionário deverá ser respondido directamente no formulário em linha (Consultation Questionnaire), disponível em
http://www.numeric.ws.

No segundo caso, a resposta deverá ser dada no formulário excel que também se anexa a esta mensagem, a enviar por correio electrónico para
Numeric@ipf.co.uk.

Quaiquer informações adicionais ou esclarecimentos sobre esta iniciativa podem ser solicitados por telefone (tel. +44 0 208 667 8508) ou por correio electrónico a Martin Jennings (
martin.jennings@ipf.co.uk) ou Phillip Ramsdale (Phillip.Ramsdale@ipf.co.uk).

Colabore, respondendo desde já, e divulgando esta iniciativa junto de outros colegas e instituições.

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

O uso da tecnologia da informação por estudantes universitários


1 Comentários

Relatório sobre os estudantes de graduação e a tecnologia de informação
URL:
Documento executivo: http://www.educause.edu/ir/library/pdf/ERS0706/ekf0706.pdf
Relatório completo: http://www.educause.edu/ir/library/pdf/ers0706/rs/ERS0706w.pdf

Os resultados de uma pesquisa sobre o uso da tecnologia da informação por estudantes de graduação norte-americanos acabam de ser divulgados pela Educause. O documento é dividido em seis capítulos, a saber:
Cap. 1 – Sumário executivo
Cap. 2 – Introdução: um mar de mudanças no pensamento, conhecimento, aprendizado e ensino.
Cap. 3 – Metodologia e características dos respondentes.
Cap. 4 – A posse, o uso e as habilidades da Ti pelos estudantes.
Cap. 5 – O uso pelos estudantes da TI nos cursos.
Cap. 6 – Percepção dos estudantes sobre o impacto da TI na experiência acadêmica
A pesquisa coletou dados de 27.864 estudantes de 103 instituições de ensino superior dos Estados Unidos. Os resultados mostram que cresce o uso das diversas ferramentas de TI pelos estudantes e que ainda existe muito espaço para a dinamização e ampliação dessas tecnologias junto à maioria do corpo discente.
O relatório pode ser útil para aqueles que trabalham com TI no ensino superiores, para os educadores e bibliotecários.
Murilo Cunha

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Hábito de leitura dos jovens brasileiros


5 Comentários

Crianças e adolescentes do século 21 estão antenados com as novidades, mas quase não lêem livros e bons textos
Fonte: Jornal de Brasília
Data: 17 de setembro de 2007.

As crianças e adolescentes do século 21 são antenados e ocupadíssimos. Eles freqüentam a escola, as aulas de inglês, espanhol e francês. Fazem uma atividade física, navegam na internet com desenvoltura impressionante e, é claro, encontram uma brechinha para estar com os amigos. No entanto, os estudantes quase não lêem livros e bons textos e todos os benefícios dessa prática vão ficando para trás.
Com esses hábitos, sabem decifrar perfeitamente letras e palavras, mas nem sempre têm habilidade de entender e interpretar questões de provas, temas de redação e clássicos da literatura. De acordo com a coordenadora de Redação do Colégio Leonardo da Vinci, Maria da Penha Amancio, o fato é preocupante e o problema não atinge somente crianças e adolescentes. "Quem não desenvolve esta prática torna-se um cidadão alienado. Os alunos que entendem o que pedimos em provas e redações são, invariavelmente, aqueles que praticam a leitura e têm uma visão mais crítica em relação aos mais diversos assuntos. Mas o hábito é a condição imposta para se conquistar esta habilidade. É fundamental ler diariamente", explica.
Levantamento do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) traz dados reveladores. Quando estão na universidade, época em que a leitura é ainda mais exigida, quase 15% dos estudantes brasileiros não lêem sequer um livro por ano. Pedagogos, professores e especialistas são unânimes: ler é uma prática que se desenvolve desde muito cedo, quando a criança nem foi alfabetizada. "O problema é que a geração atual é totalmente dependente da imagem e adaptada à correria diária", diz Penha.
O professor de Língua Portuguesa Paulo Medeiros acrescenta que a leitura exige isolamento e concentração, o que nem sempre é visto com entusiasmo pelos estudantes. Embora constrangidos, os alunos concordam com o que dizem os coordenadores.
De acordo com a estudante do 2º ano do Ensino Médio, Monique Rodrigues, 16 anos, diante de tantas atividades, ler um livro acaba sendo uma atividade feita somente por obrigação. "Sabemos que a internet e a TV não substituem um livro, mas a leitura está associada à obrigação, à escola e isso acaba nos desestimulando", afirma. Sinndy Wanzeller, 17 anos, reforça o pensamento da estudante. "Os anos que antecedem a entrada em uma universidade são massacrantes, as leituras propostas são em função do vestibular."
Comentário:
Vejam como faz falta a existência de bibliotecas nas escolas brasileiras. Por falta de oferta de leitura o estudante se aproxima dos livros somente por obrigação e/ou para fazer uma tarefa escolar. Assim, a leitura pode ser algo “massacrantes”.
Murilo Cunha

Acesso à internet no Brasil


2 Comentários

PCs ganham força nacional, mas acesso à Internet ainda é privilégio
Autoria: Ana Paula Lobo

Fonte: Convergência Digital
URL: http://www.fndc.org.br/internas.php?p=noticias&cont_key=183423
Data: 16/09/2007
A matemática fria dos números comprova as recentes discussões em torno do mercado de TI e Telecomunicações no Brasil.
Se na parte dos computadores, os resultados apurados no PNAD 2006 - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, divulgada nesta sexta-feira, 14/09, pelo IBGE, revela que houve um crescimento significativo, principalmente, nas regiões mais desfavorecidas economicamente, o acesso à Internet, por sua vez, manteve a forte tendência de diferenciar o Sul/Sudeste do Norte/Nordeste.
O PNAD 2006 apurou que a evolução dos domicílios com computador foi um dos destaques nos últimos seis anos no País. O levantamento do IBGE constatou que o percentual de PCs nos lares do Brasil subiu de 12,3%, em 2001, para 22,4% em 2006.
O dado é alentador, especialmente, porque revela que o crescimento aconteceu fora do eixo Sul/Sudeste. Os índices foram significativos no Norte urbano (de 6,7% para 12,4%), no Nordeste (de 5,2% para 9,7%), no Sul (de 13,9% para 27,9%) e no Centro-Oeste (de 10,6% para 20,4%), os percentuais praticamente dobraram.
O PNAD 2007, certamente, deverá apresentar um crescimento ainda maior - para 2007, a Abinee prevê que o País irá vender mais de 10 milhões de PCs, mas o estudo do IBGE comprova também que há um largo espaço para o mercado de fabricantes de PCs no Brasil, basta comparar com serviços como Telefonia (74,5%) e televisores (93%).
Internet: Ainda um privilégio
Em compensação, o PNAD 2006, mesmo levando em conta uma defasagem importante, uma vez que ao longo desses meses, o acesso à Internet cresceu no Brasil, revela que a oferta do serviço ainda marca uma profunda desigualdade regional entre o "Rico" Sul/Sudeste, e os "Pobres", Norte e Nordeste.
O levantamento do IBGE apurou que, em 2006, o acesso à Internet ficou em 16,9% comparado ao PNAD de 2005, sendo que os percentuais alcançados no Sudeste (29,2% e 23,1% respectivamente) ficavam em torno do triplo dos percentuais observados no Norte (9,8% e 6,0%) e Nordeste (9,7% e 6,9%).
A tendência, segundo os analistas do IBGE, é que em 2007, apesar de um incremento no índice nacional de acesso à Internet, a desigualdade regional deverá ser mantida, uma vez que muitas localidades no Norte e no Nordeste dependem de infra-estrutura ainda não disponível para acesso banda larga. A maior parte das localidades nessas regiões ainda utiliza a conexão discada como principal meio de infra-estrutura para acessar à Internet.
Comentário:
Como se pode notar pelos dados estatísticos acima o Brasil ainda tem um longo caminho para ampliar o acesso à internet por parte de seus cidadãos. Essa situação também reflete, de forma negativa, nos acessos aos conteúdos informacionais, notadamente aqueles hospedados nas bibliotecas.
Murilo Cunha

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Convite pessoal: Feiras Novas de Ponte de Lima - Dias 15, 16 e 17 de Setembro


2 Comentários

Boa tarde a todos!

Hoje, quero convidar todos os visitantes deste blog a visitar as Feiras Novas, em Ponte de Lima. Esta é uma das maiores romarias do Alto Minho, com o Cortejo Etnográfico e Artesanal, o Festival Folclórico, a procissão, a feira das trocas, as “tasquinhas”, repletas de petiscos locais, como o bacalhau frito, a sardinha assada ou a broa de milho, e muito mais...

Visitem, pois além de ser a terra onde nasci e cresci, também é uma das mais belas vilas de Portugal!!
--
Fontes de informação:

Pequeno vídeo da actuação de um grupo de bombos na edição de 2006.

Também podem visualizar algumas fotografias neste slideshow da edição de 2006

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Fórum nacional dedicado a Software Livre em Lisboa


2 Comentários

A Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa vai receber nos próximos dias 12 e 13 de Outubro o 1º Fórum de Software Livre de Lisboa.

Segundo a organização o objectivo da iniciativa é "a discussão sobre o uso e desenvolvimento de ferramentas abertas, não só como forma de aprofundar o conhecimento científico, mas também como ferramenta de trabalho e modelo de Negócios".

In SOL

Nova directora da divisão da Sociedade da Informação da UNESCO


1 Comentários

Miriam Nisbet, natural dos Estados-Unidos, especialista no direito da informação, acaba de tomar posse enquanto Directora da Divisão da Sociedade da Informação da UNESCO. Miriam Nisbet suceda a Elizabeth Longworth (Nova-Zelândia), que foi nomeada directora executiva do Gabinete do Director-Geral da UNESCO.

Consulte a notícia completa no Portal da UNESCO

Fonte: APBAD


sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Formação avançada em... usabilidade na época medieval


1 Comentários

Hoje, apresento-vos um bom momento de humor...

Votos de um bom fim-de-semana.

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Morreu Luciano Pavarotti


0 Comentários

Aqui ficam alguns testemunhos da grandiosidade do maior tenor de todos os tempos.

A informação processada por este génio da música é um hino à comunicação universal!

Luciano Pavarotti - Ave Maria - Schubert



quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Os profissionais de Biblioteca e Documentação em destaque no Programa Iniciativa


2 Comentários

Desde 2000 que o programa Iniciativa, cuja emissão passa na RTP2 todas as quintas-feiras, aborda temas relacionados com o mercado profissional.

No próximo dia 6 de Setembro a rubrica “ Profissões” deste programa dará a conhecer o quotidiano dos profissionais de Biblioteca e Documentação da Rede Municipal de Bibliotecas da Câmara Municipal de Lisboa.

Não perca, na RTP2, às 19 horas a oportunidade de conhecer algo mais sobre os profissionais que trabalham nas nossas bibliotecas.

Fonte: BLX - Bibliotecas Municipais de Lisboa

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Que imagem a do bibliotecário...?


2 Comentários

Já vai longe este tempo...


Mas apesar de uma realidade cada vez mais diferente...


...o estereotipo continua.


Porque será? Não seremos nós responsáveis ?

sábado, 1 de setembro de 2007

“Perspectivas em Ciência da Informação” (v. 12, n. 2, 2007).


2 Comentários

O último número da “Perspectivas em Ciência da Informação” (v. 12, n. 2, 2007), periódico editado pela Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais, publicou os artigos relacionados que podem ser consultados no URL: http://www.eci.ufmg.br:80/pcionline/viewissue.php?id=29

Editorial
Jorge Tadeu Ramos Neves

Artigos
A ciência da informação na visão dos professores da ECI/UFMG. Carlos Alberto Ávila Araújo, Aline Michelle Sima, Roger Miranda Guedes e Karine Souza Resende.

Profissional da informação: análise da inserção no mercado de trabalho brasileiro. Paulo Jannuzzi de Martino e Mônica de Fátima Loureiro.

Práticas de gestão do conhecimento: caso dos sítios associados ao portal corporativo da FIOCRUZ. Danuzia da Rocha Paula e Regina de Barros Cianconi.

Processo de decisão do uso da informação. Waleska Silveira Lira, Geraldo Maciel Araújo, Gesinaldo Ataíde Cândido e Marcelo Alves de Barros.

Um modelo de gestão da informação para aprendizagem organizacional em projetos empresariais. Nabor Monteiro Alves e Orandi Falsarella Mina.

O impacto do portal de periódicos da CAPES na produção científica da área de Plasma no Brasil. João de Melo Maricato.

Comparando periódicos pela medida da dispersão de seu impacto. Guido Rummler.

A classificação de acervos bibliográficos em bibliotecas de órgãos do judiciário: bens de consumo ou permanentes? Nilcéia Lage Medeiros, Alfredo Alves de Oliveira Melo e Ester Eliane Jeunon.

Representação do bom professor na perspectiva dos alunos de arquivologia. Leonina Amanda Feitoza, Julce Mary Cornelsen e Silza Maria Pasello Valente.

Revisões de literatura
Estudo de usuários: visão global dos métodos de coleta de dados. Sofia Baptista Galvão e Murilo Bastos da Cunha.

Competência informacional e gestão do conhecimento: uma relação necessária no contexto da sociedade da informação. Eliany Alvarenga de Araújo e Ana Virginia Chaves de Melo.

A problemática dos indivíduos, suas lutas e conflitos no turbilhão da informação. Mirian de Albuquerque Aquino.

Teses e dissertações
Uso estratégico da informação gerada pelo serviço de atendimento ao consumidor de empresas de alimentos: um estudo de múltiplos casos. Raquel Andrade de Almeida Cunha.

Comparação entre termos de indexação e palavras dos títulos dos artigos do periódico "Cadernos de Saúde Pública” (2000/2005). Elizabeth Andrade Duarte.
Monitoração ambiental no setor de biotecnologia: comportamento de busca e uso de informação em empresas de micro e pequeno portes de Minas Gerais. Adriana Duarte Nadaes.

Sistemas eletrônicos de gerenciamento de documentos arquivísticos: um questionário para escolha, aplicação e avaliação. Leandro Ribeiro Negreiros.

Informação e democracia deliberativa: um estudo de caso de participação política na Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais. Nilson Vidal Prata.

A Ciência da Informação e sua configuração epistemológica: análise com base nas linhas de pesquisa da área. Leonardo Vasconcelos Renault.

A pauta do dia: informação educacional em jornais brasileiros. Tacyana Karina Arce Rodrigues.

Caracterização do trabalho do bibliotecário no campo jurídico em Belo Horizonte. Regina Célia Rosa.

Leitura e interatividade feminina nos jornais impressos: a postura das leitoras do jornal Estado de Minas. Patrícia Espírito Santo.

Consolidação do processo de informatização em sistemas de bibliotecas universitárias na África do Sul, Brasil e Moçambique. Manuel Valente Mangue.

O cluster da construção em Minas Gerais e as práticas de colaboração e de gestão do conhecimento: um estudo das empresas da Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG). Antônio Braz de Oliveira e Silva.

Arquivo

Categorias